Ver também Notícias Antigas 2002

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR OUTRAS NOTÍCIAS DIRETO DOS EUA

 
   
 

12/2003 - Palmas  para o Filme CIDADE DE DEUS que é premiado no Círculo de Críticos de Cinema de NY. O filme de Fernando Meirelles, foi escolhido como o Melhor Filme Estrangeiro de 2003. O filme foi relançado nos EUA como parte de uma campanha da Miramax, sua distribuidora internacional, para tentar concorrer ao Oscar. O Círculo de Críticos de NY é referência para o cinema mundial e promove o prêmio desde 1939. Nesta época, nos EUA, começam a ser divulgadas as premiações que conduzem e indicam favoritos às principais como o Globo de Ouro e o Oscar. O prêmio de Melhor Filme da crítica nova-iorquina foi para "O SA - O Retorno do Rei", que estréia nesta quarta-feira, dia 17, nos EUA. Sofia Coppola foi eleita a Melhor Direção, por seu "Encontros e Desencontros", que também ganhou o prêmio de Melhor Ator para Bill Murray. "Cidade de Deus" quer entrar na corrida para o Oscar. A revista inglesa especializada "Uncut", sobre música e cinema, publicou em sua mais recente edição uma lista dos melhores filmes de 2003, na qual indica "Cidade de Deus" como o primeiro, seguido por "Kill Bill" (Quentin Tarantino), "Adaptação", "Lilya 4 Ever" e "O Pianista" (Roman Polanski). O filme de Fernando Meirelles também foi nominado para o Independent Spirit Awards na corrida pelo prêmio de Filme Estrangeiro. Saiba mais Fonte:Folha Online

12/2003 - Palmas  para a comédia “UM DUENDE EM NOVA YORK” que é um fenômeno nos EUA. Desbancou Matrix e subiu para o primeiro lugar. A comédia dirigida por Jon Favreau firmou-se com um forte boca a boca e agora, a previsão da distribuidora, é atingir a marca de 150 Milhões de Dólares. A comédia natalina deste final de ano que estréia no Brasil em 05/12, conta à inusitada história de um bebê adotivo, que por engano, foi criado por duendes no Pólo Norte. Quando Buddy cresce, fica evidente para si e para sua família de duendes, que não pertence àquele lugar. Assim, ele ruma para Nova York à procura de sua verdadeira família. Embora Buddy encontre um mundo que jamais soube existir, logo aprende que a vida na cidade grande não é só patinação no gelo e confeitos de açúcar, e se descobre um estranho, tanto quanto era no Pólo Norte. Buddy procura seu pai verdadeiro, Walter, um editor de livros infantis viciado em trabalho e que faz parte dos “mal comportados” na lista de Papai Noel. Walter não acredita que Buddy seja o quê ou quem diz ser; na verdade, a única coisa em que Walter acredita, sem muita certeza, é no lucro líquido. Por fim, Buddy ensina a seu pai e a todas as pessoas, sobre o verdadeiro espírito do Natal. Um filme dedicado à família que agrada adultos, jovens e crianças.

20/11/2003 - Palmas  para Elói Pires Ferreira.

Palmas  para O paranaense Elói Pires Ferreira que filma seu primeiro longa-metragem. Fé na boléia de um caminhão. O filme tem como personagem central um padre-caminhoneiro. A Filmagem de seqüência de O Sal da Terra, em que o padre realiza uma missa dentro de um caminhão. Apesar de estar colhendo vários prêmios em recentes festivais de cinema, a produção paranaense teve um pequeno recuo em 2003, situação não muito diferente do restante no país, pois, até a metade do ano, houve muitas indefinições na área audiovisual por conta da troca dos governos federal e estadual. Mas a atividade cinematográfica não cessou no Paraná e alguns filmes continuaram a ser rodados neste ano. Um dos trabalhos em produção atualmente no estado é O Sal da Terra, primeiro longa-metragem de Elói Pires Ferreira. As filmagens estão acontecendo desde o final de outubro e percorrerão diversas cidades paranaenses até o dia 20 de dezembro – a equipe de Ferreira já filmou seqüências em Araucária, Curitiba e Antonina. Com roteiro do próprio diretor, escrito ao lado de José Olímpio e Altenir Silva, e diálogos de Rafael Camargo, O Sal da Terra conta a história de um padre que percorre as estradas brasileiras num caminhão-capela... Saiba mais. Fonte:Gazeta do Povo

01/10/2003 - Palmas  para Quentin Tarantino.

Palmas  para Quentin Tarantino que apresentou o seu novo filme para o público. "Kill Bill: Parte I" que teve pré-estréia nesta segunda-feira em Los Angeles e contou com a presença de todas as suas musas: Daryl Hannah, Uma Thurman e Lucy Liu. Uma contou aos jornalistas que teve que treinar muito para dar mais dramaticidade às seqüências de luta. O filme é apenas a primeira parte da idéia de Tarantino. A Miramax preferiu lançar "Kill Bill" em duas partes com três horas de duração cada, disse Harvey Weinstein, chefão da produtora, que também esteve presente à pré-estréia. O filme é estrelado por Uma Thurman e foi escrito por Tarantino para a atriz. Ela é uma assassina, conhecida como "A noiva". No dia do seu casamento, leva um tiro e fica em coma. O mandante do crime é Bill, seu ex-patrão e ex-amante. Quatro anos depois, a Noiva acorda e decide eliminar toda a quadrilha de Bill, inclusive o trio formado por Daryl Hannah, Lucy Liu e Vivica Fox. Ainda no elenco estão Jason Bings e David Carradine, ator que estrelou séries de kung-fu na TV nos anos 70, como o chefão Bill. O papel seria, anteriormente, de Warren Beaty. Mas o próprio Beaty indicou Carradine. Foram 155 dias de filmagens. Há muita violência: para uma das cenas foram usados quase cem galões de sangue falso.

15/08/2003 - “Encontro de amor” é felicidade previsível.

Filme revive saga da princesa e do plebeu em que o acaso faz o destino de ambos mudarem para sempre.

Pela enésima vez, a indústria hollywoodiana revive o clichê do amor impossível. Como ocorre em “Uma Linda Mulher”, “Noiva em Fuga”, “Um Lugar Chamado Nothing Hill”...o galã rico, lindo e cobiçado, mas sem uma esposa à altura, vê o destino dar-lhe a ajuda de que tanto necessita, e acha a musa que tanto merece (“Obrigado diretor, agora sou feliz!” É o que deveria ouvir-se do ator neste momento).
Com atores de pouco prestígio como Jennifer Lopez (originalmente cantora) e Ralph Fiennes o filme apesar de bom no início, perde-se num roteiro sem reviravoltas ou grandes emoções. Em Nova Iorque, num hotel renomado, Christopher Marshall, (Fiennes) o playboy da política americana, hospeda-se no hotel onde Marisa Ventura (Lopes) é camareira. Por “acaso” conhece Ty (filho de Marisa) um garoto muito esperto e fã de política.

12/08/2003 - Voando Alto mostra conflito entre amor e trabalho.

Quando você estiver sem nada melhor a fazer, e decidir ir ao cinema naquele dia chuvoso e frio, como os atuais de inverno, apenas para divertir-se com uma comédia “light” à la “Sessão da Tarde”, escolha este filme. A falta de contexto de um roteiro preguiçoso e melodramático do estreante Eric Wald, faz rir pelo deboche, mas jamais pelo riso sincero e atraente da película. Vale ressaltar apenas, em meio à mesmice das cenas, a fotografia belíssima do brasileiro Affonso Beato (Deus e o Diabo na terra do sol, Tudo sobre minha mãe, Mundo cão, Deus é brasileiro) e os coloridos uniformes da figurinista Mary Zophres.
De resto, sobram as fórmulas que você já viu incontáveis vezes, como o conflito de interesses entre o amor e a carreira profissional. Um detalhe extra aconteceu nos bastidores: “Como Voando alto custou 35 milhões de dólares à Miramax e parou nos 15 milhões de bilheteria, configura-se o fracasso”. Com isso, surgem desabafos como o de uma Gwyneth revoltada, apelidando o filme de View from my ass, em referência aos inúmeros closes que recebe seu formoso bumbum. Na verdade, ela não percebeu, ou não quis aceitar, que o alicerce do filme é exatamente este, a mistura de espírito vulgar com atitude suburbana, e que os dotes de Christina Applegate e Kelly Preston são igualmente bem focalizados.
Mas, discrepâncias à parte, não é todo dia que um brasileiro assume responsabilidades no mercado americano. Em entrevista ao Jornal do Brasil, Barreto disse que o estúdio prejudicou o filme, originalmente escrito, filmado e editado como uma sátira de humor negro, com final romântico.
Por outro lado, o diretor não tem do que reclamar. Trabalha desde 1990 com filmes nos Estados Unidos. Ninguém no Brasil conhece como ele as engrenagens de Hollywood. E Barreto sabe que as regras do jogo, como os clichês de seu filme, são evidentes e manjadas.
Salve-se quem puder. Contanto que prevaleça a “indústria cultural americana, claro!”.

12/08/2003 - A estranha família de Igby traz enredo drama-cômico

Um garoto de família rica que passa parte da infância vendo o pai ir à loucura, que foge da escola militar e vai para Nova York em busca de diversão e um sentido em sua vida, é a temática da obra. Mesmo tocando em questões sociais de impacto como adultério, consumo de drogas pesadas, problemas mentais e abuso de poder, o filme dá a sensação de não querer levar esses temas à sério.
A estória perde-se neste ponto, em não saber que caminho seguir: o de comédia ou drama. Já, a platéia fica desconfortável, sem saber se deve rir da tragédia ou chorar com as palhaçadas. Nem os diálogos ajudam. Demasiadamente forçados, com frases prontas, apenas contribuem para a falta de realismo do filme.
O filme não é inteiro ruim. Jeff Goldblum, como padastro, e Susan Sarandon, como a mãe de Iggy estão muito bem. E Claire Danes é Sookie, uma bela vegetariana capaz de enrolar cigarros de maconha perfeitamente e que, além de soltar um "não" em sua primeira cena, acaba tendo um caso amoroso com Igby (Kieran Culkin, irmão de Macaulay "Esqueceram de mim" Culkin).
Escrito e dirigido pelo novato Burr Steers, Igby vai à luta tenta ser uma mistura do bom filme Royal Tenenbauns, de Wes Anderson, com o clássico livro O apanhador no campo do centeio, de JD Sallinger, mas não chega nem perto.
Uma boa idéia mal executada. Um bom passatempo sem maiores pretensões. Ou sem nenhuma. Divirta-se se puder! Por
Eduardo Maestro.

08/08/2003 - Homem do Ano agrada mas não empolga.

O resultado na tela é muito bom, mas não chega a extasiar. O cinema-verdade de "contrapartida social" consagrado em O Invasor (de Beto Brant, 2001), Cidade de Deus (de Fernando Meirelles e Kátia Lund, 2002) e Carandiru (de Hector Babenco, 2003), agrada mais uma vez. O mundo brega do subúrbio é visto por uma veia cômica, porém, não deixa de ser um retrato fiel do subúrbio carioca, cheio de medo e das armadilhas das drogas.

Os atores não decepcionam. Murilo Benício, um Máiquel parecidíssimo com outro personagem seu, o Toninho de Os Matadores (de Beto Brant, 1997) está ótimo. Os tiques e trejeitos são mais que eficientes, e varia do "não entendo nada então tô cagando e andando" ao "cara de cachorro perdido", passando por acessos repentinos de fúria e por uma piscadela pesada, do tipo "será que é isso mesmo que estou vendo?".

Já Natália Lage e Cláudia Abreu, são corajosas que encaram a vida de frente. Sem esquecer de Paulo César Pereio, no papel de Seu Humberto, dono machista da loja de animais que, apenas no livro, sofre com as violências da esposa. Já a trinca de ricaços interpretados por Jorge Dória, José Wilker e Agildo Ribeiro apontam na direção do humor negro, já que todo brasileiro têm o dom de rir de si mesmo, eles dão uma forcinha.

Ao fim da jornada, os acontecimentos parecem ter sido narrados de maneira apressada, sem o necessário aprofundamento, especialmente na metade final. São defeitos que nada ofuscam as qualidades mais evidentes do filme, principalmente em fotografia e direção de arte.

Uma ótima história, com introdução e primeiro ato impecáveis, sombria e relevante num equilíbrio devido. Filme policial, acima da média, com um porquinho que é um luxo. Muitas gargalhadas e ótimas sacadas de roteiro é diversão (e brasileira, o que é ótimo) das boas. Por
Eduardo Maestro.

 
24/07/2003 - Morre aos 66 anos o ator Rogério Cardoso

Topo

 
O ator, à esquerda em cena do seriado "A Grande Família", completou 50 anos de carreira no ano passado.  RIO - Morreu nesta quinta-feira pela manhã, no Rio, o ator Rogério Cardoso. Ele teve um infarto fulminante e morreu em casa, em Copacabana, na zona sul do Rio. O velório e o enterro serão realizados no Cemitério São João Batista, em Botafogo. Paulista da cidade de Mococa. Cardoso tinha 66 anos e três filhos. Participou de várias novelas, minisséries e filmes, como 'O auto da compadecida', 'Hilda Furacão' e 'Explode coração'. Atualmente, ele atuava nos programas 'A grande família', em que interpretava o personagem Seu Flor, e no programa 'Zorra total', em que contracenava com a atriz Nair Belo, sua grande amiga. O ator completou 50 anos de carreira no ano passado. 24/07/2003 - Lúcio Mauro passa mal no velório de Rogério Cardoso. Começou há 15 minutos, para os fãs, o velório do ator Rogério Cardoso, que está sendo realizado no salão de entrada da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O ator Lúcio Mauro teve que ser amparado pelos familiares de Rogério, porque passou mal ao ver o corpo do amigo. O enterro será amanhã às 9h no Cemitério Municipal de Mococa, no interior de São Paulo. O corpo segue ainda hoje para São Paulo e será velado no Museu de Arte Sacra do município. 25/07/2003 - Enterro do ator Rogério Cardoso será realizado hoje. O corpo do ator Rogério Cardoso, que morreu nesta quinta-feira no Rio de enfarte, será enterrado hoje à tarde no Cemitério Municipal de sua cidade natal, Mococa, no interior de São Paulo. Ele tinha 66 anos. Ele teve um infarto fulminante e morreu em casa, em Copacabana, na zona sul do Rio. O velório foi realizado na Câmara de Vereadores do Rio, com a presença de centenas de pessoas, incluindo seus colegas do elenco de A grande família, Marieta Severo, Lúcio Mauro Filho, Marcos Nanini, Pedro Cardoso e Guta Stresser, além de vários outros atores da Rede Globo. O destino do personagem no seriado será decidido em uma reunião entre o autor Cláudio Paiva, o diretor geral Mauro Mendonça Filho e todo o elenco. (Fonte: Gazeta do Povo) http://www.gazetadopovo.com.br  
   
 

Topo

Palmas  para o Festival de Cannes. Está dada a largada no Festival Internacional de Cinema de Cannes, considerado o mais prestigioso da Europa, com a exibição nesta quarta-feira de Fanfan La Tulipe, um filme francês fora da competição sobre um herói do século 18, protagonizado por Penélope Cruz e Vincent Perez. Trata-se de um remake do filme de Christian-Jaque, de 1952, que tinha Gina Lollobrigida no papel principal. O glamour das estrelas e a apresentação de um filme divertido ou espetacular marca a abertura do evento, como de praxe. Há dois anos o festival começou com Moulin Rouge, e o ano passado a atração inaugural foi Hollywood Ending, uma comédia do diretor norte-americano Woody Allen. Este ano, Nicole volta a Cannes com o filme dinamarquês Dogville. No grupo de celebridades esperado este ano, estão Arnold Schwarzenegger, Clint Eastwood, Tim Robbins, Emily Watson, Geoffrey Rush, Helen Mirren, Joan Allen e o director James Cameron. O brasileiro Carandiru só será visto na segunda-feira.
   

Topo

Palmas  para Colin Farrel, o novo galã de Hollywood. Você pode não ter notado mas lá estava Colin Farrell fazendo uma importante ponta como o detetive Danny Winter de Minority Report - A Nova Lei. O ator também é o vilão Bullseye (o Mercenário) de Demolidor mas o visual careca nos engana. Ah, seu olhos estavam voltados para Tom Cruise e Ben Affleck? Então prepare-se para prestar atenção neste mais novo galã em ascensão em Hollywood que estréia em São Paulo neste fim de semana (e ainda sem previsão para Curitiba) dividindo a tela com Al Pacino no thriller policial O Novato. Apesar de a estrela ser Pacino, é Colin que aparece mais na tela. Não é apenas nesses filmes que Colin Farrel quase passa despercebido. O ator fez outros papéis em filmes relativamente importantes como Tigerland - A Caminho da Guerra, Zona de Conflito e A Guerra de Hart mas só agora o público brasileiro vai notar (de verdade) o talento do ator, cuja carreira se encontra em ascensão meteórica sem paralelos.
   

Topo

Vaias para as Críticas que definiram "Uma Vida em Sete Dias" como um tédio mortal. Embora não se defina entre comédia ou drama, este é um daqueles filmes em que, desde a primeira cena, você sabe o que vai acontecer: a personagem principal vai se apaixonar pelo cara com quem vive brigando, a revelação de que vai morrer em breve a faz repensar a vida e blá blá blá. A amaldiçoada em questão é a arrivista Lanie (Angelina Jolie loura platinada), que só pensa na carreira, deixou tudo de lado por isso e, face à morte iminente, tenta dar um jeito na vida antes que seja tarde. Vale até cantar "Satisfaction", dos Stones, numa cena constrangedora.
   

Topo

Morre um dos símbolos da música nacional: Celly Campello

A voz de Celly embalou os bailes da juventude nos anos 1950 e 60. CAMPINAS, Brasil (CNN) -- Morreu nesta última terça-feira, aos 60 anos, a cantora Celly Campello, um dos símbolos da Música Nacional e que ficou famosa cantando músicas como "Estúpido Cupido", "Banho de Lua". "Biquíninho de Bolinha Amarelinha" - O nome dessa versão para "Itsie bitsie teenie weenie yellow polkadot bikini", lançada pelo saudoso Ronnie Cord, em junho de 1964, através do Compacto Simples RCA LC-6067;. Há, "rodando" na net, uma gravação da Blitz, com o nome de Celly. Celly tinha câncer de mama e estava internada no Hospital Samaritano, em Campinas, interior de São Paulo, desde o dia 20 de fevereiro. A cantora sofria da doença há sete anos. Foi em 1996 que foi diagnosticado o câncer que a acometeu. Célia Benelli Campello nasceu em São Paulo em 18 de junho de 1942. Foi em 1958, com o nome artístico de Célia Campello, que a cantora iniciou a sua brilhante carreira. No início de sua carreira, Celly fez sucesso com o Programa "Celly e Tony", na TV Record. O nome artístico foi alterado, no ar, durante o programa "Parada de Sucessos" de Hélio Alencar, na Rádio Nacional de São Paulo. Irmã do cantor Sérgio Campello, o Tony, Celly era chamada de "a namoradinha do Brasil". O sucesso foi tanto que a fábrica de brinquedos Trol lançou a boneca Celly, enquanto a Lacta colocou no mercado o chocolate "Cupido". Em 1962, porém, Celly surpreendeu os fãs ao decidir abandonar a carreira para se casar com José Eduardo Gomes, com quem teve dois filhos: Cristiane, de 39 anos, e Eduardo, 38. Em 1976, a cantora voltou a fazer shows por ocasião do sucesso da novela "Estúpido Cupido", da Rede Globo, que trazia várias de suas músicas. O sepultamento foi às 10h desta quarta-feira no cemitério Flamboyant, em Campinas.

Saiba mais sobre Celly Campello em www.cellycampello.cjb.net ( Contribuição Fernando)

   

Topo

"Harry Potter" já tem novo professor Dumbledore

Gambon estreará como Dumbledore em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" A série cinematográfica "Harry Potter" já tem um novo professor Dumbledore. Será Michael Gambon, segundo comunicado da Warner Bros, nesta sexta-feira. Gambon, nascido na Irlanda, substituirá Richard Harris, que morreu no ano passado. O ator irlandês atuará no terceiro filme da série "Harry Potter". "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" já começou a ser filmado na Inglaterra e a escolha de Gambon como o novo Dumbledore era guardada como segredo até então. Entre os outros possíveis candidatos para o papel estavam Christopher Lee, Ian McKellen e Peter O'Toole, que era um grande amigo de Harris. Gambon, de 62 anos, já interpretou diversos papéis no cinema, incluindo um milionário no filme "Assassinato em Gosford Park", de 2001, e o sinistro proprietário de terras em "A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça", de 1999. Ele também fez o papel do presidente norte-americano Lyndon Johnson em "Path to War", um longa metragem realizado especialmente para televisão em 2002. Por sua vez, Harris, que morreu em outubro, aos 72 anos de idade, havia aceitado o papel do simpático professor de magia porque sua neta é fã dos livros de "Harry Potter". A Warner Bros também anunciou que Gary Oldman interpretará o "Prisioneiro" do título, um misterioso personagem chamado Sirius Black, que escapa da mágica prisão de Azkaban e vai atrás de Potter e seus amigos. As vendas em todo o mundo dos primeiros quatro livros de "Harry Potter", da escritora britânica J.K. Rowling, ultrapassam os 190 milhões de cópias. Já o quinto livro da série, "Harry Potter e a Ordem de Fênix" começará a ser vendido em 21 de junho, com uma tiragem inicial de 6,8 milhões de exemplares. A versão cinematográfica de "Harry Potter e a Pedra Filosofal" arrecadou 317,5 milhões de dólares nos Estados Unidos e "A Câmara Secreta" obteve 260,5 milhões. (Com informações da Associated Press)
   

Topo

Caetano cantará na festa do Oscar

18 de fevereiro, 2003 A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos convidou Caetano Veloso para cantar na festa do Oscar, ao lado da cantora mexicana Lila Downs. Caetano interpretará a canção Burn it Blue, tema do filme Frida. O tema Burn it Blue é assinado por Elliot Goldenthal e sua mulher, Julie Taymor, diretora do filme. A trilha sonora de Frida venceu o Globo de Ouro deste ano. Concorrem também ao Oscar de melhor música Paul Simon, no páreo com a canção do desenho Os Thornberrys, a dupla John Kander & Fred Ebb (Chicago), os irlandeses do U2, de Gangues de Nova York, e o rapper Eminem, de 8 Mile. Caetano disse que gravou Burn it Blue a pedido de Julie Taymor. Ela e o marido, Elliot Goldenthal, autores da música, vieram ao Rio no início de 2002 para que Caetano pudesse gravá-la com Lila Downs. A presença brasileira na festa da Academia foi sempre tímida, especialmente nas categorias relacionadas com música. Um compositor brasileiro jamais concorreu ao prêmio de trilha sonora. E, no de canção, só mesmo Ary Barroso, com sua Rio de Janeiro, do filme Brazil, de 1944, teve essa chance. Caetano está também indiretamente na disputa do Oscar por aparecer cantando em uma cena de Fale com Ela, de Pedro Almodóvar, que concorre aos prêmios de melhor diretor e melhor roteiro original. (Com informação da RBS)
   

Topo

Benigni ganha indicação como pior ator e diretor
Ansa [ 17/02/2003 ]

O ator italiano Roberto Benigni e seu polêmico filme "Pinóquio" foram indicados para os Golden Raspberry, estatuetas que premiam o pior do mundo do cinema e ridicularizam seus protagonistas. Trata-se da 23a edição dos temidos prêmios Framboesa, que serão entregues em 22 de março, um dia antes da cerimônia dos Oscar. O filme dirigido e protagonizado por Benigni compete na categoria de filme mais desastroso de 2002 com "Swept away", de Guy Ritchie; "The adventure of Pluto Nash", com Eddie Murphy, e "CrossRoads", filme que marcou a estréia no cinema da cantora Britney Spears. Roberto Benigni também foi indicado como pior ator, pior diretor e, junto à atriz Nicoletta Braschi, pior casal de atores. Madona, Jennifer Lopez, Britney Spears, Angelina Jolie e Winona Ryder foram as indicadas para o prêmio de pior atriz. Os prêmios, que são entregues desde 1980, reconhecem os piores do mundo do cinema e em geral os indicados não costumam comparecer à cerimônia para receber sua estatueta.

   

Topo

A ORDEM DE FÊNIX - de Harry Potter será mais caro.

O próximo livro de Harry Potter, "A Ordem de Fênix", vai custar mais caro do que seus antecessores, informou a editora Scholastic, responsável pelo lançamento do livro nos EUA.
O preço será de 29,99 dólares (algo em torno de 107,00 reais). Este preço poderá fazer do livro um recordista - não de vendas - mas de livro infantil mais caro de todos os tempos, segundo a representante da cadeia de livrarias Borders, com megalojas em Los Angeles e outras cidades. Já a representante da concorrência, Barnes & Noble, acredita que já existiram títulos infantis mais caros. No Brasil, a editora Rocco (que publicou todos os títulos lançados em português) ainda não informou qual será o preço do novo livro e nem a data de lançamento. De qualquer maneira, os fãs aguardam ansiosamente o lançamento do próximo livro do bruxinho, que sai daqui a cinco meses nos 'states'. E não é só a garotada que está esperando! Muitos marmanjos americanos compraram os livros anteriores, como "O Cálice de Fogo". O título ficou em primeiro lugar na lista dos mais vendidos do jornal "The New York Times", deixando John Grisham, Tom Clancy e outros escritores "adultos" na retaguarda, por meses a fio. Talvez o preço tenha aumentado exatamente por isso! Uma pena, para quem depende da mesada do "velho"...

 

DVDS RISCADOS As locadoras de Curitiba, e do Brasil, estão ficando desesperadas com o prejuízo acumulado com os DVDs riscados e com defeitos. Depois de alugar, o DVD volta com riscos, feito pelos usuários que não tomam o devido cuidado com o filme. Sabemos que a vida útil de um DVD é indeterminada, mas se bem cuidado é claro! Ninguém assume a responsabilidade por estes riscos. Quem vende para as locadoras diz que não pode trocar o DVD, pois ele já foi usado, e cobrar o custo do cliente final é o mesmo que perdê-lo. Alguns riscos até podem ser apagados polindo-se o disco, mas se o risco atingir a camada de gravação, um abraço, pode jogar fora! Hoje o prejuízo fica com a locadora. E os DVD's novos que tem defeitos, mas não tem riscos? Quem paga por isto ? Está faltando um pouquinho de cuidado dos usuários com os DVD's alugados, e do distribuidor de filmes para entender o problema, afinal de contas, nós, usuários, queremos um produto de qualidade, pois ele ainda custa muito caro, e quando são lançamentos, custam mais ainda. Quem pode trocá-los ? Afinal de contas, quem compra a maior parte dos DVD's lançados no mercado são as próprias locadoras.
   

Topo

Quinto livro de Harry Potter será lançado em junho

Último livro de Harry Potter foi lançado em meados de 2000 - 15 de janeiro, 2003 - Às 5:10 PM hora de Brasília (1910 GMT) - LONDRES (CNN) -- Os fãs do bruxinho mais querido do mundo receberam, nesta quarta-feira, uma notícia ansiada há quase três anos: "Harry Potter e a Ordem de Fênix", o quinto livro do personagem criado pela escocesa J.K. Rowling, será lançado em 21 de junho na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos. O anúncio foi feito pela editora Bloomsbury Publishing Plc., em Londres. Como a data do lançamento cairá em um sábado, a editora já espera que centenas de crianças e jovens pernoitem em filas quilométricas em frente às livrarias para comprar o livro. "(Rowling) escreveu uma nova aventura brilhante e completamente convincente", declarou o executivo-chefe da Bloomsbury, Nigel Newton. O quinto livro de Harry Potter começa assim: "O dia até então mais quente do verão atraía um silêncio abafado e sonolento para as grandes e quadradas casas de Privet Drive... A única pessoa no lado de fora era um adolescente que se recostava sobre um canteiro em frente ao número 4". Em outro trecho, Rowling escreve; "Dumbledore baixou as mãos e, através de seus óculos em meia-lua, analisou Harry". "Chegou a hora", ele disse, "de eu lhe contar algo que devia ter contado há cinco anos, Harry. Por favor, sente-se. Vou lhe contar tudo". O novo livro tem 38 capítulos e 255 mil palavras. É mais de um terço mais longo do que o quarto volume, "Harry Potter e o Cálice de Foto", disseram os editores em um release para a imprensa. Em sua edição norte-americana, "O Cálice" ficou com 752 páginas. Os três primeiros livros de Harry Potter foram lançados nos Estados Unidos em 1998 e 1999. Quando o quarto volume começou a ser vendido, exatamente no primeiro minuto de 8 de julho de 2000, o interesse pelas aventuras do bruxinho havia alcançado níveis tão estratosféricos que livrarias no mundo inteiro ofereceram festas à meia-noite para seus clientes. Em Minnesota, por exemplo, a Barnes & Noble transformou uma seção inteira da loja na "Cidade de Potter". Outras livrarias contrataram mágicos para promover o evento. Potter tornou-se um fenômeno na história literária, talvez até sem paralelos, e faz sucesso estrondoso em qualquer ramo da indústria do entretenimento onde apareça com seu rosto sardento e os inconfundíveis óculos arredondados. J.K. Rowling ainda pretende escrever mais duas aventuras do bruxinho. Os quatro primeiros livros venderam 80 milhões de cópias só nos Estados Unidos e quase 200 milhões no mundo inteiro, tendo sido traduzidos para 43 idiomas. "Harry Potter e a Pedra Filosofal" e "Harry Potter e a Câmara Secreta", os dois primeiros, foram adaptados para o cinema e, claro, foram sucesso de bilheteria. O primeiro faturou perto de US$ 1 bilhão em todo o mundo – foi o segundo filme mais visto, só perdendo para "Titanic" – e o outro, ainda em exibição, já amealhou US$ 772 milhões. Os produtos comercializados com a marca de Harry Potter renderam outro US$ 1 bilhão. Aos 37 anos, J.K Rowling ainda pretende escrever pelo menos mais dois livros com a saga do adolescente-fenômeno.
   

Topo 

Morre o ator Richard Crenna, de "Rambo"

Richard Crenna em uma foto de 2001 - LOS ANGELES, EUA (CNN) -- O ator norte-americano Richard Crenna, mais conhecido por sua participação na trilogia "Rambo", morreu de problemas cardíacos, depois de uma longa luta contra um câncer de pâncreas, informou sua filha, Seana, neste fim de semana. Crenna, que também trabalhou nos seriados de televisão "The Real McCoys" e "Slattery's People", morreu na noite de sexta-feira, na unidade de terapia intensiva do Cedars-Sinai Medical Centre, no estado da Califórnia. O ator tinha 76 anos e deixa duas filhas e um filho. "Aconteceu subitamente", disse Seana. "Nós não esperávamos isso". Crenna começou sua carreira artística nos anos 1940, no rádio. Em 1952 passou a trabalhar na televisão, trabalhando inclusive com Lucille Ball em "I Love Lucy". Em Hollywood, Crenna trabalhou com Audrey Hepburn em "Um Clarão nas Trevas" ("Wait Until Dark"); com Kathleen Turner em "Corpos Ardentes" ("Body Heat"); e com Matt Dillon em "Flaming Kid" ("The Flamingo Kid"). Outros de seus filmes incluem "Sabrina"; "Murder Times Seven" ("Conexão Manhattan"); e "Internal Affairs" ("A Outra Face do Crime"). Na série sobre Rambo – "Rambo, Programado para Matar"; "Rambo II – A Missão"; e "Rambo III" – Crenna fez o papel do coronel Trautman, o mentor do personagem-título, de Sylvester Stallone. Em 1988, o ator ganhou uma estrela na Calçada da Fama, de Hollywood.
   

Topo

Problema congênito causou a morte de Maurice Gibb

Maurice Gibb: dores estomacais, ataque cardíaco e cirurgia antes de morrer. MIAMI (CNN) -- A necropsia realizada por legistas de Miami revelou que Maurice Gibb, um dos três irmãos-fundadores do grupo Bee Gees, morreu por causa de um problema congênito que provocou uma torção em seu intestino. O laudo, divulgado quatro dias após a morte do cantor, compositor e músico, identifica o problema como "volvulo", ou oclusão intestinal. A necropsia foi realizada depois que a família de Maurice Gibb sugeriu que o Centro Médico Monte Sinai tivesse incorrido em erro médico. Gibb, 53 anos, foi levado para o hospital no último dia 8, queixando-se de fortes dores estomacais. No dia seguinte, foi submetido a uma cirurgia abdominal de emergência, pouco após sofrer um ataque cardíaco. O médico Jeffrey Raskin comparou o impacto da torção intestinal ao que acontece com uma mangueira de jardim com um nó: quanto mais apertado o nó, menos água passa pela mangueira. Raskin é chefe interino de gastrenterologia da Universidade de Miami e não teve qualquer vínculo com o atendimento a Gibb. Barry e Robin, os irmãos de Maurice, revelaram à BBC na segunda-feira suspeitar que os cirurgiões haviam errado no tratamento e prometeram apurar o que acontecera nos últimos momentos da vida do cantor. Entretanto, segundo Raskin, a necropsia não indicou se a morte de Gibb poderia ter sido evitada. "É impossível dizer se Gibb poderia ter sobrevivido", comentou Raskin, após analisar o laudo a pedido da CNN. "O médico que o atendeu é a única pessoa que pode responder às perguntas sobre o tipo de tratamento e por que fez o que fez", acrescentou. Ainda segundo Raskin, a necropsia sugeriu que os médicos retiraram uma grande parte do intestino de Gibb, nitidamente porque a oclusão havia comprometido o fluxo sanguíneo. O laudo também não esclareceu como o ataque cardíaco influenciou o diagnóstico do cantor, concluiu o médico.
 
   

12/2003 - Palmas  para o Filme CIDADE DE DEUS que é premiado no Círculo de Críticos de Cinema de NY. O filme de Fernando Meirelles, foi escolhido como o Melhor Filme Estrangeiro de 2003. O filme foi relançado nos EUA como parte de uma campanha da Miramax, sua distribuidora internacional, para tentar concorrer ao Oscar. O Círculo de Críticos de NY é referência para o cinema mundial e promove o prêmio desde 1939. Nesta época, nos EUA, começam a ser divulgadas as premiações que conduzem e indicam favoritos às principais como o Globo de Ouro e o Oscar. O prêmio de Melhor Filme da crítica nova-iorquina foi para "O SA - O Retorno do Rei", que estréia nesta quarta-feira, dia 17, nos EUA. Sofia Coppola foi eleita a Melhor Direção, por seu "Encontros e Desencontros", que também ganhou o prêmio de Melhor Ator para Bill Murray. "Cidade de Deus" quer entrar na corrida para o Oscar. A revista inglesa especializada "Uncut", sobre música e cinema, publicou em sua mais recente edição uma lista dos melhores filmes de 2003, na qual indica "Cidade de Deus" como o primeiro, seguido por "Kill Bill" (Quentin Tarantino), "Adaptação", "Lilya 4 Ever" e "O Pianista" (Roman Polanski). O filme de Fernando Meirelles também foi nominado para o Independent Spirit Awards na corrida pelo prêmio de Filme Estrangeiro.
Fonte:Folha Online

12/2003 - Palmas  para a comédia “UM DUENDE EM NOVA YORK” que é um fenômeno nos EUA. Desbancou Matrix e subiu para o primeiro lugar. A comédia dirigida por Jon Favreau firmou-se com um forte boca a boca e agora, a previsão da distribuidora, é atingir a marca de 150 Milhões de Dólares. A comédia natalina deste final de ano que estréia no Brasil em 05/12, conta à inusitada história de um bebê adotivo, que por engano, foi criado por duendes no Pólo Norte. Quando Buddy cresce, fica evidente para si e para sua família de duendes, que não pertence àquele lugar. Assim, ele ruma para Nova York à procura de sua verdadeira família. Embora Buddy encontre um mundo que jamais soube existir, logo aprende que a vida na cidade grande não é só patinação no gelo e confeitos de açúcar, e se descobre um estranho, tanto quanto era no Pólo Norte. Buddy procura seu pai verdadeiro, Walter, um editor de livros infantis viciado em trabalho e que faz parte dos “mal comportados” na lista de Papai Noel. Walter não acredita que Buddy seja o quê ou quem diz ser; na verdade, a única coisa em que Walter acredita, sem muita certeza, é no lucro líquido. Por fim, Buddy ensina a seu pai e a todas as pessoas, sobre o verdadeiro espírito do Natal. Um filme dedicado à família que agrada adultos, jovens e crianças.

20/11/2003 - Palmas  para Elói Pires Ferreira.

Palmas  para O paranaense Elói Pires Ferreira que filma seu primeiro longa-metragem. Fé na boléia de um caminhão. O filme tem como personagem central um padre-caminhoneiro. A Filmagem de seqüência de O Sal da Terra, em que o padre realiza uma missa dentro de um caminhão. Apesar de estar colhendo vários prêmios em recentes festivais de cinema, a produção paranaense teve um pequeno recuo em 2003, situação não muito diferente do restante no país, pois, até a metade do ano, houve muitas indefinições na área audiovisual por conta da troca dos governos federal e estadual. Mas a atividade cinematográfica não cessou no Paraná e alguns filmes continuaram a ser rodados neste ano. Um dos trabalhos em produção atualmente no estado é O Sal da Terra, primeiro longa-metragem de Elói Pires Ferreira. As filmagens estão acontecendo desde o final de outubro e percorrerão diversas cidades paranaenses até o dia 20 de dezembro – a equipe de Ferreira já filmou seqüências em Araucária, Curitiba e Antonina. Com roteiro do próprio diretor, escrito ao lado de José Olímpio e Altenir Silva, e diálogos de Rafael Camargo, O Sal da Terra conta a história de um padre que percorre as estradas brasileiras num caminhão-capela.

Fonte:Gazeta do Povo

01/10/2003 - Palmas  para Quentin Tarantino.

Palmas  para Quentin Tarantino que apresentou o seu novo filme para o público. "Kill Bill: Parte I" que teve pré-estréia nesta segunda-feira em Los Angeles e contou com a presença de todas as suas musas: Daryl Hannah, Uma Thurman e Lucy Liu. Uma contou aos jornalistas que teve que treinar muito para dar mais dramaticidade às seqüências de luta. O filme é apenas a primeira parte da idéia de Tarantino. A Miramax preferiu lançar "Kill Bill" em duas partes com três horas de duração cada, disse Harvey Weinstein, chefão da produtora, que também esteve presente à pré-estréia. O filme é estrelado por Uma Thurman e foi escrito por Tarantino para a atriz. Ela é uma assassina, conhecida como "A noiva". No dia do seu casamento, leva um tiro e fica em coma. O mandante do crime é Bill, seu ex-patrão e ex-amante. Quatro anos depois, a Noiva acorda e decide eliminar toda a quadrilha de Bill, inclusive o trio formado por Daryl Hannah, Lucy Liu e Vivica Fox. Ainda no elenco estão Jason Bings e David Carradine, ator que estrelou séries de kung-fu na TV nos anos 70, como o chefão Bill. O papel seria, anteriormente, de Warren Beaty. Mas o próprio Beaty indicou Carradine. Foram 155 dias de filmagens. Há muita violência: para uma das cenas foram usados quase cem galões de sangue falso.

15/08/2003 - “Encontro de amor” é felicidade previsível.

Filme revive saga da princesa e do plebeu em que o acaso faz o destino de ambos mudarem para sempre.

Pela enésima vez, a indústria hollywoodiana revive o clichê do amor impossível. Como ocorre em “Uma Linda Mulher”, “Noiva em Fuga”, “Um Lugar Chamado Nothing Hill”...o galã rico, lindo e cobiçado, mas sem uma esposa à altura, vê o destino dar-lhe a ajuda de que tanto necessita, e acha a musa que tanto merece (“Obrigado diretor, agora sou feliz!” É o que deveria ouvir-se do ator neste momento).
Com atores de pouco prestígio como Jennifer Lopez (originalmente cantora) e Ralph Fiennes o filme apesar de bom no início, perde-se num roteiro sem reviravoltas ou grandes emoções. Em Nova Iorque, num hotel renomado, Christopher Marshall, (Fiennes) o playboy da política americana, hospeda-se no hotel onde Marisa Ventura (Lopes) é camareira. Por “acaso” conhece Ty (filho de Marisa) um garoto muito esperto e fã de política.

12/08/2003 - Voando Alto mostra conflito entre amor e trabalho.

Quando você estiver sem nada melhor a fazer, e decidir ir ao cinema naquele dia chuvoso e frio, como os atuais de inverno, apenas para divertir-se com uma comédia “light” à la “Sessão da Tarde”, escolha este filme. A falta de contexto de um roteiro preguiçoso e melodramático do estreante Eric Wald, faz rir pelo deboche, mas jamais pelo riso sincero e atraente da película. Vale ressaltar apenas, em meio à mesmice das cenas, a fotografia belíssima do brasileiro Affonso Beato (Deus e o Diabo na terra do sol, Tudo sobre minha mãe, Mundo cão, Deus é brasileiro) e os coloridos uniformes da figurinista Mary Zophres.
De resto, sobram as fórmulas que você já viu incontáveis vezes, como o conflito de interesses entre o amor e a carreira profissional. Um detalhe extra aconteceu nos bastidores: “Como Voando alto custou 35 milhões de dólares à Miramax e parou nos 15 milhões de bilheteria, configura-se o fracasso”. Com isso, surgem desabafos como o de uma Gwyneth revoltada, apelidando o filme de View from my ass, em referência aos inúmeros closes que recebe seu formoso bumbum. Na verdade, ela não percebeu, ou não quis aceitar, que o alicerce do filme é exatamente este, a mistura de espírito vulgar com atitude suburbana, e que os dotes de Christina Applegate e Kelly Preston são igualmente bem focalizados.
Mas, discrepâncias à parte, não é todo dia que um brasileiro assume responsabilidades no mercado americano. Em entrevista ao Jornal do Brasil, Barreto disse que o estúdio prejudicou o filme, originalmente escrito, filmado e editado como uma sátira de humor negro, com final romântico.
Por outro lado, o diretor não tem do que reclamar. Trabalha desde 1990 com filmes nos Estados Unidos. Ninguém no Brasil conhece como ele as engrenagens de Hollywood. E Barreto sabe que as regras do jogo, como os clichês de seu filme, são evidentes e manjadas.
Salve-se quem puder. Contanto que prevaleça a “indústria cultural americana, claro!”.

12/08/2003 - A estranha família de Igby traz enredo drama-cômico

Um garoto de família rica que passa parte da infância vendo o pai ir à loucura, que foge da escola militar e vai para Nova York em busca de diversão e um sentido em sua vida, é a temática da obra. Mesmo tocando em questões sociais de impacto como adultério, consumo de drogas pesadas, problemas mentais e abuso de poder, o filme dá a sensação de não querer levar esses temas à sério.
A estória perde-se neste ponto, em não saber que caminho seguir: o de comédia ou drama. Já, a platéia fica desconfortável, sem saber se deve rir da tragédia ou chorar com as palhaçadas. Nem os diálogos ajudam. Demasiadamente forçados, com frases prontas, apenas contribuem para a falta de realismo do filme.
O filme não é inteiro ruim. Jeff Goldblum, como padastro, e Susan Sarandon, como a mãe de Iggy estão muito bem. E Claire Danes é Sookie, uma bela vegetariana capaz de enrolar cigarros de maconha perfeitamente e que, além de soltar um "não" em sua primeira cena, acaba tendo um caso amoroso com Igby (Kieran Culkin, irmão de Macaulay "Esqueceram de mim" Culkin).
Escrito e dirigido pelo novato Burr Steers, Igby vai à luta tenta ser uma mistura do bom filme Royal Tenenbauns, de Wes Anderson, com o clássico livro O apanhador no campo do centeio, de JD Sallinger, mas não chega nem perto.
Uma boa idéia mal executada. Um bom passatempo sem maiores pretensões. Ou sem nenhuma. Divirta-se se puder!

Por
Eduardo Maestro.

08/08/2003 - Homem do Ano agrada mas não empolga.

O resultado na tela é muito bom, mas não chega a extasiar. O cinema-verdade de "contrapartida social" consagrado em O Invasor (de Beto Brant, 2001), Cidade de Deus (de Fernando Meirelles e Kátia Lund, 2002) e Carandiru (de Hector Babenco, 2003), agrada mais uma vez. O mundo brega do subúrbio é visto por uma veia cômica, porém, não deixa de ser um retrato fiel do subúrbio carioca, cheio de medo e das armadilhas das drogas.

Os atores não decepcionam. Murilo Benício, um Máiquel parecidíssimo com outro personagem seu, o Toninho de Os Matadores (de Beto Brant, 1997) está ótimo. Os tiques e trejeitos são mais que eficientes, e varia do "não entendo nada então tô cagando e andando" ao "cara de cachorro perdido", passando por acessos repentinos de fúria e por uma piscadela pesada, do tipo "será que é isso mesmo que estou vendo?".

Já Natália Lage e Cláudia Abreu, são corajosas que encaram a vida de frente. Sem esquecer de Paulo César Pereio, no papel de Seu Humberto, dono machista da loja de animais que, apenas no livro, sofre com as violências da esposa. Já a trinca de ricaços interpretados por Jorge Dória, José Wilker e Agildo Ribeiro apontam na direção do humor negro, já que todo brasileiro têm o dom de rir de si mesmo, eles dão uma forcinha.

Ao fim da jornada, os acontecimentos parecem ter sido narrados de maneira apressada, sem o necessário aprofundamento, especialmente na metade final. São defeitos que nada ofuscam as qualidades mais evidentes do filme, principalmente em fotografia e direção de arte.

Uma ótima história, com introdução e primeiro ato impecáveis, sombria e relevante num equilíbrio devido. Filme policial, acima da média, com um porquinho que é um luxo. Muitas gargalhadas e ótimas sacadas de roteiro é diversão (e brasileira, o que é ótimo) das boas.

Por Eduardo Maestro.

24/07/2003 - Morre aos 66 anos o ator Rogério Cardoso

O ator, à esquerda em cena do seriado "A Grande Família", completou 50 anos de carreira no ano passado.  RIO - Morreu nesta quinta-feira pela manhã, no Rio, o ator Rogério Cardoso. Ele teve um infarto fulminante e morreu em casa, em Copacabana, na zona sul do Rio. O velório e o enterro serão realizados no Cemitério São João Batista, em Botafogo. Paulista da cidade de Mococa. Cardoso tinha 66 anos e três filhos. Participou de várias novelas, minisséries e filmes, como 'O auto da compadecida', 'Hilda Furacão' e 'Explode coração'. Atualmente, ele atuava nos programas 'A grande família', em que interpretava o personagem Seu Flor, e no programa 'Zorra total', em que contracenava com a atriz Nair Belo, sua grande amiga. O ator completou 50 anos de carreira no ano passado. 24/07/2003 - Lúcio Mauro passa mal no velório de Rogério Cardoso. Começou há 15 minutos, para os fãs, o velório do ator Rogério Cardoso, que está sendo realizado no salão de entrada da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O ator Lúcio Mauro teve que ser amparado pelos familiares de Rogério, porque passou mal ao ver o corpo do amigo. O enterro será amanhã às 9h no Cemitério Municipal de Mococa, no interior de São Paulo. O corpo segue ainda hoje para São Paulo e será velado no Museu de Arte Sacra do município. 25/07/2003 - Enterro do ator Rogério Cardoso será realizado hoje. O corpo do ator Rogério Cardoso, que morreu nesta quinta-feira no Rio de enfarte, será enterrado hoje à tarde no Cemitério Municipal de sua cidade natal, Mococa, no interior de São Paulo. Ele tinha 66 anos. Ele teve um infarto fulminante e morreu em casa, em Copacabana, na zona sul do Rio. O velório foi realizado na Câmara de Vereadores do Rio, com a presença de centenas de pessoas, incluindo seus colegas do elenco de A grande família, Marieta Severo, Lúcio Mauro Filho, Marcos Nanini, Pedro Cardoso e Guta Stresser, além de vários outros atores da Rede Globo. O destino do personagem no seriado será decidido em uma reunião entre o autor Cláudio Paiva, o diretor geral Mauro Mendonça Filho e todo o elenco. (Fonte: Gazeta do Povo) http://www.gazetadopovo.com.br

22/07/2003 - Igreja faz acordo sobre caso do filho do autor de Senhor dos Anéis.

A Igreja Católica chegou a um acordo fora dos tribunais com um jovem que pertenceu a um coro e disse ter sido vítima de abusos sexuais por parte de um sacerdote, que é filho do autor da saga "O Senhor dos Anéis", John R.R. Tolkien.
O pároco John Tolkien, que morreu em janeiro aos 85 anos de idade, foi acusado de abusar sexualmente de Christopher Carrie durante os anos 50, quando era vigário da Igreja dos Mártires Ingleses em Birnmingham, centro da Inglaterra.
A polícia britânica começou a investigar a denúncia em 2001, mas estimou que Tolkien estava doente demais para ir a julgamento.
- Chegamos a um acordo final de US$ 23 mil sem admissão de dívida - disse o assessor de imprensa da Arquidiocese de Birmingham, Peter Jennings. - O padre John Tolkien sempre negou enfaticamente, ao longo de sua vida, que havia abusado de alguém.

Matéria: Globo.com.

11/07/2003 - Universal lança O Incrível Hulk em DVD

DVD protagonizado por Bill Bixby, mostra origem da famosa série de TV.
O DVD O Incrível Hulk traz dois longas-metragens históricos. O primeiro, de 1977, é o piloto que deu origem ao seriado. O segundo - Casado, de 1978 - foi exibido na televisão dos EUA com grande sucesso, e lançado nos cinemas da Europa. Estará nas lojas a partir de nove de julho.
O Incrível Hulk – O Filme
O pesquisador e cientista David Bruce Banner passa por uma profunda depressão por não ter conseguido salvar a vida de sua esposa de um terrível acidente automobilístico, e inicia uma pesquisa sobre os motivos que levam alguém a obter força sobre humana em momentos de extrema tensão. Ao lado da Dra. Elaina Marks, Banner conclui: existem pessoas, portadoras de uma simples alteração genética, que extrapolam suas próprias limitações físicas quando expostas a uma certa dose de raios gama, emanados do Sol, e submetidas a situações de forte estresse.
Ao aplicar a descoberta em si próprio, se submete a uma dose excessiva de raios que provocam uma situação inusitada: sob forte tensão, seu corpo sofrerá um terrível mutação que o transformará no poderoso e incrível Hulk. Vítima de seu próprio destino, o cientista torna-se um fugitivo de si mesmo, perambula pelos Estados Unidos e sobrevive de sub-empregos, enquanto tenta conseguir o antídoto para a sua maldição.
Extras:
Bem-Vindo ao Parque Temático dos Estúdios Universal no Japão.
Spot de TV
Trailer/ Teaer
CURIOSIDADES:
- O Incrível Hulk é um dos seriados de TV de maior sucesso de todos os tempos. Baseada no famoso personagem criado por Stan Lee em 1962, a série filmada estreou na televisão americana em 10 de março de 1978, permanecendo no ar, com episódios inéditos, até 2 de junho de 1982.
- Para a "transformação" do Dr. Banner, entra em cena o ator Lou Ferrigno, eleito Mr. América em 1973 e Mr. Universo em 73 e 74. Adepto do fisiculturismo, Ferrigno foi jogador profissional de futebol americano no Canadá. Ele mede 1,97 m e no auge de sua forma física pesava 125 quilos de puro músculo.
- Ferrigno também participa do novo Hulk, de Ang Lee, no papel de um segurança. Atualmente aos 51 anos de idade, ele continua em atividade no cinema e na TV.
- O Incrível Hulk (The Incredible Hulk). EUA, 1977. Direção de Kenneth Johnson. Com Bill Bixby, Lou Ferrigno, Susan Sullivan e Jack Colvin. 91 minutos.
- Casado (The Incredible Hulk: Married). EUA, 1978. Direção de Kenneth Jonhson. Com Bill Bixby, Lou Ferrigno, Mariette Hartley e Jack Colvin. 97 minutos. Lançamento Universal Pictures.

Por Eduardo Maestro.

06/07/2003 - O Agente Teen traz espionagem aos moldes de 007

Filme é estrelado por Frankie Muniz, indicado ao Emy e Globo de Ouro de Melhor Ator por séries cômicas de TV
O filme de muita ação e enredo envolventes, retrata aventuras de um adolescente treinado para ser um agente secreto dos Estados Unidos, que carrega um grande segredo escondido a sete chaves, até da família: em instalações muito secretas disfarçadas de colônia de férias, Banks recebeu um treinamento super especial e se transformou num agente secreto de elite da CIA que o permite dirigir como um dublê, lutar como um profissional, possuir um arsenal de invenções tecnológicas e, para empolgar e completar a ação, ter uma chefe sexy – a agente Ronica Miles (Angie Harmon, mais conhecida como a assistente da promotoria Abbie Carmichael, na premiada série de TV Lei & Ordem).

Ao receber a primeira missão, o agente descobre que terá de se aproximar da garota de seus sonhos na escola, Natalie Connors (Hilary Duff, da série do Disney Channel, Lizie McGuire, de Corações Apaixonados), para espionar o pai dela, um cientista que está desenvolvendo uma frota mortal de Nanobots – robôs microscópicos com poder de destruir o planeta. O único problema: a CIA gastou US$ 10 milhões treinando-o, mas não o ensinou a falar com as garotas.

Agora, terá de transitar pelo perigoso mundo da espionagem internacional, usando tudo o que aprendeu para salvar o mundo, participando de perseguições de carro e snowmobile, andando pelo teto com sapatos especiais e se infiltrando em laboratórios secretos, ao mesmo tempo em que terá de fazer suas lições e tarefas em casa para não ficar de castigo.

A trama é dirigida pelo holandês Harald Zwart , que começou a fazer filmes com apenas 8 anos de idade, e que além de bem sucedido diretor de publicidade de videoclips da Europa, já trabalhou com a aclamada série de TV Comando 007 e com o filme Que Mulher é Essa, estrelado por Liv Tyler, Michael Douglas, Matt Dillon e Paul Reiser.

O elenco é composto por Keith David (Barbershop, Quem Vai Ficar com Mary?, Lendas da Vida), Cynthia Stevenson (Felicidade, Esqueça Paris, O Jogador), Cody Banks (Frankie Muniz, jovem ator elogiado pela crítica por sua atuação como Malcolm, no seriado de TV Malcolm in the Middle) é um típico adolescente que adora andar de skate, detesta matemática e se sente um completo idiota quando está perto de garotas.

O AGENTE TEEN (Agent Cody Banks) estréia nos cinemas brasileiros no dia quatro de julho.

Por
Eduardo Maestro.

30/06/2003 - Morre Katharine Hepburn

A atriz Katherine Hepburn morreu hoje às 14h50 em Fenwick, nos Estados Unidos. A atriz morreu de causas naturais.

Hepburn, de 96 anos, venceu quatro vezes o Oscar de melhor atriz, pelos filmes "Manhã de glória" (1933), "Adivinhe quem vem para jantar?" (1967), "Leão no Inverno" (1968) e "Num Lago Dourado" (1981). Foi uma feminista convicta e encarnou com freqüência a mulher americana desejosa de se libertar da tutela dos homens. Inteligente, culta, especializou-se na comédia de costumes que foi marca de diretores como George Cukor e Frank Capra.

Nascida em 12 de maio de 1907 em Hartford, Connecticut, filha de um médico e de uma feminista, Katherine sempre foi encorajada pela família a falar o que pensava. Aos 14 anos, ficou arrasada com a morte do irmão, que teria se enforcado acidentalmente com um truque para suspensão que o próprio pai lhe ensinara. Por muitos anos, transtornada, Katherine tomou a data do aniversário do irmão, 8 de novembro, como sua própria.

Depois da tragédia, a atriz ficou muito tempo sem querer ter contato com pessoas e estudava em casa. Passado o período crítico de isolamento, decidiu estudar artes cênicas na faculdade Bryn Mawr. Foi quando tomou gosto pela arte e optou pelo teatro, fazendo suas primeiras apresentações lá mesmo, no palco da faculdade. Depois da graduação, começou a ganhar pequenos papéis em peças da Brodway. Sempre teve destaque nas produções por que passava, sendo um de seus maiores êxitos "Art and Mrs. Bottle", em 1932. Convites para filmes foram surgindo e sua estréia oficial no cinema foi em "Vítimas do divórcio", de 1932, ao lado de John Barrymore. O filme foi um grande sucesso e, entre 32 e 34, ela estrelou mais cinco produções. A terceira delas, "Manhã de glória", foi responsável por seu primeiro Oscar. O mais bem-sucedido na época, porém, foi "Adoráveis mulheres" (1933).

Depois disto, começaram a surgir rumores sobre o mau comportamento da atriz fora das telas e sua resistência à participar do que classificava como "jogo hollywoodiano". Sempre de calças e sem maquiagem, ela se negava a posar para fotos e dar entrevistas. A partir daí, Katherine começou a ser rechaçada pelos críticos. Em 34, quando voltou para a Broadway, as coisas não ficaram melhores. Em 38, ela estrelou nos palcos "Núpcias de escândalo" e conseguiu voltar para Hollywood ao comprar os direitos da versão da peça para o cinema, o que lhe deu poder para escolher diretor e atores para sua produção. Assim ficou marcada sua volta ao estrelato, coroada com uma indicação ao Oscar naquele ano.

Ao encontrar com Spencer Tracy em "A mulher do dia", ela começou um romance com o ator, que duraria mais de 25 anos e renderia diversas parcerias bem-sucedidas no cinema. Recordista de indicações para o Oscar - foram ao todo 12, Katherine conquistou quatro estatuetas, o que lhe conferiu o título de atriz mais premiada pela Academia até hoje. Seu último filme com Tracy - também o último filme dele - foi "Adivinhe quem vem para jantar?", em 1967. Foi sua segunda estatueta. Tracy morreu poucas semanas depois do fim das filmagens. O terceiro Oscar foi uma resposta à sua atuação em "Leão no inverno" (1968). Treze anos mais tarde, ela ainda ganharia sua quarta estatueta por "Num lago dourado", em que contracenou com Henry Fonda.

Seu filme mais recente foi "Segredos do coração", com Warren Beatty e Annette Bening.

Fonte: Gazeta do Povo - Globo.com
LINK PARA A NOTÍCIA NA GAZETA DO POVO

22/06/2003 - A Viagem de Chihiro é lançamento da Europa Filmes

Vencedor do Festival de Berlim 2002 e do Oscar em Animação 2003, chega aos Cinemas em Julho.

Chihiro, uma menina esperta de 10 anos, está de mudança. Nos arredores do novo bairro, depara-se com um parque de diversões abandonado. Como num sonho ela começa a viver uma grande aventura num mundo encantado, habitado por fantásticas criaturas e passa a ser protegida por Haku, um menino com poderes mágicos. Para salvar seus pais e voltar ao nosso mundo, é convocada a mostrar sua humildade, coragem e determinação.

Ela acredita que o Universo inteiro deve-se submeter a seus caprichos. Quando os pais dela, Akio e Yuko, contam que precisam mudar de casa, ela fica muito aborrecida e não esconde o que sente. A garota se agarra à memória dos amigos que deixou em uma outra cidade para sobreviver na nova vida. Viaja agarrada ao buquê de flores de despedida, a última lembrança de sua antiga vida.

No final de uma estranha rua, que acreditavam fazer parte do caminho para a nova casa, a família se depara com um prédio vermelho no qual Metragemum (túnel infinito) boceja como uma boca gigantesca. Relutante, Chihiro acaba seguindo seus pais, que entraram no prédio.

O túnel leva a uma cidade fantasmagórica. Caminhando pela cidade, os pais de Chihiro encontram um banquete suntuoso. Akio e Yuko deliciam-se no monte de comida, mas acabam transformados em porcos. Eles mal sabiam que estavam vagando por um fantástico mundo habitado por deuses antigos e seres mágicos, e governado por uma feiticeira endiabrada, a bruxa Yubaba.

Yubaba explica para Chihiro que todos os humanos que entram no mundo dos espíritos são transformados em animais antes de serem mortos e devorados. Todos os que escapam deste destino trágico são condenados á morte se provarem ser inúteis.

Felizmente, Chihiro acha um aliado. O enigmático garoto Haku. Para sobreviver neste mundo novo, estranho e perigoso, ela tem de se tornar útil e trabalhar na casa de banhos da velha Yubaba. Renuncia sua preguiça, sua humanidade, sua razão, suas as recordações e até mesmo seu nome, passando a ser chamada apenas de Sen, nome escolhido pela bruxa.

Um enigma com fantásticas imagens e de muita ação, que agradará jovens e adultos, bem ao estilo Pokemón e dos desenhos japoneses, de muito bom gosto e qualidades inquestionáveis.

Por
Eduardo Maestro.

(Filme: Spirited Away; EUA e Japão 2001; 122 minutos; Livre)
Informações: www.aviagemdechihiro.com.br

Denzel Washington estréia como diretor em VOLTANDO A VIVER – ANTWONE FISHER

Filme estréia nos cinemas dia 13 de junho com o ator Derek Luke
Depois de ganhar um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo épico Tempo de Glória e de ter sido o grande vencedor do Oscar de Melhor Ator pelo policial Dia de Treinamento, o astro Denzel Washington estréia como diretor com o drama VOLTANDO A VIVER – ANTWONE FISHER (Antwone Fisher, 2002), baseado em fatos reais.
O filme também marca a estréia do jovem ator Derek Luke (que participou de episódios da série de TV The King of Queens) e foi reconhecido pelos críticos do National Board of Review como Melhor Revelação Masculina.
O enredo apresenta o marinheiro Antwone Fisher (Derek Luke) como um jovem agressivo que, com a ajuda do psiquiatra naval Jerome Davenport (Denzel Washington), inicia uma luta para superar sua traumática infância e decide procurar a família que jamais conheceu.
Depois deste projeto totalmente novo em sua carreira, Denzel já trabalha em um novo lançamento – o filme Man on Fire, que começou a ser rodado no México e traz no elenco, Christopher Walken, Dakota Fanning e Giancarlo Giannini.

Por Eduardo Maestro.

O Crime do Padre Amaro conquista nove Prêmios Ariel

A adaptação cinematográfica de "O Crime do Padre Amaro'', romance do português Eça de Queiroz, foi a grande vencedora na premiação do Ariel, o Oscar mexicano. A produção da Columbia Pictures conquistou nove estatuetas, incluindo a de melhor filme, diretor (Carlos Carrera) e roteiro adaptado. A história do padre que engravida uma jovem fiel e a obriga a fazer um aborto, ainda levou os troféus de melhor atriz coadjuvante (Angelica Aragon), ator coadjuvante (Damian Alcazar), ator em papel menor (Ernesto Gomez Cruz), montagem, som e figurino.
Fenômeno de bilheteria no México, "O Crime do Padre Amaro'' arrecadou aproximadamente US$ 15 milhões nas bilheterias do país. Em 21 semanas em cartaz nos EUA, a renda chegou a US$ 5,7 milhões. O diretor Carlos Carrera dedicou o prêmio à mãe, ao ator Gael Garcia Bernal, ao produtor Alfredo Ripstein e ao roteirista Vicente Lenero. "Nossos melhores divulgadores foram os bispos e as entidades que consideraram o filme um pecado e pediram que o público não fosse vê-lo. Eu nunca poderei retribui-los pela ajuda", completou o diretor. O polêmico "O Crime do Padre Amaro" será lançado dia 10 de junho em DVD e VHS pela Columbia TriStar Home Entertainment.

Por Eduardo Maestro.

Foi só um Beijo explora amor, dor e dramas da paixão

Uma versão original da comédia romântica no estilo de um pesadelo kafkaniano, com uma viagem sensual e surrealista através dos campos minados da desconfiança, do erro de comunicação, da não percepção dos sinais e da confusão do relacionamento moderno, dando um olhar novo e provocante às conseqüências da traição, são as ferramentas idealizadas pelo estreante em direção, o ator, Fisher Stevens (O IMBATÍVEL, HACKERS — PIRATAS DE COMPUTADOR, SÓ VOCÊ, O REVERSO DA FORTUNA, UM ROBÔ EM CURTO-CIRCUITO 2, QUE GAROTA, QUE NOITE). O uso do tema clássico da infidelidade entre homens e mulheres fora mudado com uma nova roupagem. Explora-se aqui as conseqüências dramáticas quanto cômicas das escolhas mais importantes da vida: beijar ou não beijar, a quem amar e por quê.
Um beijo ilícito põe um grupo de jovens habitantes de Manhattan no meio do sombrio redemoinho das modernas neuroses românticas. Ao abandonarem seus relacionamentos promissores, cada um deles entra numa Nova York surrealista de indiscrições sexuais e acidentes caóticos. Nesta metrópole o destino, a luxúria e a perda, às vezes perigosa e geralmente cômica, colidem.
Trair ou não trair? Essa é a pergunta com a qual se deparam dois casais urbanos: o diretor de comerciais Dag e a sua namorada realista Halley; e o mascote do comercial de Pasta de Amendoim, Peter, e sua namorada adepta de Prozac, Rebecca. Quando se pega tentado a beijar a namoradeira Rebecca, Dag acaba cedendo sem pensar que esse pequeno ato terá conseqüências colossais e afetará as vidas de todos aqueles com quem tem ligação. Dag se vê envolvido num pesadelo romântico, já que a sua infidelidade desencadeia uma reação em cadeia de término de envolvimentos emocionais — e um estopim para novas atrações sexuais. Abatidas, cada vítima da infidelidade decide entrar em contato com o seu “eu” interior. Peter se envolve com uma comissária de bordo cinéfila numa viagem que se transforma em manchete de jornal. Igualmente chateada, Halley deixa que um músico de fala doce “toque as suas cordas”. Enquanto isso, Rebecca fica fora de controle novamente e Dag, literalmente, acaba preso depois de seduzir uma dominatrix que trabalha num boliche. Atirados numa confusão estonteante, Dag e seu círculo de amigos retornam aonde tudo começou com apenas um beijo e com uma rara segunda chance para, dessa vez, fazerem as escolhas certas. Se o destino deixar...
Estréia prevista em circuito nacional dia 13 de Junho. Distribuidora: UIP.

Por
Eduardo Maestro.

A Noite Americana estréia nos Cinemas

Os bastidores de uma filmagem com a aflição do diretor que precisa tomar decisões importantes a cada instante, não só sobre o filme mas também sobre as emoções de sua trupe de atores, fazem parte desta trama de ação e de uma volta ao passado romântico e saudosista da década de 70 na Europa. O filme se passa na França e mostra uma empresa produtora de filmes e seu trabalho. Atores chegando e partindo, relacionamentos se criando. Julie, a linda e talvez instável estrela, recobra-se de uma depressão, ajudada por um médico mais velho, e seu novo marido. Alphonse é inseguro. Quando sua noiva sai com o “stunt” man, ele quer abandonar as filmagens. É Julie que o convence a ficar. Alexandre, um verdadeiro profissional no set, corre para o aeroporto na expectativa de que um certo jovem chegue em visita. Severine, não mais tão jovem, vira a garrafa e diz suas linhas com emoção à flor da pele. E no centro de tudo está Fernand, o diretor e roteirista, que precisa tomar decisões a cada instante, responder a uma grande quantidade de perguntas e entregar o filme dentro do prazo.

Direção: François Truffaut. Roteiro: Jean-Louis Richard, Suzanne Schiffman e François Truffaut Elenco: Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Alexandra Stewart, Jean-Pierre Aumont, Jean-Pierre Léaud, François Truffaut, Nathalie Baye

Por
Eduardo Maestro.

“Confissões de uma Mente Perigosa” mostra a batalha entre fama, sucesso e sanidade

“Meu nome é Charles Hirsch Barris. Compus músicas pop e fui produtor  de televisão. Sou responsável por poluir a televisão com entretenimento tolo e sem conteúdo. Além disso, eu assassinei 33 seres humanos.”

A mistura entre o bem e o mal, sucessos e desilusões, fama, mulheres e solidão, é narrada neste belo filme, vencedor do Urso de Prata Sam Rockwel, no Festival de Berlim deste ano, é produzido pelo estreante em direção, o ator George Clooney,  O elenco cheio de estrelas traz nomes como Sam Rockwell (As Panteras, À Espera de um Milagre), Drew Barrymore (As Panteras, Nunca fui Beijada), Júlia Roberts (Erin Brockovich, Uma Linda Mulher), além de George Clooney (Onze Homens e um Segredo, Mar em Fúria). A obra é baseada no livro de Chuck Barris, e mostra que a televisão o tornou famoso, porém seus maiores sucessos aconteceram fora da tela. Confissões de Uma Mente Perigosa é a história da vida dupla deste legendário showman – produtor de TV durante o dia, assassino da CIA a noite. Jovem, cheio de energia e concentrado numa carreira de destaque na crescente indústria da televisão, Barris percebe que está sendo seguido por um sujeito suspeito, que logo o introduz num universo secreto e perigoso: o dos agentes da CIA. Enquanto Barris adquire notoriedade como um dinâmico produtor de TV – criando programas inovadores e populares como o game show The Newlywed Game e o programa The Gong Show, que ele mesmo apresenta – ele comete assassinatos com regularidade para o governo dos Estados Unidos. Aos poucos, incorpora seus programas de televisão em sua vida secreta: os casais vencedores do game show The Dating Game ganham viagens para “a fabulosa Helsinki” e a “romântica Berlim Ocidental” para o encontro de seus sonhos – não é o mesmo que Paris, mas proporciona a Barris, que os acompanha, um disfarce para suas missões secretas. À medida que Barris aproveita o glamour de seus dois mundos – o do entretenimento e o da espionagem – vai perdendo o controle de sua vida. Ele fica dividido entre a mulher que o ama e a misteriosa mulher de suas fantasias. É duramente criticado pelo público, que o acusa de corromper a TV, e se vê jurado de morte por um agente traidor. Chuck Barris precisa retomar o controle da sua vida. De ambas. Mostrar-se demais, sem jamais ser visto é o desafio agora. Qual das vidas sobreviverá? Estréia em circuito nacional prevista para o dia 01 de Maio.

Por Eduardo Maestro.

Indiana Jones Chega em DVD

Anunciado o lançamento mundial das grandes aventuras do Cinema em DVD

Finalmente, a trilogia de maior sucesso do cinema estará chegando em formato de DVD. Foi anunciado hoje, 29, que As Aventuras de Indiana Jones – Coleção completa em DVD -  terá seu lançamento mundial em 4 de novembro deste ano. Segundo pesquisas realizadas recentemente no mundo os títulos Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida (1981), Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984) e Indiana Jones e a Última Cruzada (1989) são os mais esperados para o lançamento nesse formato. O pack conta com quatro DVD´s e oferece mais de dez horas de entretenimento.  Para completar, a novidade há um disco dedicado ao material extra e exclusivo, no qual inclui documentário recentemente produzido sobre os bastidores do filme e entrevistas inéditas   com os dois mais aclamados cineastas – Steven Spielberg e George Lucas – e com o astro do cinema mais popular de todos os tempos, Harrison Ford. De acordo com Jim Ward, Vice Presidente de Marketing da LucasFilm, "nossa preocupação também era  entregar aos fãs da trilogia um material com qualidade maior que a esperada". E continuou:  "essa coleção explora várias facetas dos filmes – efeitos especiais, música e sons. Nós pegamos visões de todo o mundo para explorar histórias dos bastidores de Indiana Jones. Foi ótimo trabalhar com Steven e George neste projeto, que transformaram essa coleção em algo realmente especial". "Nós e a LucasFilm unimos forças e criamos esse pack para milhões de fãs, que transformaram Indiana Jones no maior sucesso da história do cinema por mais de duas décadas", afirmou Thomas Lesinski, Presidente da Paramount Home Entertainment. A LucasFilm é uma das companhias líderes no mercado de entretenimento. Fundada por George Lucas, em 1971, é uma empresa destinada à produção de filmes e programas para a televisão. Além disso, a companhia tem negócios voltados à Light & Magic e Skywalker Sound, LucasArts Entertainment, Lucas Licensing e Lucas On-line. LucasFilm com suas produções no cinema já faturou 19 Oscars e 12 Emmy Awards com as produção para TV.

Por Eduardo Maestro.

Lançado em VHS e DVD o Aclamado e Divertido Stuart Little 2

Em Stuart Little 2, dirigido por Rob Minkoff ("O Rei Leão" e o "Pequeno Stuart Little") o pequenino herói Stuart se envolve em mais uma história repleta de ação e aventura. Para a surpresa da família Little, interpretada mais uma vez por Geena Davis, Hugh Laurie e Jonathan Lipnicki, Stuart está mais independente e decide percorrer a cidade com o relutante Snowbell para resgatar uma nova amiga, Margalo, uma passarinha cheia de charme que ganhou o coração da platéia dos cinemas e de nosso herói Stuart. O filme que já ultrapassou a marca de 2 milhões de espectadores nos cinemas, não deixa nada a desejar ao primeiro filme da série, lançado em 1999, pela Columbia TriStar. Rodrigo Santoro, que repete o trabalho de dublagem da voz do ratinho em Stuart Little 2, confessa que o carismático Stuart mudou bastante desde a época em que os dois se conheceram. "Ele está mais maduro", afirmou o ator. "Antes, eu o via como uma criança, agora acho que ele já está mais pra adolescente. Stuart está mais seguro, mais agitado, faz mais peripécias. O filme oferece valores muito legais: o amor maternal, o amor fraternal e, principalmente, a tolerância e compreensão",acrescenta Santoro. Na versão em inglês, a voz de Stuart é de Michael J. Fox. O DVD de Stuart Little 2 traz as versões dublada e legendada, e também um roteiro de extras que garante muito mais diversão para toda a família. Detalhes curiosos da produção do filme podem ser vistos no roteiro de extras, como a criação e caracterização dos personagens. As crianças encontram atrações especiais como "As Grandes Aventuras de Stuart Little", que são  apresentadas como páginas de livro e o "Jogo do Círculo de Amigos de Stuart". Para aqueles que gostam de navegar na Web,  links para o site oficial de Stuart Little 2, jogos e muitas outras atrações. Stuart Little 2 chega as lojas e locadoras também na versão VHS, dublado e legendado, a partir do dia 26 de maio.

Por Eduardo Maestro.