Olá amigos e Fãs de Carteirinha

Desde agosto de 2006 estamos contando com a colaboração da Jornalista Viviane França que trará toda semana uma notícia direto da redação para você. Assim como a coluna Direto dos EUA com nosso correspondente André Ribeiro, toda semana uma notícia quentinha do que anda rolando nos bastidores do cinema.

Ver também Notícias Antigas 2002 | 2003 | 2004 | 2005 | 2006
JAN/07 | FEV/07 | MAR/07 | ABR/07 | MAI/07 | JUN/07

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR OUTRAS NOTÍCIAS DIRETO DOS EUA

JULHO 2007

 
(24/07/2007) - CRÍTICA - NORBIT

Divertida comédia em que Eddie Murphy interpreta, embaixo de quilos de maquiagem, três personagens de temperamentos totalmente diferentes. Sinopse:Norbit Albert Rice é um pequeno órfão abandonado à porta de um restaurante chinês. Conformado com sua pacata vida, ele tem como sua melhor amiga a pequena e delicada Kate Thomas(Thandie Newton). Mas suas vidas tomam rumos diferentes quando Kate é adotada. Anos mais tarde, os dois irão se reencontrar para alegria e tristeza de Norbit. Casado com a possessiva e obesa Rasputia, ele vê seu grande e primeiro amor noiva de Deion (Cuba Gooding Jr.), um homem ganancioso, que ao contrário da namorada não deseja administrar o antigo orfanato, mas sim transformá-lo em um bar de strip-tease. Eddie Murphy concorreu ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, em 2007, por seu papel como um famoso e idolatrado cantor que conhece a fama e o esquecimento no filme Dreamgirls – Em Busca de um Sono. Musical de grande sucesso da Broadway da década de 80. Polêmico ou engraçado, Murphy é um ator que traz versatilidade aos seus personagens, seja em filmes de ação, comédia ou drama. Assim como em O Professor Aloprado, o ator interpreta três tipos comuns de cidadãos americanos. Embaixo de quilos de maquiagem, ele dá vida ao abandonado e submisso órfão Norbit Albert Rice; ao excêntrico Mr. Wong, o diretor do orfanato e dono de um restaurante chinês e a Rasputia, a possessiva esposa peso pesado que tem três trogloditas como irmãos. Dirigido por Brian Robbins (Soltando os Cachorros), Norbit é uma divertida e descompromissada comédia. Uma ótima sessão pipoca para a criançada em férias. Atente-se para a discreta, mas ótima participação de Cuba Gooding Jr., com o ganancioso noivo de Thandie Newton. Nas locadoras a partir do dia 23 de julho. NORBIT (NORBIT) - DIREÇÃO: Brian Robbins - ELENCO: Eddie Murphy, Thandie Newton, Cuba Gooding Jr. MINUTAGEM: 102 min. – PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: EUA/2007 – PARAMOUNT PICTURES

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(24/07/2007) - CRÍTICA - SANEAMENTO BÁSICO

Saneamento Básico é uma obra que segue a tradição da Commedia dell-Arte. Despretensioso e divertido, o filme traz um elenco de talentosos atores sob a direção no cineasta Jorge Furtado. Sinopse: Na pequena vila Linha Cristal, localizada nas serras gaúchas, a comunidade de descendentes italianos se depara com um problema: realizar uma obra para a canalização do esgoto. Sem verbas para o projeto, eles aceitam o desafio de criar um filme de ficção com o dinheiro enviado pelo governo federal, que se não for gasto, deverá ser devolvido. Para contar a história, o diretor Jorge Furtado escreveu o roteiro baseado em um gênero teatral muito popular na Itália no século 16, a Commedia dell-Art. Centralizando-se em oito personagens, que interpretam pessoas comuns do povo, Furtado expõem todos as qualidades e defeitos existentes no ser humano. Com uma deliciosa narrativa somos apresentados a Marina (Fernanda Torres), a mulher decidida, trabalhadora e a principal responsável pela idéia do filme; seu marido Joaquim (Wagner Moura), o personagem mais humano; Fabrício (Bruno Garcia) e Silene (Camila Pitanga), o galã conquistador e a mocinha sonhadora; Antônio (Tonico Pereira) e Otaviano (Paulo José), os burgueses decadentes e ranzinzas; Marcela (Janaína Kriner), a mulher responsável pelo poder público e dona do dinheiro e Zico (Lázaro Ramos), o artista inconformado em viver num mundinho. Com diálogos ágeis e criativos, Furtado cria ótimas passagens. Entre elas as hilariantes cenas das filmagens do filme O Monstro da Fossa. Não há como não se divertir com o amadorismo do grupo que dribla os problemas que vão surgindo pelo caminho, para não ultrapassar o já pequeno orçamento do projeto. A atuação dos personagens de Camila, Bruno e Wagner são de uma cafonice que só mesmo um grupo de atores poderia criar. Mas o cineasta também nos contempla com belas e sensíveis cenas ou trechos. A trilha sonora com músicas italianas, as estradas da ensolarada e fria região do sul, os diálogos trocados entre pai e filha (Paulo José e Fernanda Torres), são passagens que tornam Saneamento Básico uma comédia prazerosa. Estréia prevista para o dia 20 de julho. SANEAMENTO BÁSICO, O FILME - DIREÇÃO: Jorge Furtado - ELENCO: Fernanda Torres, Wagner Moura, Paulo José, Camila Pitanga, Tonico Pereira, Bruno Garcia, Janaína Kramer, Lázaro Ramos MINUTAGEM: 112 min. – PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: Brasil/2007 – COLUMBIA PICTURES.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(17/07/2007) - CRÍTICA - TRANSFORMERS

Quem for ao cinema assistir a animação de maior sucesso dos anos 80, irá se surpreender. Michael Bay e Steven Spielberg transformam TRANSFORMERS em um dos filmes mais divertidos e humanos do ano. Sinopse: Para aqueles que ainda não conhecem a história, TRANSFORMERS foi uma série de desenho animado que virou febre nos anos 80. Crianças do mundo inteiro compravam brinquedos dos personagens e liam gibis. Com capacidade para vários disfarces, como por exemplo, se transformarem em um navio, jato ou em um helicóptero, eles são conhecidos como os Autobots (Operários), que liderados por Optimus Prime, lutam há eras contra os malignos Decepticons (militares), liderados por Megatron. Com cenas de ação à moda de Bay, entenda-se - repletas de adrenalina, explosões e uma trilha sonora barulhenta – Transformers conta à história de Sam Witwicky (Shia LaBeouf), um jovem que possui um valioso objeto que, em mãos erradas, pode exterminar a humanidade. Por isso, para defendê-lo dos malignos Decepticons, liderados por Megatron, um Autobot, conhecido como "Bumblebee" é designado para protegê-lo. Disfarçado como um Chevrolet Camaro clássico, ele lutará contra os Deceptions ao lado de seus outros de sua raça, liderados por Optimus Prime. Mas o sucesso da história não está apenas nos efeitos especiais e nos robôs, mas também no ótimo roteiro de Alex Kurtzman & Roberto Orci, que mesclaram aventura com toques de romance, comédia e ação. Romance, aliás, que não atrapalha em nada, já que ele segue e equilibra o frenético ritmo da trama. Nos momentos, digamos, de “descanso”, a história continua a fluir com o mesmo ritmo. Isso se deve, principalmente, ao time de atores – como os veteranos John Turturro e Jon Voight, – que contribuem para que Bay crie cenas divertidíssimas, como as com Kevin Dunn e Julie White, que no filme são os pais de Shia LaBeouf. Quanto às aceleradas tomadas do duelo entre as inimigas raças de robôs, o combate também não deixa a desejar. Em Transformers, as imensas máquinas são mostradas com clareza. Conseguimos vê-los lutarem, se transformarem em carros/robôs, saltarem...sentir sua grande e imponente presença na tela e torcer por eles! Um detalhe que talvez seja o segredo de tanto sucesso nas telas do cinema mundial. Estréia prevista para o dia 20 de julho. TRANSFORMERS (TRANSFORMERS) DIREÇÃO: Michael Bay - ELENCO: Shia LaBeouf, Megan Fox, John Turturro, Jon Voight, Kevin Dunn, Julie White, Josh Duhamel – PRODUTORES EXECUTIVOS: Steven Spielberg, Brian Goldner, Mark Vahradian - MINUTAGEM: 143 min. – PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: EUA/2007 – PARAMOUNT PICTURES

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(16/07/2007) - CRÍTICA - HARRY POTTER E A ORDEM DA FÊNIX

O tom sombrio implantado desde a direção de Alfonso Cuarón em O Prisioneiro de Azkaban, ganha um contorno e torna este capítulo um dos mais adultos da série. Sinopse: Com o início de mais um ano letivo, novas mudanças atormentam o mal- humorado e confuso adolescente Harry Potter. Desacreditado pelo Ministério da Magia e pelo Profeta Diário, que não acreditam no retorno de Voldemort, abandonado pelos amigos durante todo o verão e ignorado por Dumbledore, o jovem bruxo passará por duras provações para enfrentar novamente seu arquiinimigo Lorde Voldemort. O clima de Harry Potter e a Ordem da Fênix (Harry Potter and the Order of the Phoenix, Inglaterra/2007 - Warner Bros) pode surpreender alguns, principalmente aqueles que não lêem os livros, mas que não perdem um capítulo da saga quando lançadas nos cinemas. Comandado pelo diretor de TV, David Yates, este quinto capítulo da série, no qual a história se baseia, ganha um tom mais sombrio, substituindo as agradáveis aulas de magias e porções. Em seus lugares estão treinos de feitiços contra as artes das trevas, romance, castigos e traições, que tornam a trama mais ágil e sombria. Não podemos dizer que a Ordem da Fênix seja o melhor livro, mas nas telas, ele ganhou mais força. As eletrizantes cenas de ação como o do ataque dos Dementadores contra Harry (Daniel Radcliffe) e seu primo Duda logo no início do filme ou a batalha travada entre os Comensais da Morte e os integrantes da Ordem da Fênix tornam a história mais excitante e adulta. Hermione Granger (Emma Watson) e Rony Weasley (Rupert Grint) cumprem seu papéis, como amigos e protetores do herói, que neste novo duelo passam a ter a ajuda de um destemido Neville Longbottom (Matthew Lewis) e de uma corajosa Gina Weasley (Bonnie Wright) que começará a ganhar maior destaque no próximo filme. Com novos personagens, como a irritante inquisidora cor-de-rosa Dolores Umbridge (Imelda Staunton), a Comensal da Morte Belatriz Lestrange (Helena Bonham Carter) e a doidinha, porém sensata Lama Lovegood (Evanna Lynch), a nova aventura de Harry Potter diverte e aguça a curiosidade para o próximo filme, que também será dirigido por Yates. © 2007 Warner Bros. Ent. Harry Potter Publishing Rights © J.K.R. Os personagens de Harry Potter, nomes e indícios correlatos são marcas de comércio da e © Warner Bros. Ent. Todos os Direitos Reservados.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - MAIS ESTRANHO QUE A FICÇÃO

O criativo filme de Marc Forster é lançado em DVD. Indicado a 64º edição do Globo de Ouro como Melhor Ator em Comédia , Will Ferrell protagoniza o belo e sensível filme do diretor Marc Forster, Mais estranho que a Ficção, um dos roteiros mais disputados de todos os tempos pelos grandes estúdios de Hollywood. Original e inteligente, o roteiro de Zach Helm conta à história de um obcecado auditor da Receita Federal chamado Harold Crick (Will Ferrell) que certa manhã, começa a ouvir uma voz feminina narrar seus pensamentos e ações. Angustiado, ele passa a conviver com o estranho fato, até que um dia, para o seu desespero, ele ouve a narradora declarar que aquele é seu último dia de vida. Sem saber o que fazer, Harold procura a ajuda de um especialista em literatura chamado Jules Hilbert (Dustin Hoffman), que junto com ele, passam a estudar várias possibilidades: Sua história é uma tragédia ou uma comédia? Quais escritoras seguem aquela linha narrativa? Como será o fim da história? Enquanto procura por sua narradora, Harold apaixona-se por Ana Pascal (Maggie Gyllenhaal), uma padeira que vive sua agitada vida com alegria. Ao lado de Ferrell, o carismático Dustin Hoffman cria as cenas mais engraçadas, enquanto que a atriz inglesa, Emma Thompson, que interpreta uma prestigiada escritora com “bloqueio criativo” para finalizar a história de seu livro, cria as cenas mais filosóficas. Ao lado de Queen Latifah, sua “assistente”, ela discute valores como a da importância da vida e da aceitação da morte. Um longa para aqueles que apreciam filmes alternativos, com uma narração e um enredo fora dos padrões. Uma história para quem deseja divertir-se e ao seu término, discutir sobre ela. Já nas locadoras, o DVD da Sony Pictures traz vários extras. Cenas Excluídas e Estendidas, Making Of e Trailers chegam com legendas e áudios em Português, Inglês e Espanhol.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - TEMOS VAGAS

TEMOS VAGAS irá estrear no dia 10 de agosto, nos cinemas. A Columbia Pictures traz o novo filme do cineasta Nimrod Antal, TEMOS VAGAS, que só deverá estrear nas telas brasileiras em Agosto. Para os fãs de suspense, o longa traz um roteiro inteligente com cenas tão tensas que conseguem incomodar os mais resistentes. E não há pausa... da primeira a última cena, o roteirista Mark L. Smith nos faz emergir num mundo assustador. Ficamos tão amedrontados e enclausurados quanto os personagens. Perdidos e com um carro enguiçado em uma remota rodovia do interior dos EUA, o casal David Fox (Luke Wilson) e Amy (Kate Beckinsale) são obrigados a passar a noite em um motel gerenciado por um estranho proprietário (Frank Whaley), aparentemente inofensivo. No quarto, eles encontram filmes caseiros que parecem reais...até notarem que estão hospedados no mesmo lugar onde as filmagens foram realizadas. Presos no cômodo, eles buscam desesperadamente por uma saída. É quando o pesadelo começa!

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - CRÍTICA: REATATOUILLE

Quando um pequeno ratinho faz a diferença na arte culinária - O novo longa da Disney-Pixar do diretor Brad Bird, responsável pelo hit “Os Incríveis”, já conquistou o primeiro lugar nas bilheterias e nos corações do público americano. O mesmo deve acontecer com a platéia brasileira que poderá conferir esta divertida história a partir do dia 6 de julho, nos cinemas. Cativante e também corajoso, já que o personagem central da história é um simpático ratinho, o novo desenho da Disney conta à história de Remy (Patton Oswalt), um rato de paladar sofisticado que tem como principal função, dentro do grupo familiar, farejar alimentos tóxicos. Mas sua pacata vida irá se transformar depois que seu gorducho irmão Emile (Peter Sohn) cria uma grande confusão e todo o grupo é obrigado a fugir. Durante a fuga, Remy se perde de sua família e para sua surpresa e felicidade vai parar no requintado restaurante do Chef francês Auguste Gusteau (Brad Garrett), seu herói culinário. Por obra do destino, ele encontra o jovem, tímido e mais novo empregado da cozinha, Linguini (Lou Romano), que desesperado pelo emprego se une ao pequeno roedor. Com o talento culinário de Remy e os desengonçados braços de Linguini, a dupla passa a preparar pratos. E para surpresa do encarregado Chef do restaurante, Gusteau Skinner (Ian Holm), que desde a morte do Chef Auguste assumiu o controle dos negócios, os pratos começam a fazer sucesso e a atrair a atenção não apenas dos clientes e da mídia, mas do mais temido crítico gastronômico, Anton Ego (Peter O´Toole). Simpática e deliciosa a trama traz todos os “ingredientes” para tornar Ratatouille uma gostosa sessão pipoca. O grupo de personagens possui vida própria. Há o vilão, o mocinho, a mocinha e o herói, mas os coadjuvantes também possuem seus encantos. Os roteiristas deviam estar inspirados quando criaram o implacável crítico culinário, Anton Ego. Sarcástico, pernóstico e muito seguro de si, não há como deixar de se divertir com suas observações, ou melhor, alfinetadas sobre a função dos críticos. Já a Chef Collete (Janeane Garofalo) com sua sensatez traduz as ambições e pensamentos das garotas de hoje. Ela consegue cativar e ao mesmo tempo, por “ordem na casa”.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - CRÍTICA: CANDIDATO ALOPRADO

Com diálogos inteligentes e sarcásticos, o filme do cineasta Barry Levinson traz um grupo de atores veteranos que acrescentam um ritmo ágil, com ótimas sátiras sobre os políticos e o processo eleitoral norte-americano. Candidato Aloprado conta a história de Tom Dobbs (Robin Williams), um comediante e apresentador de talk show na TV que tem como característica principal, falar mal de tudo e de todos. Sugestionado por seu público, Dobbs decide candidatar-se à presidência dos Estados Unidos. É quando algo inesperado ocorre – ele vence, para surpresa dele próprio e de todos. Com uma trama bem costurada, o filme de Barry Levinson (Rain Man – Bom Dia Vietnã) consegue fluir e prender a atenção. São quase duas horas de cenas focadas em diálogos engraçados e bem ágeis, principalmente quando ditas pelos personagens de Robin Williams (Uma Noite no Museu – Bom Dia, Vietnã) e Christopher Walker (Click – Mulheres Perfeitas). Já o clima de romance e de suspense ficam focados na ótima atriz Laura Linney (Sobre Meninos e Lobos – A Lula e a Baleia), que possui uma presença na trama tão marcante quanto Williams. Uma dica: fique atento a uma passagem especial, onde Williams está brilhante. Uma das cenas mais inspiradas do roteiro: o debate entre os candidatos à presidência. Não há como não nos identificarmos com o conhecido “circo” armado pela mídia e assessores para que cada aspirante ao cargo exponha seu projeto e discurse sobre as suas já conhecidas promessas de eleição. E não é que elas são todas iguais! Mudam-se os candidatos, o eleitorado e o país, mas as promessas são as mesmas... e o personagem de Williams se deleita, assim como nós. Dizendo o óbvio, ele satiriza todo aquele “blá,blá,blá” de período de eleição, com um discurso engraçadissímo. CANDIDATO ALOPRADO (THE MAN OF THE YEAR) - DIREÇÃO: Barry Levinson - ELENCO: Robin Williams, Christopher Walker, Laura Linney, Jeff Goldblum - MINUTAGEM: 115 min. – ANO DE PRODUÇÃO: 2006 - LANÇAMENTO EM DVD.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - LOUCA TERAPIA

Nunca mais sua sessão será a mesma! Nas locadoras no dia 11 de julho - Tudo é possível nesta maluca comédia estrelada por Courteney Cox, da série de TV ''Friends'' e David Arquette, da trilogia ''Pânico''. Nesta divertida comédia Courteney Cox é Samantha Crumb, uma linda escritora sem sorte no amor que para tratar de suas fobias, freqüenta o consultório de uma psicóloga. Mas quando sua médica sofre um colapso nervoso, ela enxerga uma oportunidade: conquistar Michael (David James Elliott), seu charmoso vizinho, e convencê-lo a romper o romance com sua namorada. Assim, Samantha passa a clinicar no lugar de sua psicóloga. Quando o simpático vendedor de revistas chamado Henry Popopolis (David Arquette) começa a freqüentar seu consultório, ela se vê em um dilema. Seguir a razão ou o seu coração? Configurações do DVD: LOUCA TERAPIA (THE SHRINK IS IN) - DIREÇÃO: Richard Benjamin (“Um Dia a Casa Cai”, “Minha Mãe é uma Sereia” e “Keeping Up with the Steins”) - ELENCO: Courteney Cox (da série de TV ''Friends'' , da trilogia ''Pânico'' e “Zoom”), David Arquette (da trilogia “Pânico” e “As Aventuras de SharkBoy e LavaGirl em 3D”), David James Elliott, Carol Kane, Kimberley Davies, Viola Davis, Jon Polito - PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: EUA/2001 - GÊNERO: Comédia - MINUTAGEM: 87minutos - ÁUDIO: Português 2.0 e Inglês 2.0 - LEGENDA: Português e Inglês - IDIOMA: Português e Inglês - EXTRAS: Biografias, Sinopses e Trailer - INFORMAÇÕES TÉCNICAS: 4x3 Full Frame.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(14/07/2007) - Platina Filmes lança obras do premiado diretor István Szabó

A Platina/Golden lançam em setembro, em varejo, dois grandes filmes do cineasta István Szabó. Nascido em Budapeste, em 1938, Szabó impressionou o público e os críticos do mundo inteiro quando, em 1981, rodou Mephisto, obra baseado no romance de Klaus Mann. Em seguida viria Coronel Redl, baseado em história real e na peça A Patriot for Me (1965), de John Osborne. Mephisto (1981) forma com Coronel Redl (1984) e Hanussen (1988) uma trilogia de dramas históricos do diretor. Em Mephisto conhecemos a história de Hendrik Hoefgen (Klaus Maria Brandauer), um ambicioso ator alemão que em troca de sucesso e prestígio, aceita colaborar com os nazistas, realizando peças com propagandas do regime, durante o período da segunda guerra mundial. Coronel Redl conta a história de Alfred Redl (Klaus Maria Brandauer), um ambicioso soldado de origem camponesa e sua luta para combater as manobras políticas dos seus inimigos. Um jovem homossexual obcecado pelo desejo de ascensão dentro da corporação militar do exército Austro-Húngaro no início do século. LANÇAMENTO: 11 DE SETEMBRO.

MEPHISTO (MEPHISTO) - DIREÇÃO: István Szabó - ELENCO: Klaus Maria Brandauer e Krystina Janda - PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: Húngria/1981 - GÊNERO: Drama - MINUTAGEM: 138 minutos - LANÇAMENTO SOMENTE EM DVD - Prêmio Oscar (1982) - Melhor filme em idioma estrangeiro - Cannes (1981) - Vencedor de Melhor Roteiro e do Prêmio Fipresci para István Szabó.

CORONEL REDL (COLONEL REDL) - DIREÇÃO: István Szabó - ELENCO: Klaus Maria Brandauer, Armin Muller-Stahl, Gudrun Landgrebe - PAÍS/ANO DE PRODUÇÃO: Húngria/1985 - GÊNERO: Drama - MINUTAGEM: 149 minutos - LANÇAMENTO SOMENTE EM DVD - Prêmio Oscar (1985) – Indicado a Melhor Filme Estrangeiro - British Academy Awards (1985) - Vencedor de Melhor Filme Estrangeiro - Cannes (1985) - Prêmio especial do Júri.

Por Viviane França (Fale com ela)

 
(01/07/2007) - Morre atriz da Globo Ariclê Perez

A atriz Ariclê Perez, 62, morreu neste domingo, 26, em sua casa em São Paulo, em Higienópolis, região central da cidade. Segundo boletim de ocorrência, a atriz caiu do 10º andar de seu prédio. As causas da morte estão sendo apuradas pela polícia. De acordo com informações do delegado do 4º DP, Rodney Charles Muller Martins, um funcionário do edifício acionou a polícia por volta das 19h, ao encontrar o corpo da atriz na entrada interna da garagem. Ariclê, que estava sozinha no apartamento, caiu da janela do escritório. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal - IML. O último papel de Ariclê na televisão foi na minissérie "JK", em que viveu Dona Júlia Kubitschek de Oliveira, mãe de Juscelino e Naná, na segunda fase da produção. Ariclê nasceu no dia 7 de setembro de 1943 em Campinas, interior de São Paulo. Começou sua carreira como atriz em 1967, no teatro. Em 1971 fez o filme "Paixão na Praia", de Alfredo Sternheim, participando de depois de "Pixote: A Lei do Mais Fraco" (1981). Ano passado, ela integrou o elenco do filme "Quanto Vale Ou É Por Quilo?", que lhe deu o prêmio de melhor atriz coadjuvante do festival Cine Ceará.  A atriz fez ainda uma série de novelas na Rede Globo, entre elas "Um Só Coração" (2004), "Anjo Mau" (1997), "Salsa e Merengue" (1996), "Felicidade" (1991) e "Meu Bem, Meu Mal" (1990). Em minisséries, atuou em "A Casa das Sete Mulheres" (2003), "Os Maias" (2001) e "Memorial de Maria Moura" (1994). Ariclê Perez foi casada com o diretor Flávio Rangel (1934-88).

Direto da Redação