VOLTAR BLOCO EM BREVE

 

 
 

2012
JOHN CUSACK & DANNY GLOVER

Séculos atrás, os maias nos deixaram o seu calendário, com uma data final em um dia determinado e tudo o que isso sugere.

Desde então, astrólogos o discutem, numerólogos encontraram padrões que o prevêem, geólogos dizem que a Terra se encaminha para isso e nem os cientistas do governo podem negar que um cataclismo planetário de proporções épicas se anuncia para 2012.

A profecia que surgiu a partir dos maias já se encontra hoje bem documentada, debatida, destrinchada e analisada.

E em 2012, nos saberemos - nós fomos alertados.

O presidente americano (Danny Glover) convoca uma reunião de emergência com as principais potências para conversar sobre um grande perigo para a humanidade.

Os anos passam e, com a proximidade de 2012, as autoridades decidem que não é mais possível conter o perigo eminente que pode significar o fim do mundo.

Com isso, colocam em prática o plano iniciado anos atrás, sob o comando dos cientistas Adrian Helmsley (Chiwetel Ejiofor) e Carl Anheuser (Oliver Platt).

Enquanto isso, o escritor Jackson Curtis (John Cusack) leva sua vida de marido separado, pai de dois filhos, como motorista de limusine e tendo que aturar as reclamações da ex esposa (Amanda Peet).

Ao levar os filhos para passear, ele descobre os primeiros sintomas da destruição do planeta.

Mas não deixe de ver os erros também.

Diretor: Roland Emmerich
Escritores: Roland Emmerich & Harald Kloser

Gênero: Ação / Drama / Sci-Fi / Thriller

Site Oficial: http://www.2012ofilme.com.br

Columbia Pictures

Título Original: 2012
Tempo: 158 minutos
Cor: Colorido
Ano de Lançamento: 2009 - USA / Canadá - Lançamento dia 13
de novembro de 2009
Recomendação: 12 anos

ELENCO

John Cusack ... Jackson Curtis
Amanda Peet ... Kate Curtis
Chiwetel Ejiofor ... Adrian Helmsley
Thandie Newton ... Laura Wilson
Oliver Platt ... Carl Anheuser
Thomas McCarthy ... Gordon Silberman
Woody Harrelson ... Charlie Frost
Danny Glover ... Presidente Thomas Wilson
Liam James ... Noah Curtis
Morgan Lily ... Lilly Curtis
Zlatko Buric ... Yuri Karpov
Beatrice Rosen ... Tamara
Alexandre Haussmann ... Alec
Philippe Haussmann ... Oleg
Johann Urb ... Sasha
John Billingsley ... Professor West
Chin Han ... Tenzin
Osric Chau ... Nima

FICHA TÉCNICA

Produção .... Roland Emmerich
Produção .... Larry J. Franco
Produção .... Harald Kloser
Música .... Harald Kloser
Música .... Thomas Wanker
Fotografia .... Dean Semler
Edição .... David Brenner
Edição .... Peter S. Elliot
Elenco .... Susan Taylor Brouse
Elenco .... Scott David
Elenco .... Judy Lee
Elenco .... April Webster
Desenho de Produção .... Barry Chusid
Direçaõ de Arte .... Ross Dempster
Direçaõ de Arte .... Kendelle Elliott
Direçaõ de Arte .... Dan Hermansen
Direçaõ de Arte .... Don Macaulay
Cenário .... Elizabeth Wilcox
Figurino .... Shay Cunliffe
Efeitos Especiais .... Double Negative
Efeitos Especiais .... Animal Makers
Efeitos Especiais .... Crazy Horse Effects
Efeitos Especiais .... Digital Domain
Efeitos Especiais .... Evil Eye Pictures
Efeitos Especiais .... Factory VFX
Efeitos Especiais .... Gradient Effects
Efeitos Especiais .... Hydraulx
Efeitos Especiais .... Pixomondo
Efeitos Especiais .... Post Office Visual FX
Efeitos Especiais .... Proof
Efeitos Especiais .... RotoFactory
Efeitos Especiais .... ScanlineVFX
Efeitos Especiais .... Sony Pictures Imageworks (SPI)
Efeitos Especiais .... Uncharted Territory

PRODUTORAS

Columbia Pictures
Centropolis Entertainment
Farewell Productions
The Mark Gordon Company

DISTRIBUIDORAS

Audio Visual Enterprises
Columbia Pictures
Columbia TriStar Warner Filmes de Portugal
Sony Pictures Entertainment
Sony Pictures Releasing
Walt Disney Studios Motion Pictures

ERROS

Como o filme foi baseado nos eventos previstos pelo calendário Maia, e em outros que apontam a data de 12 de dezembro de 2012 para a destruição total da Terra, com o alinhamento dos planetas com o centro da galáxia, os erros apontados aqui também tomam como base essa data. Levamos em consideração também os fatos que gerariam o cataclismo mundial como as emissões de raios solares destruindo a camada de proteção atmosférica da Terra, a erupção de vários vulcões no mundo, principalmente os localizados no cinturão de vulcões, a modificação da crosta terrestre, assim como a rotação invertida da Terra e a mudança dos pólos.

1. No começo do filme em 2009 na Índia quando Adrian encontra seu amigo. Ele coloca o seu braço esquerdo nas costas do amigo, mas antes da tomada mudar ele abaixa o braço, na tomada seguinte que é muito rápida, pegando-o de costas, seu braço esquerdo está novamente nas costas do amigo. Observe com atenção pois a cena é muito rápida.

2. Quando Adrian chega na festa em Washington, ele pega o paletó do amigo e entra na festa. Observe que os botões da sua camisa estão abertos, mas na tomada seguinte eles já estão fechados até o pescoço.

3. Em 2010 na Columbia Britânica, o presidente dos Estados Unidos vai a uma reunião comunicar o fato, mas do lado de fora as pessoas já estão revoltadas com placas sobre 2012. Ora, se o presidente ainda ia comunicar o fato aos outros presidentes, como as pessoas já estavam fazendo passeatas sobre 2012? E como os outros personagens do filme não sabiam disso?

4. Na França o curador do museu jamais apontaria uma lanterna, ou deixaria que fizessem isso para o quadro da Mona Lisa, pois a luz das lanternas prejudicaria a obra.

5. Quando Jackson corre para a limusine, não vemos nem ele abrir o capô do carro, nem destravar a porta, nem desligar o alarme, nem colocar a chave na ignição para ligar o veículo.

6. Quando aparece a rachadura na rua de Jackson, vemos uma senhora gorda de calça verde na varanda. Na primeira tomada de longe ela está com as duas mãos no para-peito de ferro, depois do corte apenas a mão direita está apoiada.

7. Quando Jackson chega na casa dos filhos, ele abre o capô de trás. Então ele passa por ali e encosta a mão no capô, depois do corte o capô está abaixado, mas isso não aconteceu antes.

8. O filho chama o pai de Jackson, e não de "pai" como a irmã menor. Isso é meio ridículo no filme. Mesmo com os pais separados, o filho chamaria o pai de "pai" e o padrasto pelo nome próprio.

9. Quando os dois amigos cantores de jazz estão entrando no navio, uma onda levanta a embarcação e ela se choca com o cais. No entanto em nenhum outro lugar acontece nada. Para que o mar fizesse isso, algo enorme deveria ter acontecido em algum lugar, como um terremoto no oceano, causando um tsunami. No entanto nada é relatado a respeito desse fato. O mesmo deve ser relatado com relação a rachadura na rua de Jackson.

10. Quando Jackson está no parque Yellowstone, podemos ver na tomada aérea que ao lado esquerdo do seu carro existe um lago, mas depois na tomada de dentro do veículo, não existe nenhum lago.

11. No parque depois de pular a grade, Jackson e os filhos vêem o lago. Observe que não existe nenhum bicho morto nele, mas depois quando estão lá embaixo existe um animal morto no chão, e várias bandeirinhas amarelas sinalizando o local.

12. Quando Charlie Frost está olhando os três andando no lago, não vemos nenhuma faixa na sua tomada, mas depois na cena do lago as faixas aparecem ao lado do menino.

13. Quando o exército chega no lago para tirar Jackson e as crianças, vemos uma tomada aérea, e o animal morto que deveria estar perto deles, sumiu, assim como outras coisas.

14. Depois que os soldados se aproximam, os objetos voltam a aparecer.

15. Jacson se encontra com Adrian que começa a falar com ele dispensando os soldados do seu lado direito. Observe que o soldado é quem tem os documentos de Jackson, no entanto Adrian não pega os documentos da mão do soldado, mas depois eles estão na sua mão.

16. Se já estamos em 2012, e os eventos do cataclismo mundial já começaram por causa da radiação solar, então a primeira coisa a ser destruída seriam os satélites, portanto as comunicações via internet estariam paralisadas. Mas mesmo assim Adrian fala com seu amigo pelo computador, e ele pede que as pessoas sejam evacuadas.

17. Outro fato importante é que se a energia solar já tivesse atingido a Terra, a energia elétrica no mundo inteiro já teria entrado em colapso também, portanto não haveria tanta calma como mostrada no filme. Considerando isso, Jackson não poderia usar seu computador depois, o celular do filho não funcionaria  e nem a rádio de Charlie estaria transmitindo.

18. Se estamos perto de 21 de dezembro, porque não vemos nenhum enfeite de natal em lugar nenhum?

19. Quando o presidente dos Estados Unidos se levanta para falar da evacuação, ao lado esquerdo dele tem uma pasta com um óculos em cima, depois do corte os óculos mudaram de posição.

20. A mulher de Jackson desliga o telefone na cara dele mesmo quando ele tenta avisar de uma catástrofe. Ela já tendo visto uma de perto no supermercado deveria acreditar um pouco mais nele. Não faz sentido alguém ignorar um telefone de aviso sobre um desastre.

21. Quando o terremoto atinge a casa da filha de Jackson, podemos perceber que as marcas das mordidas de insetos que ela tinha, desapareceram.

22. No café da manhã vemos o novo marido de Kate lendo o jornal. Na sua tomada de frente ele está com a página aberta. Mas depois do corte para a tomada de trás o jornal não está aberto.

23. Depois que o terremoto começa e ele é focalizado novamente, podemos ver o jornal aberto outra vez.

24. Quando Jackson está fugindo com a limusine, ele encontra um carro com duas velhinhas na frente. Podemos ver que existem casas do lado esquerdo dele, mas em uma das tomadas aparece um morro, sem casas, e depois as casas reaparecem. Então ele aproveita para ir por cima da calçada.

25. Durante a fuga um prédio começa a cair e carros caem dele. Um vermelho aparece numa tomada, mas depois desaparece na tomada seguinte.

26. Ainda nessa tomada um carro cai de cabeça para baixo do lado esquerdo de Jackson, mas depois do corte esse carro desapareceu e seu lugar aparece outro.

27. Quando o prédio de vidro azul está caindo na frente deles, podemos ver que o semáforo está vermelho. Isso seria improvável já que com aquele enorme terremoto as linhas de energia seria destruídas muito antes.

28. Jackson empurra a porta do motorista que cai facilmente. Nada atingiu o seu lado portanto não seria tão fácil arrancar a porta do seu carro. O mesmo aconteceu antes com a porta traseira, o que também não deveria acontecer. Ela até poderia ter entortado, mas nunca caído tão facilmente.

29. O novo marido de Kate entra no avião e simplesmente sai pilotando. Que maravilha se fosse assim tão fácil. Chega a ser ridículo isso.

30. Um pouco antes de decolar podemos ver que o avião está balançando do lado de dentro, mas na tomada de fora ele está totalmente parado.

31. Quando a avião vai decolar, podemos ver que suas rodas batem no solo quebrado. Isso já seria suficiente para ele perder o controle da aeronave e até mesmo bater ou virar.

32. Depois de decolar eles passam por um pedaço de cidade que está acima deles e que está desmoronando. Isso também seria improvável. Se saíram do chão as ruas na sua frente deveriam estar mais baixas e em buracos, e não tão altas quanto mostrado no filme.

33. Nessa tomada é possível perceber que o trem de pouso foi recolhido, mas eles não tiveram tempo para isso e nem o fizeram.

34. Porque a preocupação de colocar os fones de ouvido? De nada adiantaria e eles nem tinham torre de comando para se comunicar.

35. Impressionante é ver que no aeroporto, durante o caos que estava acontecendo nenhum outro piloto ou aeronave tentou decolar também.

36. Se Adrian sabia que tudo ia acontecer, porque não tentou salvar seu pai? Porque não o impediu de ir no navio? Alguns furos no roteiro do filme são impressionantes.

37. Em questão de segundos Jackson chega em Yellowstone com sua família no avião. Ora, se a costa da Califórnia já foi destruída inteira, isso se deve ao fato da falha de Sant Andreas ter colapsado, portanto o vulcão em Yellowstone já deveria ter entrado em erupção, pois eles levariam pelo menos uma hora para chegar onde estão.

38. Quando a filha de Jackson resolve segui-lo, Kate aparece de costas com a mão na mangueira da bomba de gasolina, depois do corte ela já retirou a mangueira da bomba.

39. A nuvem piroclástica da erupção do vulcão em Yellowstone teria alcançado Jackson antes dele chegar ao aeroporto com o carro onde estava sua filha.

40. Logo depois que ele caiu no buraco, a nuvem piroclástica da erupção do vulcão em Yellowstone teria passado por ele antes mesmo dele sair do buraco.

41. Ainda na cena da erupção, o deslocamento de ar provocado pela erupção teria jogado tanto o carro quanto o avião longe.

42. A enorme bola de fogo em erupção em Yellowstone teria incinerado Charlie Frost e Jackson Curtis em questão de segundos. O calor intenso irradiado seria tão grande que nem mesmo o avião teria alguma chance.

43. Charlie aparece de pé em cima do morro depois da explosão em Yellowstone. Só o calor gerado já deveria tê-lo queimado em questão de segundos.

44. Quando a filha de Jackson se abaixa dentro do furgão, um pedaço de rocha enorme cai na frente deles, destruindo toda a estrada de terra, mas depois do corte ele desvia ainda pela estrada que continua a existir.

45. Na pista de aviação, Jackson salta com a camionete. Na tomada de frente vemos que o eixo dianteiro quebrou e a roda direita do veículo está virada, mas na outra tomada o eixo está inteiro novamente.

46. Jackson está dentro do furgão quando esse está caindo no buraco. A inclinação do veículo é tão grande que ele escorrega para o fundo e consegue até ver o fundo do buraco cheio de lava. O mais impressionante é que mesmo estando naquela posição, não se sabe como ele consegue subir até a porta do veículo, sair dele e se segurara na beira do precipício e ir até o avião. Realmente impressionante.

47. Mais uma vez vemos outro erro de velocidade. Jackson corre a pé mais rápido do que a nuvem piroclástica da erupção que está atrás dele. Chega a ser ridículo.

48. A nuvem finalmente engole o avião, mas milagrosamente ele sai de lá de dentro. Isso seria impossível já que o calor dessa nuvem queimaria o avião por completo.

49. Se os elementos que vão causar a destruição do planeta já começaram, se o cinturão de fogo de São Francisco já explodiu, assim como o vulcão de Yellowstone, porque tanta calmaria em Washington? Porque ainda não saíram em direção às Arcas? Isso já deveria ter acontecido há pelo menos um mês.

50. Vemos duas reportagens na televisão onde Adrian assiste junto com Carl. Uma delas é a da estátua do Cristo Redentor desmoronando, e a outra de Londres. Pois bem; se todo o evento cataclísmico está acontecendo por causa da erupção do Sol, as comunicações não poderiam estar funcionando porque como foi dito, os satélites seriam os primeiros a serem destruídos. E se o fato está acontecendo em dezembro, pois outra data não faria sentido no filme, não poderíamos ter os jogos olímpicos em Londres. Eles já deveriam ter terminado, e não poderia aparecer na televisão que eles estão sendo cancelados.

51. Vemos o avião de Jackson pousando em Las Vegas. Ora, isso é realmente ridículo. Ele saiu de Los Angeles na Califórnia, voou mais de 1000 km até em Yellowstone subindo para o norte e passando por 3 estados americanos, nevada, Idaho e Wyoming, para depois descer mais 1000 km até o sul de Nevada para pousar em Las Vegas? Não faz o menor sentido se sua viagem tinha como destino a China.

52. O mesmo deve se falar de Yuri Karpov. Se eles estão indo para a China em um avião particular, porque pousaram em Las Vegas? Isso dá pouco mais de 300 km e na direção errada. Ora se Jackson voou mais de 1000 km com o combustível do seu avião, porque Yuri Karpov voando apenas 300 km teve que pousar para reabastecer? Não faz sentido.

53. O presidente usa um telefone celular para falar com sua filha a bordo do Força Aérea Um. A Casa Branca tem comunicação direta com o avião, portanto seria mais prático ligar desse telefone. Sem considerar que as comunicações já deveria ter acabado há muito tempo.

54. Logo depois o Presidente faz uma declaração à nação. Isso seria realmente sem o menor propósito, pois além das comunicações não estarem funcionando, quem estaria na frente da televisão para vê-lo? No entanto além das comunicações estarem funcionando normalmente em alguns lugares, existem muitas pessoas assistindo-o. Então, logo depois a comunicação cai.

55. Vemos o Antonov 500 decolando e atrás dele uma nuvem piroclástica, provavelmente vinda de alguma erupção vulcânica. Ela alcançaria o avião antes mesmo dele manobrar na pista para decolar.

56. Vemos o Antonov 500 chegando num lugar cheio de lava onde tudo está queimando. O problema é que se eles sairam de Las Vegas, eles deveriam estra indo da terra para o mar, e não do mar para a Terra, no sentido contrário.

57. Eles tomam o caminho mais longo para chegar até a China. O correto seria voar para o outro lado, pois seria mais rápido e ainda teria um lugar para abastecer o avião em Anchorage, no Alasca, onde muitos vôos intercontinentais pousam.

58. O piloto do avião, Sasha, não consegue ver o solo dado a mudança no clima e a quantidade de fumaça no ar, então devemos supor que ele está se baseando nos seus instrumentos. No entanto uma das primeiras coisas que não funcionariam seriam os aparelhos de GPS, porque os satélites seriam os primeiros a serem destruídos pela energia solar.

59. Vemos um senhor ligando para o seu filho no Japão. A netinha atende e logo depois quando o filho vai atender existe um terremoto. Se eles estão no Japão, esse seria um dos primeiros lugares a serem atingidos por vulcões e tsunamis já que estão no circulo de fogo. Não faz sentido. Além é claro do telefone estar funcionando normalmente. Logo depois vemos a Casa Branca já sob o efeito da chuva ácida causada pelas erupções dos vulcões. O que deveria ocorrer também no Japão danificando tudo.

60. Depois da tragédia no Vaticano, vemos Adrian dentro do avião e um dos tripulante o informa dos vários tsunamis ocorridos no mundo, e dois terremotos no oceano. Isso seria impossível de saber já que os sensores marítimos enviam sinais para satélites, que depois são recebidos pelas estações de controle de terremotos nos Estados Unidos e só então são retransmitidas para outros lugares. Sem satélites nada funcionaria.

61. No navio vemos as pessoas assistindo notícias sobre o terremoto no Japão. Isso seria impossível mais uma vez.

62. Somente com um hora e meia de filme é que as comunicações globais terminam. Isso é informado dentro do avião do presidente.

63. Com as erupções vulcânicas ocorridas no mundo inteiro, a poluição gerada seria tão grande que nenhum avião conseguiria sustentabilidade para voar, no entanto vemos pelo menos dois aviões voando tranquilamente.

64. Vários motores do Antonov explodindo sem nenhum motivo aparente. Se eles estão explodindo por causa da poluição gerada, todos os motores deveria falhar e não apenas dois ou três.

65. Quando o avião pousa na neve, vemos Jackson soltando as travas da roda dianteira que segura o carro dentro do avião, mas ele não solta as travas das rodas traseiras e mesmo assim consegue sair do avião com o carro.

66. Quando o marido de Kate sai correndo pelo avião até o carro, vemos os alarmes de alguns deles disparando. Isso é ridículo. Quem ligaria os alarmes dos carros dentro do avião?

67. Quando Yuri fala para o motor do carro ligar, misteriosamente todo o barulho acaba enquanto ele fala "Motor, Ligue".

68. No dia do desastre total vemos helicópteros na China levando animais como a girafa para a Arca. Isso é ridículo. Já deveriam ter feito isso há muito tempo.

69. Jackson e os outros fogem num carro, mas quando o soldado do helicóptero os avista existem pelo menos três veículos com os faróis ligados. Deveria haver apenas um, o deles.

70. Para continuar com os furos no roteiro do filme, não faz o menor sentido o helicóptero chinês pousar para ver quem são as pessoas que estão lá em baixo e só levar três pessoas com eles. Yuri e os dois filhos. Ou eles deveriam ter matado todos, ou nem deveriam ter pousado.

71. Os governantes fazem as arcas no Himalaia, mas isso seria praticamente impossível dado a altura das montanhas. Levar equipamento para a construção e pessoal para lá seria muito custoso, sem contar o fato da altura prejudicar na respiração dos trabalhadores.

72. Jackson e a turma descem a montanha em questão de minutos e depois aparecem há alguns quilômetros de distância de onde o Antonov caiu. Eles levariam horas para chegar até aquele ponto.

73. Quase no final do filme vemos o Dr. Satnam Tsurutani ligando do seu telefone celular da Índia, para o telefone celular de Adrian dentro da Arca no Himalaia. Isso seria impossível já que os satélites de comunicação estariam inoperantes com a onda de energia do Sol.

74. Se considerarmos isso como um erro grave do roteiro de filme, devemos considerar também que seria impossível Adrian avisar que não teriam mais tanto tempo como imaginavam, de duas horas, e refazer os cálculos para a hora do impacto de apenas vinte e oito minutos.

75. Quando Adrian dá a ordem para o capitão abrir os portões, vemos que o relógio digital vermelho está em contagem regressiva marcando 14 minutos e quarenta e um segundos. passam-se pelo menos dois segundos até o capitão ser focalizado e o relógio diminui sua marcação até 39 segundos, mas quando o capitão é focalizado o relógio ainda está em 41 segundos.

76. Eles levam pelo menos onze minutos para descer o portão de trás da arca, no entanto eles o levantam em menos de três minutos. basta olhar o tempo do relógio. Quando mandam abaixar os portões faltam 14 minutos. Quando as pessoas começam a embarcar faltam apenas 4 minutos, e então eles sobem a porta de trás até emperrar. Logo depois vemos que o relógio marca apenas um minuto para o impacto.

77. Quando o avião atinge a Arca, podemos ver que sua traseira está completamente submersa na água, no entanto o nível de água dentro da Arca não aumenta onde estão os últimos passageiros que embarcaram.

78. Vemos que algumas portas de contenção são fechadas, isolando a menina, a garota loira e Kate com o filho. Mas mesmo com as portas de contenção fechadas, a do meio, onde está a garota loira é a única que enche até o topo. Isso não deveria acontecer já que é uma porta intermediária.

79. Quando a Arca desce pela correnteza de água num ângulo de 90 graus, as pessoas e o nível da água dentro dela continuam da mesma forma, na altura dos joelhos. Se o barco virou tanto, a água deveria escorrer e não ficar parada no nível dos joelhos o tempo todo.

80. No compartimento onde Jackson está com a mulher e o filho, vemos que a movimentação da água é enorme, fazendo bolhas de baixo para cima, indicando que a água está entrando, mas o nível dela nesse compartimento nunca sobe.

81. Jackson está com o filho debaixo da água tentando soltar a mangueira que ficou presa nas engrenagens. Naquele lugar seria impossível ter algum espaço com ar para respirar. Deveria estar tudo debaixo da água.

82. Outro fato interessante é que aquela pequena mangueira amarela não deveria segurar uma engrenagem tão grande, e com motores tão potentes. As engrenagens deveriam ter destruído a mangueira completamente.

83. Em uma das tomadas externas da Arca, é possível perceber sua tampa traseira não está aberta como mostrada depois.

84. No final vemos a Arca navegando tranquilamente o no fundo o céu azul com um sol maravilhoso se destacando. Esse deve ser o último erro de roteiro do filme, porque com as erupções gigantescas ocorridas o céu no mundo inteiro ficaria coberto de nuvens pretas e com chuvas ácidas por algum tempo. O céu nunca poderia aparecer azulzinho como é mostrado no fim do filme.

85. No final do filme o cientista mostra para Adrian um mapa com a nova configuração da Terra. Isso seria impossível de saber sem os satélites para confirmarem.

86. O cartaz do filme onde aparece o Cristo Redentor, mostra a estátua e o Pão de Açúcar sendo atingidos por uma enorme onda. Na realidade o Cristo é atingido por um terremoto.

OUTROS ERROS

A) Algumas sinopses publicadas na internet sobre o filme estão erradas. Elas dizem que que o Presidente americano convoca uma reunião em 2008, mas o filme começa em 2009, e a reunião só é marcada depois disso, em 2010.

::Enviar informações deste filme::
Clique aqui para enviar erros e comentários apenas deste filme.

IMAGENS E CURIOSIDADES

O título do filme refere-se ao calendário maia que, segundo cultura popular e certas religiões, prevê uma série de eventos apocalípticos. Contudo, também é dito que existe um grande mal entendido sobre o "real" fim do calendário neste ano, estendendo o mesmo para uma distância impensável até para o mais otimista dos ambientalistas. A idéia do juízo final, também prevista por Nostradamus, não é propriamente dos maias. Eles, inclusive, previram para o ano de 2012 uma série de eventos exclusivos, como alinhamentos de astros, que só acontecerão nos próximos 25 mil anos. Entre as previsões já citadas por vários teóricos sobre o fim do mundo, o deslocamento dos pólos foi usado em 2012.