Ver também Notícias Antigas 2002 | 2003 | 2004

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR OUTRAS NOTÍCIAS DIRETO DOS EUA

 
   
 
Palmas para  Brad Burg, o diretor de Os Incríveis vai dirigir um novo projeto para a o Estúdio Pixar Animation: Ratatouille. A animação criada por computação gráfica estava sendo desenvolvida para ser o primeiro projeto da Pixar fora da Disney e seria dirigida por Jan Pinkava. A história mostra um rato chamado Ratatouille, que vive em um chique restaurante parisiense controlado por um famoso, mas excêntrico chef. Durante o anúncio foi mostrado um trecho do filme, já com os personagens todos criados por computação gráfica. A estréia de Glen Keane como diretor, está nos seus primeiros estágios de produção e vai usar tanto animação 2D quanto a tridimensional. Ratatouille é o oitavo longa-metragem produzido pela Pixar e está marcado para estrear no dia 29/06/2007 nos cinemas americanos.  
   
 

Vaias para o Destino, morreu a atriz Ariclê Perez de 62 anos ao cair do 10º andar do seu prédio. - 26 de março de 2006 - Atriz morre ao cair do 10.º andar de prédio em São Paulo. Ariclê Perez, de 62 anos, acabou de participar da minissérie JK no papel de dona Julia Kubitschek, mãe do presidente. Ela morreu no final da tarde deste domingo, por volta de 18h40, ao cair da janela do escritório de seu apartamento, no 10.º andar do edifício Diana, na rua Maranhão, Higienópolis, no centro de São Paulo. Ela estava sozinha em seu apartamento. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas não chegou a tempo de prestar socorro. A morte chocou moradores e funcionários do prédio. Ariclê acabou de participar da minissérie JK, cujo último capítulo foi ao ar na sexta-feira. Ela dividiu com a atriz Júlia Lemmertz o papel de dona Julia Kubitschek, mãe do presidente. O zelador César Moura, 32 anos, que trabalha no prédio ao lado, foi o primeiro a perceber a queda. “Eu ouvi um estouro parecido com uma bomba. Encontrei o corpo dela caído na frente de uma das garagens”, contou. Moura trabalha há 11 anos no prédio vizinho e disse que era um fã de Ariclê. “Eu a via sempre passando pela rua. Ela era sempre muito gentil”, disse. Um sobrinho de Ariclê, cujo nome não foi divulgado, deixou a delegacia de polícia sem falar com a imprensa. Será aberto um inquérito para apurar as circunstâncias da morte. Mas o delegado de plantão, Dodney Martins, disse ter recebido informação do sobrinho da atriz de que não havia sinais de arrombamento no apartamento, nem foi dada falta de objetos. A delegada Elizabeth Sato esteve no local e acompanhou o trabalho de remoção do corpo. Segundo ela, a atriz não deixou bilhete que pudesse explicar as causas de um provável suicídio, não ligou para nenhum parente e deixou a casa arrumada, apenas com a mesa do café da manhã como estava. Natural de Campinas, Ariclê Perez Rangel iniciou a carreira em 1976, na novela Canção para Isabel, exibida na extinta TV Tupi. Sua primeira participação na Globo foi em Meu Bem, Meu Mal, em 1990. Na emissora, fez as novelas Felicidade, Salsa & Merengue e Anjo Mal. Participou ainda das minisséries Memorial de Maria Moura, Os Maias, A Casa das Sete Mulheres e Um Só Coração. No ano passado, atuou no filme Quanto Vale Ou É Por Quilo?, do brasileiro Sérgio Bianchi, que lhe rendeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante no festival Cine Ceará.

 
   
 

Vaias para o Destino, morreu o ator Nelson Dantas aos 78 anos. O ator Nelson Dantas, famoso por sua longa carreira no cinema nacional, morreu neste sábado, aos 78 anos. Ele estava internado desde o início do ano no Hospital Adventista Silvestre, no Cosme Velho, zona sul do Rio, por causa de um câncer no pulmão. Nelson será velado no domingo, das 14 horas às 16 horas, no cemitério Francisco Xavier, no Caju, zona portuária da cidade. Após o velório, seu corpo será cremado. A carreira de Nelson Dantas teve início em peças de teatro de Nelson Rodrigues, mas foi no cinema que ele ficou mais conhecido. Seu primeiro filme foi "Almas Adversas", de 1949. Ao todo, ele atuou em 48 filmes, incluindo longas e curta metragens. Entre alguns dos filmes mais famosos em que participou, está "Dona Flor e seus dois maridos", dirigido pelo cineasta Bruno Barreto, em 1979, e estrelado por Sônia Braga, José Wilker e Mauro Mendonça. O último filme que o ator atuou foi "Zuzu Angel", lançado este ano e dirigido por Sérgio Rezende, com a participação de Patrícia Pilar, Daniel de Oliveira e Luana Piovani. Nelson Dantas também participou de novelas da TV Globo, sendo "Roque Santeiro" a mais conhecida.

 
   
 

Vaias? para Dan Brown, autor do best-seller O Código dá Vinci que está sendo acusado de plágio, foi adiado. Michael Baigent e Richard Leigh, autores de Holly Blood, Holly Grail (O Santo Graal e a Linhagem Sagrada), afirmam que Dan copiou a tese central do livro escrito em 82. O juiz quer tempo para estudar as duas obras e analisar se realmente houve plágio. Na segunda sessão do julgamento, no TSJ, o advogado que representa a editoria, John Baldwin, disse que Michael Baigent e Richard Leigh "pretendiam monopolizar uma informação que já é de domínio público". Ele acrescentou que em O Código Da Vinci não aparecem duas idéias centrais de O Santo Graal e a Linhagem Sagrada: a existência de uma sociedade secreta que pretende restaurar os descendentes de Jesus nos tronos europeus e o fato de que a crucificação de Jesus foi falsa e ele conseguiu sobreviver. Se tiverem sucesso, podem suspender a estréia do filme baseado no livro, prevista para o dia 19 de maio.

 
   
 
Vaias para Christian Brando, filho do ator Marlon Brando, que foi processado por sua ex-esposa e por sua filha adotiva, que alegaram que ele havia ameaçado ambas de morte. Deborah Brando e sua filha de 13 anos já haviam se encontrado com ele na suprema corte onde ele compareceu para prestar depoimentos por violação dos direitos civis dela. Brando já havia sido culpado a 3 anos por abuso conjugal em janeiro sendo sentenciado a reabilitação de drogas e do álcool. Apesar do advogado de Brando comunicar que nunca aconteceu ameaças, o caso está atraindo a curiosidades da imprensa. No entanto o advogado da ex-esposa alega que ele também ameaçou repetidamente matá-la na presença de sua filha, e mesmo sem ter contato com a menina ele teria dito que a mataria e a cortaria em milhões de pedaços. Brando já havia sido condenado a 5 anos de cadeia em 1990 por ter atirado e matado sua meia irmã e o namorado dela.  
   
 
25/11/05 - Vaias para o destino, morre PAT MORITA.

Morre Pat Morita, o sr. Miyagi de "Karatê Kid," aos 73 anos.
LOS ANGELES (Reuters) - Pat Morita, o ator nipo-americano que ganhou fama no papel do sábio sr. Miyagi nos filmes da série "Karatê Kid" e no programa de TV "Happy Days", morreu em Las Vegas, aos 73 anos.
O serviço funerário de Las Vegas disse que Morita morreu de causas naturais, na quinta-feira.
O ator, que nasceu na Califórnia e foi internado em um campo de nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial, ganhou uma indicação ao Oscar por sua perfeita caracterização do mestre de caratê em "Karate Kid", de 1984.
Morita interpretou o sábio faz-tudo sr. Miyagi, que fez amizade com um garoto recém-chegado na cidade, interpretado por Ralph Macchio, e o ajudou a enfrentar valentões ao ensiná-lo a filosofia oriental e as artes marciais.
O filme foi um sucesso de bilheteria e rendeu a Morita a honra de tornar-se o primeiro ator descendente de asiáticos a ser indicado ao Oscar. Ele perdeu naquele ano para Haing S. Ngor, de "Os Gritos do Silêncio".
Morita participou de três edições de "Karate Kid", o último dos quais "Karate Kid 4 -- A Nova Aventura", de 1994, que representou a primeira grande oportunidade no cinema para a atriz Hilary Swank, hoje vencedora de dois Oscars.
O espirituoso Morita trabalhava como programador de computadores, mas perto dos 30 anos entrou no mundo do entretenimento como comediante.
Sua primeira chance veio no início dos anos 1960, quando foi apresentado a Sally Marr, mãe do comediante Lenny Bruce, que começou a gerenciar sua carreira e a fazer turnês com ele ao redor dos EUA. Durante aquela década, ele apareceu em shows de TV como "Laugh-In" e "The Smothers Brothers Comedy Hour".
Em uma entrevista à Reuters, em 1994, para promover "Karate Kid 4", Morita disse ter vivido uma vida feliz.
"Eu aprendi o que é engraçado, e a palavra-chave de engraçado é graça", ele disse.
Depois de anos fazendo papéis secundários e aparições especiais na TV, Morita ganhou fama e um papel importante ao interpretar Arnold, dono de um restaurante no sucesso dos anos 1970 "Happy Days."
Por algum tempo, estrelou uma série de TV, no papel do detetive Ohara, e apareceu em muitos filmes, como "Linha de Fogo" e "Lua-de-Mel a Três". Morita ainda emprestou sua voz ao personagem do imperador na animação da Disney "Mulan", de 1998.
Ele recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, em 1994.
Morita deixa Evelyn, sua mulher há 12 anos, e três filhas do seu casamento anterior.
 
   
 
Palmas para o Porta Curtas Petrobras. Prêmio Porta Curtas no Festival do Rio 2005. Você poderá votar e assistir sem sair de casa! Em mais uma parceira exclusiva do Porta Curtas Petrobras, você vai poder assistir a 12 curtas em competição do Festival do Rio - o maior festival de cinema da América Latina - diretamente do seu computador. As novidades estão online! E você ainda faz parte do júri: os 3 curtas com melhor índice de votação serão os grandes vencedores do Prêmio Porta Curtas! Veja e vote nos filmes por programas: Programa 1 e Programa 2. Você pode assistir aos filmes, dar seu voto, fazer comentários que serão lidos pelos diretores ou recomendar curtas para alguém votar. O cálculo que determina os curtas vencedores leva em conta pesos diferenciados para o nº de exibições, nº de votos e a média dos votos, segundo critério da editoria do Porta Curtas. No dia 6 de Outubro será revelado os três filmes mais votados, que ganharão o Prêmio Porta Curtas Petrobras e serão contratados para exibição no site. Clique aqui para saber como votar!  
   
 
Vaias para a 29ª Mostra de Cinema que acontece em São Paulo. Apesar da intenção ser ótima, os preços são abusivos. Confira os preços cobrados: INGRESSOS: Individuais: 2.ª a 5.ª, R$ 12; 6.ª a dom., R$ 14. Pacote: 20 filmes, R$ 110; 40 filmes, R$ 200. Integral, R$ 310, e não aceitam carteira de estudante. Mais caros do que os ingressos normais dos cinemas, os organizadores poderiam ter pensado numa estratégia um pouco diferente para atrair o público jovem. Muitas reclamações já chegaram por e-mails, vamos torcer que atendam. Os dois filmes que abriram a 29.ª Mostra BR de Cinema têm homenagens paternas na origem: o curta My Dad Is 100 Years Old, com roteiro e atuações de Isabella Rossellini, e Good Night, and Good Luck, de e com George Clooney. Dá-se início assim à maratona de cinema que vai até 3 de novembro e terá 405 filmes em sua grade de programação. Enfim, cinema para ninguém botar defeito, só no preço!  
   
 
O humorista Ronald Golias morreu durante a madrugada desta terça-feira (27) no Hospital São Luiz, na zona sul de São Paulo, às 5h30, por insuficiência de múltiplos órgãos. 27/09/05 - VAIAS PARA O DESTINO - Morre Golias. - São Paulo - O humorista Ronald Golias morreu durante a madrugada desta terça-feira no Hospital São Luiz, na zona sul de São Paulo, às 5h30, por insuficiência de múltiplos órgãos. Golias tinha 76 anos e foi internado no dia 8, com infecção generalizada decorrente de uma infecção pulmonar. O velório acontece de hoje até as 9h30 de amanhã, na Assembléia Legislativa. O sepultamento será no Cemitério do Morumbi, por volta das 11 horas de amanhã. "Ô, Cride, fala pra mãe...". Com esse bordão o personagem Pacífico foi eternizado pelo humorista Ronald Golias na Praça da Alegria, de Manoel de Nóbrega, em 1956, na TV Record. O programa foi precursor da Praça é Nossa, atualmente no ar, no SBT, com o filho do Manoel, Carlos Alberto de Nóbrega, no comando. Golias foi homenageado pela banda Titãs, que na música Televisão incluiu o bordão "ô Cride, fala pra mãe!". Um dos maiores humoristas brasileiros, Golias foi alfaiate, funileiro e participou do grupo de acrobacias aquáticas Aqualoucos. Nasceu em São Carlos, interior paulista, em 4 de maio de 1929. Entrou na televisão pelas mãos de Manoel de Nóbrega, que o conheceu na Rádio Nacional, em 1940. Nunca mais saiu do universo televisivo do humor nacional. Mas foi no clássico Família Trapo que Golias eternizou sua melhor performance, a do Bronco, personagem nascido Carlos Bronco Dinossauro, e que Silvio Santos mandou ressuscitar no seriado Meu Cunhado, exibido até pouco tempo atrás pelo SBT. Foi Golias quem deu a Silvio Santos o apelido de “Peru”. É que Senor Abravanel, um pouco pela timidez, um pouco pela hipersensibilidade à luz, corava diante das colegas de trabalho que o acompanhavam em suas caravanas. Manoel de Nóbrega criou daí a “caravana do Seu Peru” - anos depois, o apelido seria anulado pelo título de Homem do Baú. Em abril de 2004, estreou na rede de Silvio Santos o programa Meu Cunhado, protagonizado por ele, ao lado de Moacyr Franco, e que vinha sendo gravado havia mais de um ano. Na época da estréia, Golias sofreu uma cirurgia para a implantação de um marca-passo no coração, no Hospital Sírio-Libanês. Em maio, voltou a ser internado, em razão de um coágulo no cérebro. E, desde então, seu estado de saúde vinha se apresentado delicado. O programa, que estreou com 52 episódios já gravados, foi um dos últimos títulos a render mais de 20 pontos de média no ibope ao SBT. Meu Cunhado foi uma encomenda do dono do SBT a Moacyr Franco, baseado em um seriado argentino. Com um detalhe: na versão original, o cunhado do título era um sujeito de 22 anos. E Silvio Santos passou a bola a Moacyr apenas com essa ressalva: o cunhado, aqui, teria de ser o Golias. Tudo em torno de Golias. Assim tinha de ser, assim foi.

Família Trapo
Na Família Trapo (foto ao lado), com Zeloni, Renata Fronzi e Jô Soares, nos anos 1960, já era assim. Título dos tempos áureos da Record, a sitcom é referência na história da TV brasileira e serviu de fonte para várias comédias de situação que vieram nas décadas seguintes, incluindo o Sai de Baixo, produzido durante cinco anos pela Globo - só para citar um exemplo mais recente.

No cinema fez dez filmes - poucos, considerando o tempo e o potencial de carreira: Golias Contra o Homem das Bolinhas (1969), Agnaldo, Perigo à Vista (1968), Marido Barra Limpa (1967), O Homem Que Roubou a Copa do Mundo (1963), Os Cosmonautas (1962), O Dono da Bola (1961), Os Três Cangaceiros (1961), Tudo Legal (Bronco) (1960), Vou Te Contá (1958), Um Marido Barra Limpa (1957).

26/09/05 - VAIAS PARA O DESTINO - Morre o ator Don Adams. - Don Adams, ator comediante que ganhou três Emmys consecutivos pelo seu papel como o Agente Maxwell Smart na série de Tv, morreu ontem em Los Angeles aos 82 anos. O ator morreu de uma infecção do pulmão no centro médico no Cedars-Sinai Medical Center, e tinha estado aparentemente doente o ano passado, após ter sofrido um acidente. Adams começou sua carreira em Hollywood após a Segunda Guerra Mundial, trabalhando como escritor de comédias para a televisão. Mudou seu último nome de Yarmy para Adams, porque queria ser chamado por primeiro nas audições, e não por último, já que nos Estados Unidos chamam as pessoas em ordem alfabética e pelo sobrenome e A vinha antes de Y. Forneceu sua voz para alguns personagens e depois de várias aparições surgiu a oportunidade de estrela. Um espião muito desajeitado surgiu depois dos filmes de James Bond, o que não interessou Adams no começo. Depois de se juntar a espiã Agente 99 (Barbara Feldon), o que fez a série explodir nos Estados Unidos. No seriado foram criados muitos dos objetos secretos usados pela CIA e FBI americana, como o sapato telefone. O nome das duas agências significavam garotos Bons e garotos Maus. Adams transformou-se numa estrela imediata, e a série durou de 1965-1970, dando o Emmy da série de comédias em 1968 e em 1969. Adams ganhou três e recebeu ainda uma quarta nominação. Depois que a série terminou, Adams continuou fazendo inúmeras aparições televisivas até rodar o filme em 1980. Forneceu sua voz para vários personagens animados também. Adams foi casado e divorciado três vezes, e teve um total de sete filhos das três uniões.
16/08/05 - VAIAS PARA O DESTINO - Ator Cláudio Correa e Castro morre aos 77 anos no Rio de Janeiro. O ator Cláudio Correa e Castro, 77, morreu nesta tarde, por volta das 16h, no Hopital de Clínicas Niterói, no Rio de Janeiro. A causa foi disfunção múltipla dos órgãos. Neste ano, ele esteve internado diversas vezes. Castro, que interpretou recentemente o Conde Klaus Von Burgo na novela "Chocolate com Pimenta", da Globo, foi submetido no dia 26 de abril a uma cirurgia cardíaca, com sucesso na época, no Hospital São Lucas, tendo alta hospitalar em 6 de maio.
No dia 24 daquele mês, porém, ele foi novamente internado na Unidade Cardiointensiva, do mesmo hospital, com um quadro infeccioso decorrente da ferida operatória na perna e no antebraço esquerdo. Em 9 de junho, o paciente teve alta do CTI para um quarto particular. Em 20 de junho ele voltou para a Unidade Cardiointensiva com sinais de perda de consciência e agravamento da ferida operatória. Três dias depois, estabilizado e lúcido, Castro foi transferido para o CTI do Hospital de Clínicas Niterói, a pedido da família, por questões geográficas, pois eles residem em Niterói.
Além de "Chocolate com Pimenta", Castro trabalhou em mais de 20 novelas, entre elas "Esperança", "Porto dos Milagres", "O Cravo e a Rosa" e "Força de Um Desejo".
13/08/05 - VAIAS PARA O DESTINO - Rio de Janeiro - Morreu na madrugada deste sábado o ator Francisco Milani. Está marcada para amanhã, às 11 horas, no Crematório do Caju, a cremação do corpo do ator Francisco Milani, que morreu na madrugada deste sábado em decorrência de um câncer no reto. Ele foi internado no dia 3 no Hospital Barra d´Or. O câncer já estava na fase de metástase. Segundo o boletim médico, Milani morreu em decorrência de edema pulmonar e insuficiência renal aguda.

Nascido em São Paulo, em 19 de novembro de 1936, Milani, de 68 anos, atuou mais recentemente no programa Zorra Total, da TV Globo, interpretando o "seu Saraiva". O ator interpretou vários papéis no cinema nacional, como no filme Terra em Transe, de Glauber Rocha, Eles Não Usam Black-tie, Leon Hirszman e O Coronel e o Lobisomem, que estréia em outubro. Como dublador, fez recentemente Eliana e o Segredo dos Golfinhos. Milani dublou também desenhos animados e trabalhou como narrador de programas, como o Fantástico e no Casseta e Planta, Urgente!.
O cineasta Zelito Viana, que foi produtor executivo de Terra em Transe, ficou triste com a notícia. "Era um grande ator, não só comediante, e um amigo. No filme, ele participava ativamente das discussões. Era atuante politicamente e demonstrava preocupação com o Brasil". Milani era militante do PCdoB. Na década de 90, foi vereador na capital do Rio, onde morava. Em 2000, candidatou-se a vice-prefeito na chapa de Benedita da Silva (PT). Na época, pouco antes do pleito, disse que ser famoso não era certeza de êxito nas urnas. "Ser conhecido do público não significa que estou eleito. Convencer o público são outros quinhentos", brincou. A morte de Milani emocionou companheiros de partido, como a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que destacou suas posições firmes. "O Milani era uma pessoa muito generosa, muito coerente. Nunca vi na vida ele mudar suas opiniões por nenhum espaço pessoal." No teatro atuou em textos importantes como Barrela, do dramaturgo Plínio Marcos, A Morte de Um Caixeiro Viajante, de Arthur Miller, ao lado de Marco Nanini, entre outros. Mas foi na televisão, que Milani ganhou popularidade. Especialmente em programas humorísticos, mas também nas novelas. Recentemente atuou em Zorra Total e A Grande Família, em que viveu o "Tio Juvenal", mas também foi do elenco de Viva o Gordo, programa comandado por Jô Soares, que a emissora levou ao ar de 1981 a 87. Atuou em novelas importantes da Globo, desde as mais antigas, como Irmãos Coragem, Selva de Pedra até Barriga de Aluguel, Anos Rebeldes, Elas por Elas, Aquarela do Brasil e atuou, em 2004, no seriado Um Só Coração. (Fonte: O Estadão)
Vaias para os Tom Cruise. A Associação Psiquiátrica dos EUA na segunda-feira criticou o ator Tom Cruise por observações feitas na televisão, nas quais ele chamou a psiquiatria como uma "pseudo ciência" desprezando o valor das drogas antidepressivas. "É irresponsável o Sr. Cruise usar sua turnê de publicidade do seu filme para promover as suas próprias visões ideológicas, intimidando as pessoas com doenças mentais de buscarem os cuidados de que precisam", comentou o Presidente da APA Dr. Steven Sharfstein. Em uma entrevista sexta-feira passada na NBC, Cruise falou que nunca concordou com a psiquiatria, e que depois de estudar,desacreditou totalmente, falando que ela é uma pseudo-ciência, que máscara o problema em vez de resolver. A repreensão da APA representa a opinião de quase 36.000 especialistas na diagnose e tratamento de doenças mentais, e a afirmação de Cruise desafia que a psiquiatria não tem mérito científico.
PALMAS para O CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL que realiza em São Paulo, DE 23/8 A 4/9 DE 2005, A RETROSPECTIVA KIESLOWSKI, COM 20 FILMES DESTE QUE É UM DOS MAIS BRILHANTES DIRETORES DA HISTÓRIA DO CINEMA. É A PRIMEIRA VEZ EM QUE TODOS OS FILMES FEITOS PARA CINEMA PELO POLONÊS KRZYSZTOF KIESLOWSKI SÃO APRESENTADOS EM CONJUNTO NO BRASIL, INCLUINDO OBRAS INÉDITAS. Ao lado de produções consagradas, figuram obras nunca exibidas em salas comerciais — a exemplo da vibrante série Decálogo — e outras inéditas até mesmo no circuito alternativo — como os longas-metragens O Acaso e Sem Fim, produzidos ainda na Polônia nos anos 80. Entre as produções aplaudidas por crítica e público estão A Dupla Vida de Veronique, A Liberdade É Azul, A Igualdade É Branca e A Fraternidade É Vermelha. O curador da Retrospectiva, Jorge Roldan, incluiu ainda títulos pouco exibidos e, portanto, desconhecidos das grandes platéias: A Cicatriz, O Amador, Não Matarás e Não Amarás. Todos os 20 filmes serão exibidos com legendas em português, sendo 18 deles com projeção em 35 milímetros. Haverá ainda a realização de dois debates entre especialistas e o público do evento. Perfil biográfico: Krzysztof Kieslowski nasceu em Varsóvia, Polônia, em 27 de junho de 1941. Na infância teve uma vida nômade, pois a família acompanhava o pai, que padecia de tuberculose, de sanatório em sanatório. Após várias tentativas, Kieslowski ingressou na prestigiosa Escola Superior de Cinema, Televisão e Teatro de Lodz, por onde passaram, entre outros, Andrzej Wajda, Roman Polanski, Krzysztof Zanussi e Jerzy Skolimowski. Formou-se em 1969, mas durante os estudos realizou cinco curtas-metragens. Em 1970 entrou para a TV polonesa, onde até 1988 dirigiu 20 curtas de ficção e documentários e três telefilmes: O Pessoal (1975), A Calma (1976) e Breve Jornada de Trabalho (1981). A estréia no cinema deu-se em 1976, com o longa A Cicatriz. O segundo filme, O Amador (1979), ganhou o grande prêmio dos festivais de Gdansk e Moscou. Depois vieram O Acaso (1981) e Sem Fim (1984).

PROGRAMAÇÃO

AGOSTO: Dia 23, terça: • 14h A Liberdade É Azul (100’) • 16h A Igualdade É Branca (100’) • 18h A Fraternidade É Vermelha (100’) • 20h Debate entre a jornalista Neusa Barbosa (CineWeb) e a pesquisadora Andréa França (PUC-RJ) e o público. Dia 24, quarta: • 13h A Cicatriz (105’) • 15h O Amador (110’) • 17h10 O Acaso (120’) Dia 25, quinta: • 14h A Dupla Vida de Veronique (90’) • 16h A Liberdade É Azul (100’) • 18h A Igualdade É Branca (100’) • 20h A Fraternidade É Vermelha (100’) Dia 26, sexta: • 14h A Fraternidade É Vermelha (100’) • 16h Sem Fim (110’) • 18h10 O Acaso (120’) • 20h30 A Igualdade É Branca (100’) Dia 27, sábado: • 12h A Liberdade É Azul (100’) • 14h A Cicatriz (105’) • 16h05 O Amador (110’) • 18h15 Sem Fim (110’) • 20h25 A Dupla Vida de Veronique (90’) Dia 28, domingo: • 14h Sem Fim (110’) • 16h10 O Acaso (120’) • 18h30 O Amador (110’) • 20h40 A Cicatriz (105’) Dia 30, terça: • 14h A Dupla Vida de Veronique (90’) • 16h Não Matarás (85’) • 18h Não Amarás (85’) • 20h Debate da pesquisadora Érika Savernini (UFMG) com o público Dia 31, quarta: • 14h Decálogo Um e Dois (110’) • 16h10 Decálogo Três e Quatro (110’) • 18h20 Decálogo Sete e Oito (110’) • 20h30 Decálogo Nove e Dez (110’)

SETEMBRO: Dia 1º, quinta: • 14h Não Amarás (85’) • 15h50 Decálogo Um e Dois (110’) • 18h Decálogo Três e Quatro (110’) • 20h10 Decálogo Cinco e Seis (110’) Dia 2, sexta: • 14h Não Matarás (85’) • 15h50 Decálogo Cinco e Seis (110’) • 18h Decálogo Nove e Dez (110’) • 20h10 Decálogo Sete e Oito (110’) Dia 3, sábado: • 14h Decálogo Nove e Dez (110’) • 16h10 Decálogo Um e Dois (110’) • 18h20 Decálogo Sete e Oito (110’) • 20h30 Decálogo Três e Quatro (110’) Dia 4, domingo: • 14h Decálogo Cinco (55’) • 15h15 Não Matarás (85’) • 17h Decálogo Seis (55’) • 18h15 Não Amarás (85’)

INFORMAÇÕES: Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo — Rua Álvares Penteado, 112 — Centro — São Paulo — SP — Tel: (11) 3113-3651 — www.bb.com.br/cultura — Entrada: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia) — Assessoria de imprensa do CCBB: Camila do Val (tel.: 11-3113-3623)

Assessoria de imprensa — Luares Comunicações (www.luares.com.br) — Tel.: (11) 3151-5660 — Contatos: Flávio Mogadouro ([email protected]) e Beto Ronchezel ([email protected])
PALMAS PARA ANIMA MUNDI QUE BATE MAIS UM RECORDE DE PÚBLICO

QUASE SETE MIL PESSOAS VÃO AO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA EM SÃO PAULO
Destaque de sábado é o Papo Animado com o homenageado Rui de Oliveira, um dos maiores ilustradores brasileiros. O Anima Mundi bate mais um recorde de público. Na quinta-feira, segundo dia da edição paulista, seis mil e oitocentos e setenta e seis pessoas foram ao Memorial da América Latina, na Barra Funda. O público faz pequenas animações, nas oficinas, assistem aos 369 filmes de 41 paises, além de participar do Papo Animado com grandes nomes da animação internacional, como o diretor da ACME, Ron Diamond, e o animador Igor Kovalyov um dos responsáveis pela série”Rugrats. No Estúdio Aberto, com sete oficinas de animação, da portuguesa Sara Barbas, a animadora do estúdio Aardman (responsável pelo sucesso “A Fuga das Galinhas”) está no Anima Mundi para mostrar um pouco dos bastidores da animação em massinha. Às 16h e 18h, ela faz palestras munida de bonecos do novo filme da Aardman, “Wallace & Gromit – A batalha dos Vegetais”, que estréia em outubro. As oficinas e a palestra de Sara são gratuitas, bem como o ingresso ao prédio do Memorial. Os ingressos para a sala de cinema têm preços variados, sendo o mais caro R$ 5. Quem vier ao Memorial da América Latina nesta sexta-feira poderá assistir ao longa-metragem “Magia Russica”, de Yonathan & Masha Zur. Longa de Israel, um documentário ao vivo com técnicas mistas será exibido hoje ás 12h na sala 3 e o filme argentino “Viaje a Marte”, ganhador do prêmio de Melhor Curta, segundo o público na edição do Rio de Janeiro, passa às 12h, na Sala 1, dentro do programa Curtas1. Às 19h30, a diretora da escola francesa Gobelins L’École de L’Image, Hélene Beau irá participara do Papo Animado, nele ela conversa com o público sobre seus trabalhos.
SÁBADO - Quem for ao Anima Mundi neste sábado poderá também participar do Papo Animado com o diretor brasileiro Rui de Oliveira. Às 19h30, na Sala 3. Neste sábado, passa às 20h, na sala 2, O longa-metragem Russo “Alosha Popovich i Tugarin Zmey”, do diretor Konstantin Bronzit. Depois de um plano fracassado que resulta na destruição e no roubo do ouro da cidade russa de Rostov, Alosha parte em uma cômica jornada épica para resgatar o ouro e sua reputação ante o traiçoeiro vilão Tugarin. A programação infantil com filmes infantis será o forte deste sábado com sessões na sala 3 a partir das 13h30, na sala 1 a partir das 14h e na sala 3 a partir das 15h. Confira a programação.

 
   
 
Palmas para KING KONG que terá sua estréia mundial no começo de dezembro em Nova York. A estréia será feita um pouco antes da estréia mundial que deve acontecer dia 14 de dezembro, declarou o Presidente da Universal Marc Shmuger em Wellington. O original de 1933 com Fay Wray mdestacou o Empire State Building, o arranha-céu que King Kong escala enquanto segurando a mocinha. Shmuger disse que a estréia era uma oportunidade para Nova Iorque "dar novamente as boas-vindas ao King Kong". "Nova Iorque está muito excitada com a oportunidade de poder ser o anfitrião e o parceiro do filme, e estão oferecendo todos os recursos necessários para que o evento seja oficial. Participam do filme os astros Naomi Watts, Adrien Brody e Jack Black. Andy Serkis é quem provê os movimentos para o corpo de Kong.  
   
 
Palmas para o Festival de Cinema de Procida que exibirá material inédito de A Voz da Lua, de 1990, o último filme do cineasta Federico Fellini . O festival de cinema na Itália, que começa na quinta-feira, exibirá material inédito de A Voz da Lua (1990), o último filme rodado pelo cineasta Federico Fellini. O responsável pelo festival, Enrico Ghezzi, anunciou hoje que esse material foi encontrado nos arquivos cinematográficos da rede estatal de televisão RAI. Trata-se de vinte minutos de filmagem que em sua maioria são cenas mudas, segundo Ghezzi, que definiu o achado como a oportunidade de "assistir ao começo dos trabalhos de um grande escultor em um bloco de mármore". Roberto Benigni, Paolo Villaggio e Nadia Ottaviani são os principais nomes do elenco de A Voz da Lua, no qual Fellini mostra personagens que perseguem sonhos impossíveis.
Premiado com cinco Oscar, Fellini (1920-1993) encerrou com A Voz da Lua uma filmografia intensa e marcada por suas obsessões e lembranças. Palmas para o lançamento de Guerra dos Mundos que aconteceu dia 13 em Tóquio.
 
   
 

(01/06) - Vaias para os Pais que batizaram seus filhos com esses nomes esquisitos.

Abrilina Décima Nona Caçapava, Abxivispro Jacinto, Acheropita Papazone, Adolpho Hitler de Oliveira, Adoração Arabites (masculino), Agrícola Beterraba Areia Leão, Alce Barbuda, Aldegunda Carames More, Aleluia Sarango, Alfredo Prazeirozo Texugueiro, Alma de Vera, Andrés Urdangarin Dorronsoro, Amado Amoroso, Amin Amou Amado, Amor de Deus Rosales Brasil, Antônio Americano do Brasil Mineiro, Antonio Buceta Agudim, Antonio Camisão, Antonio Dodói, Antônio Ernane Cacique de New York, Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado, Antonio Melhorança, Antonio Noites e Dias, Antônio P. Testa, Antonio Pechincha, Antônio Querido Fracasso, Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete, Aricléia Café Chá, Arnaldo Queijo, Asteroide Silverio, Audifax, Avagina (em homenagem a Ava Gardner e Gina Lolobrigida), Bailão Fernandes da Silva, Bananéia Oliveira de Deus, Bandeirante Brasileiro Paulistano, Barrigudinha Seleida, Benedito Autor da Purificação, Benedito Camurça Aveludado, Benedito Froscolo Jovino de Almeida Aimbare Militão de Souza Baruel de Itaparica Boré, Fomi de Tucunduvá, Benvindo Viola, Bispo de Paris, Bizarro Assada, Boaventura Torrada, Bom Filho Persegonha, Brandamente Brasil, Brígida de Samora Mora Belderagas Piruégas, de Alfim Cerqueira Borges Cabral, Bucetildes (chamada, pelos familiares, de Dona Tide), Cafiaspirina Cruz, Capote Valente e Marimbondo da Trindade, Caius Marcius Africanus, Carabino Tiro Certo, Carlos Alberto Santíssimo Sacramento Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio Carneiro de Souza e Faro, Caso Raro Yamada, Céu Azul do Sol Poente, Chananeco Vargas da Silva, Chevrolet da Silva Ford, Chikakó, Cincero do Nascimento, Cinconegue Washington Matos, Clarisbadeu Braz da Silva, Colapso Cardíaco da Silva, Comigo é Nove na Garrucha Trouxada, Confessoura Dornelles, Danúbio Tarada Duarte, Darcília Abraços de Carvalho Santinho, Deus É Infinitamente Misericordioso, Deusarina Venus de Milo, Devercilirio Silveira da Costa, Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco, Dignatario da Ordem Imperial do Cruzeiro, Disney Chaplin Milhomem de Souza, Dosolina Piroca Tazinasso, Ernesto Segundo da Família Lima, Esdras Esdron Eustaquio Obirapitanga, Esparadrapo Clemente de Sá, Espere em Deus Mateus Estácio Ponta Fina Amolador, Excelsa Teresinha do Menino Jesus da Costa e Silva, Faraó do Egito Sousa, Farmácio Lopes, Fedir Lenho, Felicidade do Lar Brasileiro, Finólila Piaubilina, Flávio Cavalcante Rei da Televisão, Fordência da Silva, Francisco Notório Milhão, Francisco Zebedeu Sanguessuga, Francisoreia Doroteia Dorida, Fridundino Eulâmpio, Graciosa Rodela, Gravitolina Pereira, Guelery Borges, Hericlapiton da Silva, Heubler Janota, Hidráulico Oliveira, Himineu Casamenticio das Dores Conjugais, Homem Bom da Cunha Souto Maior, Horinando Pedroso Ramos, Hugo Madeira de Lei Aroeiro, Hypotenusa Pereira, Inocêncio Coitadinho, Isabel Defensora de Jesus, Izabel Rainha de Portugal, Jacinto Leite Aquino Rego, Jacinto Fadigas Arranhado, Janeiro Fevereiro de Março Abril, Jhansley Ferreira da Mata, João Bispo de Roma, João Cara de José, João Cólica, João da Mesma Data, João de Deus Fundador do Colto, João Meias de Golveias, João Pensa Bem, João Sem Sobrenome, Joaquim Pinto Molhadinho, José Amâncio e Seus Trinta e Nove, José Casou de Calças Curtas, José Catarrinho, José Lopes Tamborim, José Machuca, José Maria Guardanapo, José Padre Nosso, José Sudário, José Teodoro Pinto Tapado, Jovelina Ó Rosa Cheirosa, Juana Mula, Júlio Santos Pé-Curto, Justiça Maria de Jesus, Kêmula Katrine, Kunigunda Grohmann, Lança Perfume Rodometálico de Andrade, Leão Rolando Pedreira, Leda Prazeres Amante, Letsgo (de Let's go), Liberdade Igualdade Fraternidade Nova York Rocha,  Lindulfo Celidonio Calafange de Tefé, Liney Lindsay Nascimento de Araujo, Lynildes Carapunfada Dores Fígado, Magnésia Bisurada do Patrocínio, Maicon Jakisson de Oliveira, Manganês Manganésfero Nacional, Manolo Porras y Porras, Manoel de Hora Pontual, Manoel Sovaco de Gambar, Manuelina Terebentina Capitulina de Jesus Amor Divino, Maria Cristina do Pinto Magro, Maria da Cruz Rachadinho, Maria da Segunda Distração, Maria de Seu Pereira, Maria Felicidade, Maria Humilde, Maria Panela, Maria Passa Cantando, Maria Privada de Jesus, Maria Tributina Prostituta Cataerva, Mário de Seu Pereira, Matozóide, Meirelaz Assunção, Mijardina Pinto, Ministéio Salgado, Miyatoyohiko Oku, Mimaré Índio Brazileiro de Campos, Naida Navinda Navolta Pereira, Napoleão Estado do Pernambuco, Napoleão Sem Medo e Sem Mácula, Necrotério Pereira da Silva, Novelo Fedelo, Obedemigo Pereira, Omenzinha, Oceano Atlântico Linhares, Oceano Pacífico, Ocricócrides de Albuquerque, Olinda Barba de Jesus, Orlando Modesto Pinto, Orquerio Cassapietra, Otávio Bundasseca, Padre Filho do Espírito Santo Amém, Pália Pélia Pólia Púlia dos Guimarães Peixoto, Pedra da Penha, Pedrinha Bonitinha da Silva, Pedro Bonde, Pelumendia Loureiro, Peta Perpétua de Ceceta, Plácido e Seus Companheiros, Presolpina Furtado, Primeira Delícia Figueiredo Azevedo, Primorosa Santos, Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel, Protestado Felix Correa, Radigunda Cercená Vicensi, Reimar Rainier de Oliveira, Remédio Amargo, Renato Pordeus Furtado, Ressurgente Monte Santos, Restos Mortais de Catarina, Rita Marciana Arrotéia, Rocambole Simionato, Rolando Caio da Rocha, Rolando Escadabaixo, Rômulo Reme Remido Rodó, Rosquild Omena, Sansão Vagina, Sebastião Salgado Doce, Segundo Avelino Peito, Serdeberão dos Anjos Pereira Vargas, Sete Chagas de Jesus e Salve Patria, Sete Rolos de Arame Farpado, Sherlock Holmes da Silva, Simplício Simplório da Simplicidade Simples, Soraiadite das Duas a Primeira, Sossegado de Oliveira, Spiridon Nicofotis Anyfantis, Sudene Fátima Machado, Telesforo Veras, Terebentina Terepenis, Terprando Wilson Rego, Tospericagerja Tostão, Pelé, Rivelino, Carlos Alberto, Gerson e Jairzinho (em homenagem à seleção do tri) Trazíbulo José Ferreira da Silva, Tropicão de Almeida, Última Delícia do Casal Carvalho, Último Vaqueiro, Um Dois Três de Oliveira Quatro, Um Mesmo de Almeida, Universo Cândido, Usnavy (em homenagem à U.S.Navy, a Marinha Americana), Valdir Tirado Grosso, Veneza Americana do Recife, Vicente Mais ou Menos de Souza, Vitória Carne e Osso, Vitimado José de Araújo, Vitor Hugo Tocagaita, Voltaire Rebelado de França, Wanslívia Heitor de Paula. (Nossa, isso sim é um erro)

 
   
 
Atores são presos por filmar com armas de brinquedo

Polícia prendeu dezesseis atores que gravavam cenas em igreja batista no Zimbábue dizendo que eles estavam com "armas ilegais"

Johanesburgo - A polícia do Zimbábue prendeu por um dia um grupo de atores que rodava um filme com pistolas de brinquedo, alegando estarem em posse de "armas ilegais". Segundo informou hoje o jornal sul-africano Beeld, os dezesseis atores que estavam rodando o filme Nothing to Wait For(Nada a esperar, em tradução livre) receberam a visita de dois policiais quando filmavam uma cena em uma igreja batista de Harare.

Segundo as testemunhas, apesar de a equipe cinematográfica explicar que as armas não eram reais, os policiais levaram os atores a uma delegacia de polícia para serem interrogados, e ficaram ali durante um dia.

O diretor do filme, Ryan Nush, confirmou o incidente e disse que os atores passaram a noite em uma cela da delegacia. Um deles assinalou que, quando a polícia percebeu seu erro, acusou a equipe de retratar negativamente o país e as forças de segurança, e confiscaram o roteiro. A cena que filmavam quando foram detidos descrevia as más condições nas prisões do Zimbábue.

 
   
 

29/04/2005 - SANTOS REALIZA - MOSTRA DE DOCUMENTÁRIOS

Durante quatro finais de semana o turista cinéfilo terá, em Santos, a oportunidade de participar de um privilégio santista: participar da mostra de documentário Brasil Doc 2, que acontecerá de 6 de maio a 2 de junho.

Constará da programação aquele tipo de filme que revela a verdade nua e crua, desinteressante para o circuito comercial porque não enche o bolso das distribuidoras. "O objetivo é proporcionar a oportunidade e o acesso a uma cinematografia documental inédita em quase todos os cinemas brasileiros, mesmo nas grandes capitais", explica o prefeito de Santos, João Paulo Papa.

O sucesso da primeira edição, em 2003, foi o motivo que levou o secretário de cultura, Carlos Pinto, a colocar na pauta a realização da Segunda mostra, com um salto de 14 para 36 exibições. "A escolha dos títulos privilegia a diversidade temática para abranger todo tipo de público, desde a moçada até a 3º Idade", declara o coordenador do projeto, Nívio Motta.

O evento prevê sessões no Cine Arte Posto 4, ao ar livre e em vários pontos da cidade como universidades e escolas. Filmes em formato longo e curto, em película e vídeo, estão programados. Além das exibições, também fazem parte da agenda debates, palestras, presença de diretores e lançamento de livros. Entre as exibições, há documentários consagrados como: Entreatos, Peões, Dom Hélder Câmara, o Anjo Rebelde, Rio de Jano, O Mundo Cabe Numa Cadeira de Barbeiro e Estamira.

Informações pelos telefones 3226-8000 e 3201-5031 ou no site www.cinearteposto4.com.br

Cine Arte Posto 4

De 6 a 12 - "Entreatos" – De João Moreira Salles
Dia 13 ( curta + longa ) "Seu Nenê da Vila Matilde" – De Carlos Cortez + "33" – De Kiko Goiffman
Dia 14 - "O cárcere e a rua" – De Liliana Sulzbach
Dia 15 - "Moacir – arte bruta" – De Walter Carvalho
Dia 16 - "Evandro Teixeira – Instantâneos da Realidade" – De Paulo Fontenelle
Dia 17 - "À Margem da Imagem" – De Evaldo Mocarzel
Dia 18 - "Mensageiras da Luz – Parteiras da Amazônia" – De Evaldo Mocarzel
Dia 19 ( curta + longa ) - "A figueira do Inferno" – De Raoni Valle e Ernesto Teodósio + "Recife/Sevilha – João Cabral de Melo Neto" – De Bebeto Abrantes
Dia 20 - "Justiça – o Filme" – De Maria Augusta Ramos
Dia 21 - "Os Doces Bárbaros" – De Jom Tob Azulay
Dia 22 - "Dom Helder Camara – o Santo rebelde" – De Érika Bauer
Dia 23 - "O Risco, Lúcio Costa e a Utopia Moderna" – De Geraldo Motta Filho
Dia 24 - "Estamira" – De Marcos Prado
Dia 25 ( curta + longa ) - "Portas da Cidade" – De Alexandre Carvalho + "Rio de Jano" – De Anna Azevedo, Eduardo Souza Lima e Renata Baldi
Dia 26 - "Helena Meirelles – a Dama da Viola" – De Francisco de Paula
De 27/5 a 2/6 ( curta + longa ) - "O rito de Ismael Ivo" – De Ari Cândido Fernandes + "Peões" – De Eduardo Coutinho
Sessões às 16 – 18:30 – 21 horas

ITINERÂNCIA

"A alma do osso" – De Cao Guimarães
Dia 13 – 16:30 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 15 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 23 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 26 – 16 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Aqui favela : o RAP representa" – De Júnia Torres e Rodrigo Siqueira
Dia 14 – 15 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 20 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 23 – 20:30 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 27 – 19 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Dormentes" – De Inês Cardoso
Dia 21 – 15 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 22 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 25 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 29 – 10 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Geraldo Filme" – De Carlos Cortez
Dia 7 – 15 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 14 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 20 – 20:30 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 26 – 14 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Motoboys – vida loca" – De Caito Ortiz
Dia 20 – 16:30 horas - Unimonte Campus Senador
Dia 21 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 24 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 28 – 10 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"O mundo cabe numa cadeira de barbeiro" – De José Roberto Torero
Dia 21 – 15 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 22 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 25 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 29 – 10 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Paola" – De Eduardo Chaves de Oliveira
Dia 20 – 16:30 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 21 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 24 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 28 – 10 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo
"Preto e branco" – De Carlos Nader
Dia 6 – 16:30 horas – Unimonte Campus Senador
Dia 13 – 20 horas – Cinemateca de Santos
Dia 20 – 19 horas – Cineclube Lanterna Mágica
Dia 25 – 19 horas – Sesc Santos – Sala de Vídeo

ENDEREÇOS

Cinemateca de Santos - R. Rua Ministro Xavier de Toledo, 42
Cine Clube Lanterna Mágica - Rua Cesário Mota, 8 - Bloco E - 5° Andar
Sesc Santos – Sala de vídeo - Rua Conselheiro Ribas, 136
Unimonte Campus Senador – Auditório Beto Mansur - Av. Senador Feijó, 340/350

SESSÕES EXTERNAS

"Edifício Master" - Direção – Eduardo Coutinho
Dia 7 – 20 horas - BNH Aparecida
Dia 19 – 20 horas - Igreja Sagrada Família
Dia 22 – 19:30 horas – Concha Acústica
"Fala tu " - Direção – Guilherme Coelho
Dia 13 – 20 horas – Largo do Machado
Dia 15 – 21 horas –Cinema Comunitário-Sociedade de Melhoramentos-Jardim Rádio Clube
Dia 18 – 20:30 horas - Arena Brasil
Dia 20 – 18:30 horas – Praça Mauá
"Fé" - Direção – Ricardo Dias
Dia 22 - 21 horas –Cinema Comunitário-Sociedade de Melhoramentos-Jardim Rádio Clube
Dia 28 – 18 horas - Casa da Frontaria Azulejada
" Nelson Freire " - Direção - João Moreira Salles
Dia 14 – 18 horas – Casa da Frontaria Azulejada
"O prisioneiro da grade de ferro : auto – retratos" - Direção – Paulo Sacramento
Dia 8 – 19:30 horas – Concha Acústica
"O rap do Pequeno Príncipe contra as almas sebosas" - Direção – Paulo Caldas e Marcelo Luna
Dia 15 – 19:30 horas - Concha Acústica
"Ônibus 174" - Direção – José Padilha
Dia 29 – 19:30 horas – Concha Acústica
"Paulinho da Viola – meu tempo é hoje" - Direção - Izabel Jaguaribe
Dia 6 – 18:30 horas – Praça Mauá
Dia 12 – 20:00 horas - Igreja Sagrada Família
Dia 28 - 20:30 horas – Gres Unidos dos Morros

ENDEREÇOS

Arena Brasil – R. Luiza Macuco, 60 – Vila Nova
BNH Aparecida – R. Alexandre Martins ( próximo ao Shopping Praiamar )
Casa da Frontaria Azulejada – Rua do Comércio, 93 – Centro
Cinema Comunitário da Sociedade de Melhoramentos – Av. Vereador Álvaro Guimarães, 662 - Jardim Rádio Clube
Concha Acústica – Av Vicente de Carvalho s/nº (ao lado do canal 3) – Gonzaga
Gres Unidos dos Morros – Av. Brasil, 2562 – Morro Nova Cintra
Igreja Sagrada Família – Praça Bruno Barbosa, 150 – Jardim Castelo
Largo do Machado – Morro São Bento
Praça Mauá – em frente a Prefeitura Municipal – Centro
Todas estas sessões terão entrada franca

Solicitação de fotos ou mais informações para a Imprensa com a jornalista Amélia Fernandez Gonzalez

Mtb. 12.512 / M.S. 6.731 / Tel (13) 3219-5310 / 3201-5060 / E-mail: [email protected]
Site: www.santos.sp.gov.br Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Santos / Praça Mauá s/nº Cep 11010-900.

 
 

Os médicos dizem que seu estado é estável.

(31/03/2005) Vaias para o Destino: O ator Luiz Carlos Tourinho está internado em Niterói.

O ator Luiz Carlos Tourinho, de 40 anos, que interpreta o personagem Franco no seriada Sob Nova Direção da Rede Globo, está internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Clínicas de Niterói, desde a madrugada do dia 30, vítima de uma hemorragia cerebral. De acordo com os médicos, o quadro geral do paciente é estável, mas inspira cuidados. Ele está lúcido e respira sem auxílio de aparelhos, mas deverá permanecer hospitalizado pelo menos durante 10 dias.
Tourinho foi submetido a uma bateria de exames para investigar a extensão e a origem da hemorragia, mas os testes ainda não apontaram nenhum aneurisma cerebral. O médico do CTI, Jorge Isidoro, no entanto, ainda não descarta a hipótese de aneurisma. "Em alguns casos, durante a fase aguda, o aneurisma não é identificado imediatamente, mesmo com investigação específica. Ele está sendo monitorado 24 horas e os exames serão repetidos nos próximos dias", esclareceu.
No cinema, Tourinho está em cartaz no papel de Curupira no filme Xuxa e o Tesouro da Arca Perdida. Ele também estrelou Xuxa e os Duendes 2 e For All - O Trampolim da Vitória, além de ter atuado em novelas como Kubanacan e Suave Veneno e nos seriados Sai de Baixo e Caça Talentos.

 
(31/03/2005) Palmas para o filme "Temporadas de Patos" grande vencedor do Ariel

O prêmio máximo da Academia Mexicana teve como grande vitorioso o filme Temporada de Patos de Fernando Eimbcke, que levou 11 estatuetas
Temporada de Patos de Fernando Eimbcke obteve 11 prêmios Ariel nas principais categorias, incluindo melhor filme, diretor, ator e atriz. A 67.ª edição do prêmio máximo da Academia Mexicana de Ciências e Artes Cinematográficas, distinguiu também o filme uruguaio Whisky, dos realizadores Pablo Stoll e Juan Pablo Rebella, com o prêmio de melhor filme ibero-americano.
Temporada de Patos, filmado em preto-e-branco, foi indicado em 12 categorias e havía sido nominado em 12 categorias, empatado com Vozes Inocentes, que figurava entre os três principais filmes da competição.
O filme de Eimbcke, que conta a história de adolescentes em um dia de convivência sem outro entretenimento a não ser assistir à televisão e ao vídeo, obteve 11 estatuetas incluindo melhor obra prima de ficção, melhor ator para Enrique Arreola e melhor atriz, Danny Perea.
Levou ainda os prêmios de melhor edição direção de arte, som, música composta para o cinema, fotografia, roteiro original e melhor diretor.
Vozes Inocentes, o filme de Luis Mandoki sobre as crianças na guerra de El Salvador, obteve três prêmios nas categorias de efeitos especiais, maquiagem e atriz coadjuvante pela personagem da veterana atriz Ofelia Medina.
A Academia mexicana também reconheceu com um Arial de ouro o cineasta Julio Pliego por seu documentário e a atriz de origem cubana Carmen Montejo por sua destacada trajetória artística.
Os outros filmes premiados foram Huapango, por melhor roteiro adaptado; Conejo en la Luna rendeu a Carlos Cobos o prêmio de ator coadjuvante, De Raíz, de Carlos Carrera, foi eleito pela imprensa o melhor curta-metragem de animação; Un Viaje, de Gabriela Monroy, como melhor curta-metragem de ficção; Soy, de Lucía Gajá, como melhor documentário de curta-metragem. O filme Digna, Hasta el Último Aliento, de Felipe Cazals, ganhou o prêmio de melhor documentário em longa-metragem.

 
Eles me odeiam, mas há quem goste... e muito! Por: Gustavo Werthein.

Existem alguns diretores que são amados ou odiados. Capazes de fazer uma obra prima e no filme seguinte um longa metragem apenas mediano. Woody Allen tem um séquito fiel, mas boa parte da crítica começa a ver um declínio no diretor que a cada longa declara seu amor por Nova York, mais particularmente, pela ilha de Manhattan. Outro apaixonado por Nova York e amado e odiado pela crítica, é Spike Lee. Seu mais recente filme, She hate me traduzido por aqui como, Elas me odeiam mas elas me querem, é um exemplo da devoção do diretor pela Big Apple e é também a prova de que a indústria cinematográfica anda olhando atravessado para diretores que fazem crítica social com um tom sarcástico e com bom humor.

O filme sequer chegou aos cinemas, indo direto para as locadoras, fato no mínimo estranho quando basta lembrar que o filme anterior, A úlitma noite, brilhantemente interpretado por Edward Norton, foi uma das melhores produções de 2003. Mas Elas me odeiam... tem algumas razões que ajudam a entender a barração nas telas grandes.

A primeira razão foi motivo de implicância da ala republicana do Estados Unidos. Afinal, que partido gostaria de ver, na abertura de um filme, a figura do presidente ilustrando uma nota de um dólar? E o que dizer da mesma nota de dólar com o mesmo personagem e um selo de aprovação da Enron, a empresa que faliu deixando milhares de pequenos e médios investidores a ver návios? As críticas ao governo Bush e às empresas fraudadoras é um dos temas centrais do filme. Apesar do non-sense e escracho característico dos filmes de Spike Lee , o mérito do diretor é incluir, de uma forma sútil e cômica, mais um tema polêmico nas duas horas que dura a produção.

O protagonista é vice presidente de uma gigante farmacêutica que frauda documentos para lançar no mercado a cura para a AIDS. No entanto, o antídoto não passa pelos testes e a empresa não poupa esforços para lucrar acima de qualquer princípio

Indignado com a atitude da empresa, Jack Armstrong (interpretado pelo bom ator Anthonie Mackie) vaza a informação para a imprensa e é demitido. Spike Lee vai de um tema pesado como este, tão comum em empresas americanas, para outro bem mais leve mas não menos polêmico, no qual a doação de filhos por lésbicas é debatido. Desempregado e procurando uma maneira de manter o alto estilo de vida, Jack recebe a visita de sua ex noiva que o havia deixado por outra mulher. Ela chega e o convence a ser o doador de sémem para o filho dela e para a namorada. A oferta: 5 mil dólares.

Daí em diante fica tudo por conta da imaginação fértil de Spike Lee, da trilha sonora de muito bom gosto e de um elenco que tem entre outros Helen Barkin, Woody Harrelson, Jonh Turturo e a bela Monica Belucci (Irreversível). Entre uma vida regada a sexo, dinheiro e a necessidade de lutar contra as retaliações do mundo corporativo por ter denunciado a fraude em sua empresa, Jack é conduzido por Spike Lee de uma maneira que mostra mais uma vez o talento que faz dele um dos melhores diretores desde o excelente Faça a coisa certa.
 
Um bom tema em mão erradas. Por: Gustavo Werthein.

Uma bonita fotografia, um tema contemporâneo e adolescentes que atuam como gente grande. É nesta tríade que Mean Creek aposta suas fichas.

A fotografia é de uma estética que agrada e muito. O filme conta a história de um grupo de jovens que arquitetam um trote cruel para vingar as brincadeiras não menos cruéis de um garoto que atormenta a vida de todos na escola. O que conta a favor da bela fotografia é justamente o palco onde a vingança é planejada: um rio às margens de uma pequena cidade dos Estados Unidos. A partir daí é difícil não associar o filme ao ótimo Stand By me. Um sinal de bom gosto que se estende aos atores. Rory Culkin, o irmão caçula de Macaulin Culkin (Esqueceram de mim) mostra que a família tem talento. Talento, aliás, não falta ao elenco: Ryan Kelley, Scott Mechlowicz e a ótima Karlie Scroeder contribuem para atenuar alguns deslizes da direção do iniciante Jacob Estes.

A trama é bastante atual, já que remete a questão da violência física e psicológica a qual estudantes americanos são submetidos nos colégios. O caso é conhecido como Bulling, ou assédio moral, um problema semelhante aos recentes trotes em universidades brasileiras que terminaram até em morte. No momento, tramita no congresso dos Estados Unidos uma lei para conter tanta agressividade entre os adolescentes. Jacob Estes mostra bom timming ao discutir este tema, o que, sem dúvida, é um ponto a favor do filme.

No entanto, a falta de experiência do diretor pode ser uma das razões para que este filme, que poderia ser um ótimo passatempo, seja apenas um filme legal, isso por que, os takes de planos longos e sonolentos de um barco, e sua trupe pensativa, são usados em excesso. Mas os descuidos da direção não param por aí. O trote, com requintes de crueldade e ingenuidade, e suas conseqüências, é previsível demais. Mas é a reação dos envolvidos que parecem não ter sido bem boladas.Ela se prolonga e se arrasta do meio para o fim do filme e as indecisões dos adolescentes são um pouco um retrato da própria indecisão do filme.

Para quem quer apenas uma boa distração, Mean Creek cumpre seu papel mas, se a expectativa for a de ver algo tão bom como Stand By me, aí a decepção pode ser tão grande como os cansativos takes usados pelo diretor.

Mean Creek- 2004
Direção: Jacob Estes
Elenco: Rory Culkin, Ryan Kelley, Scott Mechlowicz , Karlie Scroede
 
Employee of the month (Empregado do mês) Por: Gustavo Werthein.

Perdendo o emprego na direção.

Muitas vezes assistir a um filme pode ser uma satisfação muito além dos 90 minutos dentro do cinema, ou no sofá de casa. Mas tem vezes que 90 minutos são perdidos da mesma maneira, em casa ou no escurinho de uma sala e aí não tem volta. Paciência! não dá pra acertar sempre. Mas precisa errar feio? O novo filme de Matt Dillon (atenção! não confundir com Matt Damon de A identidade Bourne), é assim: pretensioso, fã dos clichês e pura e simplesmente ruim.
O elenco promete coisa melhor, a começar por Matt Dillon, aquele mesmo que surgiu para o cinema nos anos 80 com Selvagem da motocicleta. Apesar de nunca ter se firmado como um grande ator, Dillon apareceu bem na comédia Quem vai ficar com Mary, como o investigador particular canastrão. Infelizmente o único sucesso recente do ator parece ter sido a badalada visita à ilha de Caras e a praia de Ipanema, quando passou o ano novo no Rio.
O Roteiro é confuso, useiro e vezeiro da tática dos filmes a la Guy Ritchie( porcos e diamantes) de mostrar cenas ao esmo, e depois tentar costurar os pontos soltos. O diretor David Walsh, que estréia na direção, pisa na bola ao tentar mostrar como a vida de Dillon, um gerente de banco com uma carreira de sucesso e noivo de uma linda mulher, muda da noite para o dia. Contracenam com ele a boa Christina Applegate e o sempre engraçado ator Steve Zahn( o guitarrista do filme The Wonders) mas isso não é suficiente. O filme erra ao usar o previsível enredo, homem de sucesso perde tudo, de uma forma superficial.
Para tentar um remendo nada melhor que uma reviravolta. Assalto a banco, homens com máscaras e surpresas reveladas no final do filme, do tipo bandido que vira mocinho e mocinha que na verdade era bandida. Tudo reservado para os dez minutos finais como se o filme fosse um programa dominical que precisa segurar o espectador até o fim. Pena que dez minutos de revelações inverossímeis não valem o ingresso e muito menos perder 90 cinéfilos minutos.

Filme : Employee of the month
Título em português: Sem título
Direção: David Walsh
Elenco: Matt Dillon, Christina Applelgate e Steven Zahn
 
   
 

Palmas para FRIDAY NIGHT LIGHTS. Por: Gustavo Werthein.

A receita do sucesso de um bom filme Americano parece ter alguns ingredientes básicos: esporte, histórias comuns de Joe e Janne e, misturado a isso, o mais fiel estilo americano de ser: a boa e velha dose de superação. Na estréia do ator Peter Berg – visto por aqui contracenando com Linda Fiorentino em A Última Sedução – na direção, os sabores são bem diluídos, sem exageros, e o prato final é um bom divertimento, principalmente para a turma que gosta de futebol americano, mania que no Rio de Janeiro invade as praias da zona sul, ocupando um espaço que antes só era da turma do futebol como conhecemos. A história é baseada em fatos reais, o que dá ao filme um tom de documentário, e os recursos de edição com takes rápidos e em close que lembram o ótimo Em um Domingo Qualquer, de Oliver Stone, (Any Given Sunday) ajudam a construir melhor os personagens. Em 1998, na pequena cidade de Odessa, no estado do Texas, um time de futebol americano do colegial, o Permian High Panthers, precisa mostrar aos membros da comunidade, professores e alunos, que continuam sendo os melhores do Estado. É aí que os méritos do estreante Peter Berg aparecem; na forma de conduzir o filme. Para isso a ajuda do bom ator Billy Bob Thornton – no papel do técnico da equipe – contribui e muito. Berg mostra a pressão exercida pela comunidade sobre jovens de 17 anos que vêem depositados em uma boa temporada a chance de um futuro, longe dali, com bolsa em uma universidade ( qualquer semelhança com o sonho do jogador brasileiro de vencer no futebol e jogar na Europa, não é mera coincidência). Mais do que a pressão, Berg conta com um ótimo elenco de coadjuvantes para mostrar como todos os anseios de uma pacata comunidade, podem fazer de um esporte, o motivo de alegrias e frustrações em seus cotidianos. Diferente de outros filmes do gênero, cujo enredo tem no mote do título a recompensa para o esforço e a superação, Friday Night Lights (ainda sem título em português) acerta no tempero com boas cenas de jogo e a dose certa de suor e lágrimas, além de um final que segue à risca a receita dos bons filmes baseados em fatos reais.

FICHA TÉCNICA
Título Original:Friday Night Lights
Diretor: Peter Berg
Estréia: sem previsão
Elenco: Billy Bob Thornton, Lucas Black & Garrit Hedlund

 
   
 

Palmas para Blade Trinity, que chega a 310 mil espectadores na primeira semana de exibição.
Os fãs estavam ansiosos pela chegada do caçador de vampiros. O terceiro filme da franquia Blade, que estreou nos EUA em dezembro de 2004 e teve uma ótima performance por lá, chegou ao Brasil no último final de semana do ano, simplesmente arrasando a bilheteria. O bem-sucedido ator Wesley Snipes mais uma vez é Blade.
Adaptado do HQ da Marvel dos anos 70, o filme “Blade Trinity” é aguardado por ser o fim da trilogia que começou com “Blade – O Caçador de Vampiros” em 1998 e arrecadou mais de 130 milhões de dólares nas bilheterias do mundo todo. Já em 2002, também pela PlayArte Pictures, foi a vez de “Blade II – O Caçador de Vampiros”, muita ação e adrenalina, dirigido pelo experiente Guillermo Del Toro, um fã incondicional de Blade. A bilheteria mundial desta produção ultrapassou os 155 milhões de dólares. Um dos sucessos atribuídos pela adaptação do HQ para as telas deu-se ao roteirista, David S. Goyer. Goyer assina a direção de “Blade Trinity” e virou um especialista em adaptações deste tipo. Ele co-escreveu “Batman Begins” que estréia neste ano aqui no Brasil.
Uma das estratégias de lançamento de “Blade Trinity” aqui no Brasil foi a escolha da data de estréia – o último final de semana do ano passado. As férias escolares, as pré-estréias realizadas uma semana antes da estréia, os comerciais de TV e rádio e os anúncios de jornais, revista e outdoor e as ações promocionais em todo território nacional, contribuíram para este excelente resultado em apenas uma semana de exibição.

 
   
 
 

Janeiro/2005 - Palmas para "Shrek 3" mas ele só chega aos cinemas em 2007 - O terceiro volume da animação que virou fenômeno de bilheteria, "Shrek", do estúdio DreamWorks, só chega ao cinema em maio de 2007. O anúncio do adiamento - o filme estava previsto para o fim de 2006 -, foi feito um dia após a rival Pixar ter comunicado que adiará o lançamento de seu novo trabalho, "Cars", de novembro de 2005 para maio de 2006. A intenção das companhias é aproveitar o verão do hemisfério norte, quando as bilheterias são maiores, e lançar os desenhos, depois, em DVD, na época de Natal. Além da animação Shrek que virou mania, a Dream Works também lançou o animado desenho O Espanta Tubarões e deve lançar outra animação chamada MADAGASCAR, que conta a história de quatro amigos animais de um zoológico do Central Park em Nova Iorque que são embarcados em caixotes para a ilha de Madagascar na costa da África. Um Leão (Ben Stiller) muito amigo de uma Zebra - Marty (Chris Rock), uma Hipopótama - Glória (Jada Pinkett-Smith) e é claro, o animal mais neurótico que já pintou, uma Girafa - Melmam (David Schwimmer). Pra quem teve a chance de assistir o DVD de Shrek 2 pode acompanhar o trailer e as informações.

 
   
 
Jerry Orbach (direita) em cena de Lei & Ordem com Jesse L. Martin

Janeiro / 2005 - Vaias para o Destino que levou o ator Jerry Orbach, astro do seriado "Lei & Ordem". O ator, que fazia o detetive Lennie Briscoe na série, também fez carreira na Broadoway e morreu aos 69 anos de câncer na próstata. Nova York - O astro do seriado Lei & Ordem Jerry Orbach morreu de câncer de próstata aos 69 anos, disse um representante do programa. Orbach morreu na noite de terça-feira em Manhattan, depois de várias semanas de tratamento, disse a relações pública Audrey Davis da agência Lippin Group. Quando sua doença foi diagnosticada, Orbach havia começado a produção da nova série da NBC, Lei & Ordem: Julgamento por Júri, depois de 12 temporadas em que ele interpretou o detetive Lennie Briscoe na série original. Sua volta no novo seriado era esperada no começo de 2005. O seriado é exibido no Brasil no canal pago Universal Channel e recentemente estreou na Band, a partir da primeira temporada. Na Broadway, o ator nascido no Bronx estrelou musicais como Carnival, Promises, Promises (pelo qual venceu o prêmio Tony), Chicago (na versão original de 1975, ao lado de Gwen Verdon e Chita Rivera, em que interpretou Billy Flynn, papel de Richard Gere na versão cinematográfica de 2002) e 42nd Street. Entre seus trabalhos no cinema estão filmes como Dirty Dancing, O Príncipe da Cidade e Crimes e Pecados, de Woody Allen.