VOLTAR FILMES 31

 
   

TRÓIA
BRAD PITT, ERIC BANA & ORLANDO BLOOM

O filme começa com a paixão dos amantes Príncipe Paris de Tróia (Bloom) e a Rainha Helena de Esparta (Kruger) que está longe do seu marido, Menelaus, paixão esta que acende uma guerra entre o troianos e as tribos unidas da Grécia.

Quando as duas civilizações se combatem, o renomado guerreiro Aquiles (Brad Pitt) emerge como peça principal da vitória dos gregos e derrota do exército troiano, liderados pelo nobre Príncipe Hector (Bana).

Isto tudo acontece no ano de 1193 A.C.

Mas não deixe de ver os erros também.

Diretor: Wolfgang Petersen
Escritores: David Benioff

Baseado no poema de Homer.

Site Oficial: http://troymovie.warnerbros.com/index_flash.html
Site Oficial Brasil: http://www.br.warnerbros.com/movies/troy/index_flash.html?fromtout=homepage_b4

Gênero: Ação / Drama / Guerra / Aventura

Warner Bros.

Título Original: Troy
Tempo:  minutos
Cor: Colorido
Ano de Lançamento: 2004 - EUA
Recomendação: 14 anos

ELENCO

Brad Pitt .... Achilles
Eric Bana .... Hector
Orlando Bloom .... Paris
Diane Kruger .... Helen
Sean Bean .... Odysseus
Brian Cox .... Agamemnon
Peter O'Toole .... Priam
Brendan Gleeson .... Menelaus
Saffron Burrows .... Andromache
Rose Byrne .... Briseis
Julie Christie .... Thetis
Garrett Hedlund .... Patroclus
Vincent Regan .... Eudorus
Adoni Maropis .... Agamemnon's Officer
rest of cast listed alphabetically
James Cosmo .... General Glaucus
Trevor Eve
Julian Glover .... Triopas
Louis Hilyer .... Messenger
Alex King .... Apollonian Guard
Tyler Mane .... Ajax
Owain Yeoman .... Lysander

FICHA TÉCNICA

Produção .... Gail Katz
Produção .... Wolfgang Petersen
Produção .... Diana Rathbun
Produção .... Colin Wilson
Música .... James Horner
Fotografia .... Roger Pratt
Edição .... Peter Honess
Design de Produção .... Nigel Phelps
Direção de Arte .... Julian Ashby
Direção de Arte .... Jon Billington
Direção de Arte .... Andy Nicholson
Direção de Arte .... Adam O'Neill
Maquilagem .... Melissa Lackersteen
Maquilagem .... Marese Langan
Maquilagem .... Alberto Moccia
Departamento de Arte .... Kevin Phipps
Departamento de Arte .... Leslie Tomkins
Efeitos Especiais .... Michael Dawson
Efeitos Especiais .... Joss Williams
Efeitos Especiais .... Cinesite
Efeitos Especiais .... Framestore CFC
Efeitos Especiais .... Lola
Efeitos Especiais .... The Moving Picture Company
Efeitos Visuais .... Nicolas Aithadi
Efeitos Visuais .... Giles Bartlett

PRODUTORAS

Warner Bros.
Village Roadshow Pictures
Radiant Productions
Plan B Films

DISTRIBUIDORAS

Warner Bros.
Karo Premiere
Warner Sogefilms S.A.

ERROS

1. Durante a primeira luta entre os exércitos de Tróia e Esparta, um dos soldados espartanos leva uma flechada na perna e pode-se notar que é uma perna de manequim. (Contribuição de André Ribeiro - EUA - Fã de Carteirinha)

2. Durante essa primeira luta entre exércitos, Aquíles (Pitt) mata vários soldados inimigos, fazendo com que o sangue deles jorrem por toda a sua armadura. A câmera dá um close em seu rosto e uma gota de sangue cai do seu capacete sujando o canto de sua boca. Na cena seguinte o sangue desaparece. (Contribuição de André Ribeiro - EUA - Fã de Carteirinha)

3. Neste mesmo close do rosto de Aquíles (Pitt), nota-se uma mancha de sangue em sua armadura, que fica próxima ao seu pescoço. Nas cenas seguintes essa mancha desaparece. (Contribuição de André Ribeiro - EUA - Fã de Carteirinha)

4. Na cena em que os gregos invadem Tróia, o Aquiles invade sozinho procurando a sua namorada, e enquanto isso há um barulho enorme de espadas, flechas, etc... quando ele se encontra com ela e se beijam, o barulho todo acaba e chega o Páris e começa a atirar flechas no Aquiles (sem escutar barulho de guerra nenhum do lado de fora). (Contribuição de Talita - Fã de Carteirinha)

5. Acho que esse é a falha mais notável do filme! A primeira vez que Príamo, rei de Tróia, faz uma reunião em seu salão (aquele com um espelho d'água no chão) vemos uma enorme estátua atrás do trono, já na segunda vez que o salão é mostrado, não há estátua, e sim uma enorme abertura para fora. Quando Tróia é invadida, a estátua reaparece atrás do trono. Seria isso uma imensa janela? Meio estranho. (Contribuição de Thalyta Cristina - SP - Fã de Carteirinha)

6. Falha nas aulas de geografia. Pelos mapas, podemos ver que Tróia é banhada pelo mar, pelo lado oeste, então como o nascer do sol pode ser pelo mar? Pelas aulas de geografia, o sol se poria no lado do mar. (Contribuição de Roberto Suguino - Fã de Carteirinha)

7. Na mitologia grega, deuses e humanos co-habitavam a terra e conviviam entre si. O filme não dá enfoque a isso. Não esclarecem que Tétis, a mãe de Aquiles, era uma ninfa marinha; e nem que a beleza incomparável e irresistível de Helena, rainha de Esparta, devia-se ao fato de ela ser filha do próprio Zeus, o Deus do Olimpo. (Contribuição de Alice Villas Boas - Fã de Carteirinha) --> Na verdade Helena não era filha de Zeus. (Contribuição de Jessica Pereira da Silva - Fã de Carteirinha) --> Helena é filha de Zeus e de Leda. Zeus se disfarça de Cisne e fecunda Leda quando esta estava tomando banho nas águas do rio Eurota. Dessa união nascem, além de Helena, Castor, Polux e Clitemnestra. Alguns autores defendem que Helena e Polux sejam filhos de Zeus, e os outros dois sejam filhos do marido de Leda, Tíndaro. Nesse erro a Jessica afirma que Helena não é filha de Zeus, um "sacrilégio" (Contribuição de Sérgio Mitre - Fã de Carteirinha)

8. Páris, príncipe de Tróia, cujo nome verdadeiro era Alexandre, não era um covarde como mostrado no filme. Ele era um homem justo e guerreiro. (Contribuição de Alice Villas Boas - Fã de Carteirinha) e (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha) --> Páris é um covarde sim e não um valente. Páris sempre se aproveitava da proteção da deusa Afrodite de quem sempre ganhava proteção. (Contribuição de Jessica Pereira da Silva - Fã de Carteirinha) e (Natalia Barbiero de Andrade - São Paulo / SP - Fã de Carteirinha)

9. Pátroclo não era primo de Aquiles, e sim o seu melhor amigo. (Contribuição de Alice Villas Boas - Fã de Carteirinha)

10. Na Ilíada, de Homero, o calcanhar vulnerável de Aquiles é o direito, pois esse não foi mergulhado no rio mágico. No filme, Páris o atinge no calcanhar esquerdo, o que, de acordo com a lenda, não o abateria. (Contribuição de Alice Villas Boas - Fã de Carteirinha) --> Não foi mergulhado no "rio mágico", foi no rio Estige, que fica no submundo, e não foram mergulhados os dois calcanhares (forma como se segura os bebes)... (Contribuição de Gabriel - Fã de Carteirinha)

11. Quando Aquiles mata Heitor na luta desafiada em função da morte de seu primo, Aquiles o fere com uma lança no lado esquerdo do peito próximo ao ombro e o mata logo em seguida com uma espada . Então ele arrasta Heitor até seu acampamento. O erro é que, quando Aquiles amarra e arrasta o corpo de Heitor, a lança ainda está cravada em seu peito, porém quando chega ao acampamento já não está mais. Será que caiu no caminho? (Contribuição de Gledson Marcelino - Curitiba / PR, de Angelo Gontijo, Clóvis Felizola e Ana Asko - Fãs de Carteirinha)

12. O filme é muito bom, mas é um absurdo os "gregos" de uma história de 3 mil anos atrás falarem INGLÊS. (Contribuição de Debora Pereira Nunes - Fã de Carteirinha)

13. O rei de Tróia intercede junto a Aquiles pelo corpo do filho morto, Hector, para que o mesmo possa ter um funeral decente, e ele possa ofertar as moedas ao barqueiro (morte). Porém, no momento em que Hector é queimado, não há moedas nos seus olhos, como era o costume. (Contribuição de Veridiana Sonego - Fã de Carteirinha)

14. Na primeira aparição de Aquiles no filme, quando ambos os exércitos o estão esperando para lutar com o guerreiro "enorme", ele vem e dá um golpe com a espada, e mata o guerreiro que incrivelmente não derrama uma única gota de sangue. (Contribuição de Fabiana Arguelho Arce - Fã de Carteirinha)

15. Erro feio na cena que Helena está conversando com Heitor. Quando a câmera mostra Helena de costas, percebe-se que seu cabelo está totalmente solto, mas quando a câmera a mostra de frente, vemos seu cabelo um pouco preso. Logo em seguida em outra cena de costas, ela está com o cabelo solto, tudo na mesma cena. (Contribuição de Esther Albuquerque - Niterói / RJ - Fã de Carteirinha)

16. Durante a luta entre Hector e Aquiles, podemos perceber que quando Hector retira o elmo, ele dobra como se fosse de couro ou plástico. (Contribuição de Ricardo Leite - Fã de Carteirinha)

17. Hector aparece com uma cicatriz no rosto após ser morto por Aquiles. Isto é impossível, pois a pessoa precisa estar viva para ocorrer a cicatrização. (Contribuição de Ricardo Leite - Fã de Carteirinha)

18. Na primeira batalha Aquiles vai enfrentar sozinho o guerreiro gigante, e podemos notar que quando os dois lados vão "negociar", a luta nas cenas mais distantes tem o chão de areia lisinho, e nas cenas de close, o mesmo chão, à frente dos negociantes, está cheio de marcas de pisadas. (Contribuição de Raquel Machado Mainenti de Oliveira - Fã de Carteirinha)

19. Quando vão queimar Hector em seu funeral, primeiramente aparece o lado direito de seu rosto, onde podemos notar que está cheio de cicatrizes e sua orelha está deformada, quando aparece um close no seu lado esquerdo, aparecem exatamente as mesmas cicatrizes no rosto e na orelha! (Contribuição de Raquel Machado Mainenti de Oliveira - Fã de Carteirinha)

20. Quando Aquiles está sentado na praia conversando com seu melhor amigo/soldado, seu cabelo aparece liso em um ângulo da câmera, e com as mechas torcidas quando muda a câmera. Isso ocorre várias vezes. (Contribuição de Andressa Kelly Stanczyk - Paraná - Fã de Carteirinha)

21. ABSURDO: Depois que Hector mata o Menelau, acontece uma batalha, e em seguida os gregos fogem com os troianos correndo atrás. Quando a câmera os filma por trás a debandada dos troianos, pode-se perceber um sujeito de patins (roller) deslizando de costas em meio a uma pequena "clareira" que se abre entre os soldados fugindo. Acho que era um dos coreógrafos da batalha. (Contribuição de Andressa Kelly Stanczyk - Paraná - Fã de Carteirinha)

22. Na cena onde Hector despede-se da mulher e do filho, antes da luta fatal contra Aquiles, A camera da um foco nos 3. Hector e a esposa são morenos de olhos castanhos, porém o bebe é loiro de olhos azuis! (Contribuição de Marcos Ruiz - Fã de Carteirinha) --> A genética explica isso. Se os pais são morenos e de olhos castanhos, significa que eles têm um gene dominante (no caso da cor dos olhos seria chamado de "A") e um gene recessivo (chamado "a"), sendo então Aa. Se cruzarmos Aa x Aa (genes dos olhos dos pais) para saber como seriam as características genéticas de seus filhos teríamos AA, Aa, Aa e aa. Se cada parte do cruzamento equivale a 25% de chances, isto mostra que seus filhos teriam: 25% de chances de terem olhos preto (AA), 50 % de terem olhos castanhos (Aa) e 25 % de chances de terem olhos claros, tanto verdes como azuis (aa). Então, a possibilidade do bebê ser loiro, apesar de pequena (apenas 25% ou 1 chance em 4), é real. O mesmo pode-se aplicar ao fato dele ser loiro. (Contribuição de Suelen dos Santos Abdias Mattos - Fã de Carteirinha)

23. Na Ilíada, Menelau não é morto por Heitor depois que Páris foge da luta entre eles. Na Odisséia há até uma passagem em que Menelau e Helena aparecem juntos novamente. (Contribuição de Érika Zemuner de Barros - Fã de Carteirinha)

24. Depois que Páris se acovarda na luta com Menelau, Helena, diferentemente do que está no filme, não o consola. Pelo contrário: ela diz que ele realmente foi covarde. (Contribuição de Érika Zemuner de Barros - Fã de Carteirinha)

25. Na Ilíada Briseida não matou Agamemnone. (Contribuição de Érika Zemuner de Barros - Fã de Carteirinha)

26. Quando os barcos gregos chegam à Tróia, os troianos que estão fora das muralhas começam a ir para dentro com seus animais, e no meio desses animais, eles levam LHAMAS pra dentro da cidade. Vale lembrar que lhamas são animais que habitam os Andes, e que só seriam descobertos séculos depois. (Contribuição de Luis Fernando - Fã de Carteirinha)

27. Quando os troianos entram com o cavalo de madeira na cidade, aparece um homem de chapéu de palha e calça puxando a corda que leva o cavalo. (Contribuição de Luis Fernando - Fã de Carteirinha)

28. Quando ele volta da primeira luta, Aquiles está totalmente sujo. Ele entra e começa a se limpar enquanto conversa com Briseis, quando ele sai da barraca, ele esta totalmente limpo! Não daria tempo de se limpar todo! (Contribuição de Kareen Andrade Litaiff - Fã de Carteirinha) e (Contribuição de Ivonete Domingues - São Paulo / SP - Fã de Carteirinha)

29. 1ª Batalha Aquiles e Príncipe Hector: Assim que começam a lutar, a lança de Aquiles perde a ponta de metal, só que em seguida ela continua com o metal e é com essa lança que Aquiles mata Hector. (Contribuição de Marcos Alexandre - Fã de Carteirinha)

30. 2ª Batalha Aquiles e Paris: Paris dá a primeira flechada no calcanhar de Aquiles, depois há uma seqüência de 3 (três) flechas, porém quando Aquiles começa a arrancá-las há somente duas. (Contribuição de Marcos Alexandre - Fã de Carteirinha)

31. Patroclos era AMIGO de Aquiles, e não primo como disse no filme... além de ser mais velho e conselheiro de Aquiles. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

32. Patroclos realmente morreu vestindo a armadura de Aquiles, mas com o consentimento do mesmo. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

33. Ulisses não vai à guerra tão facilmente assim, pois queria a paz com Tróia, mas viu as vantagens e o argumento de Menelau um pretexto, como mostrado no filme, mas na historia ele relutou ao ponto dos troianos acharem que eles não mais viriam.(Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

34. Não foi mostrada a armadura dourada feita por Vulcano para Aquiles depois que ele perde a sua (levada por Heitor), pois na historia eles duelaram mais de uma vez, sendo um desses duelos interrompidos por estarem no templo sagrado de Apolo. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha) --> Vulcano é Deus Romano! Hefaístos é o nome grego.

35. Não é mostrado Heitor vestido com a armadura de Aquiles...a dourada levada por ele no encontro anterior, pois foi considerada uma vitória e ele segundo a historia a usou como símbolo da vitória. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

36. Briseida nunca "deu" para Aquiles, ela morreu casta em sacrifício à deusa DIANA (deusa da caça). (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha) --> Diana é Deusa Romana! Ártemis é o nome grego. (Contribuição de Natalia Barbiero de Andrade - São Paulo / SP - Fã de Carteirinha ) --> Na realidade, Briseida "deu" pra Aquiles sim; segundo as lendas, ela se transformou na escrava (e amante) favorita do herói. E se ela morresse virgem, seria em honra ao Deus Apolo, irmão gêmeo de Ártemis. (Contribuição de ld.mezio - Fã de Carteirinha)

37. Aquiles não devolveu o corpo para o Pai de Hector por pena, pelo contrário, ele o arrastou e fez voltas por onde o seu amigo Patrocolos foi queimado como sinal de vingança, ele recebeu uma mensagem de sua mãe que era DEUSA, e que o aconselhou a devolver o corpo. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha) --> Não foi a mãe de Aquiles que mandou nada, um Deus pediu para que o mensageiro Íris falasse com o pai de Heitor (Príamo), que se ele pedisse Aquiles entregaria o corpo de seu filho... (Contribuição de Gabriel - Fã de Carteirinha)

38. Paris não precisava mais de uma flecha para matar Aquiles, pois ela estava envenenada e atingiu o seu ponto fraco, o calcanhar. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

39. A lenda do calcanhar de Aquiles não está explicada na História, e nem todo mundo sabe da lenda, para quem não sabia, a historia ficou um pouco confusa. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

40. ABSURDO: Aquiles nunca sequer viu o CAVALO DE TRÓIA, pois ele só foi construído anos depois de sua morte, a guerra durou 10 anos aproximadamente. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

41. Sua mãe foi mostrada como uma mulher comum, mas ela era uma DEUSA e tinha que se dar ênfase no filme a isso. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

42. Aquiles na realidade era filho de deuses, por isso teve seu corpo fechado quando mergulhado em um rio sagrado pela mãe, só que a mesma o segurou pelo calcanhar aonde ficou vulnerável, e Paris sabia disto tanto que atirou consciente no calcanhar, o que não foi mostrado no filme. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

43. Quando Paris no filme duela com Menelau, ele faz um enorme corte em sua perna, até Helena é quem o costura, e em uma cena seguinte andando com Hector de saia não aparece nem a cicatriz. (Contribuição de Sanah Abdullah - Fã de Carteirinha)

44. Na primeira cena de Brad Pitt, quando ele enfia a espada no pescoço do outro homem, aparecem dois cortes. Deveria aparecer só um! (Contribuição de Eduardo Magalhães - Fã de Carteirinha)

45. O erro é que historicamente falando há aquela lenda de que quando Páris nasceu, um oráculo falou que ele seria a destruição de Tróia, e assim seu pai abandonou-o para morrer só que ele sobreviveu, e o pai de Páris só o reencontrou quando ele já era quase adulto, mais ou menos uns 18 anos. O erro no filme é naquela cena onde eles estão voltando para Tróia quando Páris pergunta a Heitor se ele o ama, dai Heitor fala que a ultima fez que Páris havia falado assim, Páris tinha 10 anos.... Como isso é possível se com 10 anos Páris ainda nem havia sido descoberto?! (Contribbuição de Mariana de Souza Buglia - Fã de Carteirinha)

46. Acho que esqueceram deste detalhe que aparece na propaganda do filme TRÓIA: refiro-me ao fato de que tem uma cena que pelo que estudei nas bibliotecas não encontrei referências a sombrinhas, ainda mais de construção moderna. (Contribuição de Juan Liste - Fã de Carteirinha)

47. Convém ressaltar sobre a sua história, que as “moedas ofertadas ao barqueiro” para a travessia do rio da morte, colocada nos olhos dos mortos, de fato era um costume na antiga Grécia, mas não era possível naquela época. A Guerra de Tróia aconteceu por volta do ano 1.100 a.C., ou seja, século XII a.C. e a moeda teve a sua origem por volta do século VII a.C., aproximadamente 400 anos depois da guerra de Tróia. (Contribuição de Emerson Luiz de Faria - Fã de Carteirinha)

48. A guerra de Tróia durou cerca de dez anos, certo? Então porque o filho de Heitor não cresceu durante esse período? Ele aparece pela primeira vez logo após a chegada de Helena à Tróia. Ao final da guerra, na fuga após a queda da cidade, a criança não parecia ter dez anos. Pelo contrário, continuava um bebê. (Contribuição de Luciano Rocha - Brasilia / DF - Fã de Carteirinha)

49. Quando Helena está costurando o corte na perna de Páris, ele não apresenta qualquer sinal de dor ou desconforto. Ao contrário, conversa tranqüilamente com Helena, como se nem sentisse a costura. (Contribuição de Janaína Scotti Pinto - Fã de Carteirinha)

50. No filme o ator que deveria interpretar Aquiles, feito por Brad Pitt, de acordo com os mitos, era para ser muito maior do que mostrado no fime. (Contribuição de Marine Resende - Fã de Carteirinha)

51. Além de ser uma vergonha ouvir Aquiles utilizar termos modernos como, idiota e outros, quando ele vai conversar com sua mãe, uma Deusa, ela lhe diz que se participar da guerra irá "entrar para história". Bem, no período em questão não existia o significado história no qual a atriz se refere no texto. A historia começou a tomar forma com Herodoto, Tucídides, e mesmo assim não da forma com que a conhecemos hoje. (Contribuição de Paulo Renato - Fã de Carteirinha)

52. No templo de Apolo, ele corta uma estátua de bronze, ou ouro, com uma espada. Ou a espada dele é feita de Adamantium e muito afiada, ou ela tem propriedades mágicas. (Contribuição de Leonei - Fã de Carteirinha)

53. Quando o exército grego está em retirada fugindo na 2 batalha das flechas dos troianos, eles passam por cima dos já mortos, e dá para ver nitidamente que ele pisam em bonecos. (Contribuição de Sanah Abdullah - Curitiba / PR - Fã de Carteirinha)

54. Helena era admirada pela sua beleza, porque na história diz a lenda que ela era filha do proprio ZEUS, por isso era tão bela. (Contribuição de Sanah Abdullah - Curitiba / PR - Fã de Carteirinha)

55.  Na cena em que Aquiles está lutando com o gigante, dá para ver claramente que quando ele salta, e vai lançar a lança, seu braço parece sair, e seu braço parece ter sido aumentado pelo computador. (Contribuição de Caio Cesar de Pauli Souza - Fã de Carteirinha)

56. Helena nao era infeliz com Menelau. Após a morte de Paris (uma flecha envenenada por Hércules) ela volta a viver com ele. No filme ele é morto por Paris, o que não ocorreu. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha) --> Menelau foi morto por Heitor no filme. (Contribuição de Sanah Abdullah - Curitiba / PR - Fã de Carteirinha)

57. Aquiles só conheceu Briseis na trégua dos doze dias. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha)

58. Patroclo não foi morto por Heitor, nem teve sua garganta cortada. Ele morreu com uma flecha nas costas. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha)

59. Quem alertou Priamo para queimar o cavalo de Tróia não foi Paris, e sim o sacerdote de Netuno. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha)

60. Aquiles nao profanou o templo de Apolo. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha) --> Aquiles profanou o templo de Apolo sim. Mas não o de Tróia, e sim o de Lyrnesus, que era uma cidade aliada aos troianos; foi nesse templo que Aquiles seqüestou Briseis, que na Ilíada se chamava Briseida (dos 2 nomes o menos pior). (Contribuição de ld.mezio - Fã de Carteirinha)

61. Aquiles morreu só com uma flechada no calcanhar , já que sua armadura foi feita pelo Deus Vulcano e não poderia ser perfurada. (Contribuição de Natalia Sakai - SP - Fã de Carteirinha)

62. Logo depois que os príncipes chegam ao Castelo de Tróia, Hector (Bana) vai conversar com o seu pai, o rei Príamo (O'Toole). Na conversa Hector sugere que mande Helena (Kruger) de volta para Esparta através de um avião. Ora se o filme se passa em 1193 A.C., como isso seria possível? (Contribuição de André Mauricio Lacerda de Souza - Campos dos Goytacazes / RJ - Fã de Carteirinha)

63. Em um dos ataques do exército grego a fortaleza de Tróia, um dos soldados tropeça a frente dos outros. Esse, claro, deve ter sido pisoteado por pelo menos 1000 soldados, pois quando a câmera volta ao ataque, ele não está mais lá! (Contribuição de Ivo Kazuo Nikaitow - Fã de Carteirinha)

64. Quando Agamenon é morto por Briseida, Aquiles mata dois soldados, quando Aquiles morre, o exercito chega e temos uma visão aérea, ao lado de Ulisses não se vê mais nenhum soldado. (Contribuição de Maria Fernanda Pires - Fã de Carteirinha) e (Contribuição de Matheus Pires Uller - Fã de Carteirinha)

65. No filme quando Heitor mata o sobrinho de Aquiles pensando que era ele, Heitor fala para parar por aquele dia, mas aquilo não era brincadeira era uma ''guerra''. (Contribuição de Marine Resende - Fã de Carteirinha) --> No filme, Pátroclo não era sobrinho de Aquiles, e sim, primo. (Contribuição de ld.mezio - Fã de Carteirinha)

66. Quando Aquiles não quer lutar e seu sobrinho sem ele saber vai no lugar dele, seria muito fácil perceber pois ele era muito menor que Aquiles, e também muito mais fraco. (Contribuição de Marine Resende - Fã de Carteirinha)

67. Na verdade Helena e Páris não escapam ilesos da cidade destruída e em chamas. Na obra real, Helena Volta para Esparta com Menelau e Páris é morto por Filocteto, um guerreiro grego que nem sequer é citado no filme. (Contribuição de Pietro Maiorana Monteiro - Fã de Carteirinha)

68. Na primeira cena de Brad Pitt, quando ele enfia a espada no pescoço do outro, aparecem dois cortes.Deveria aparecer só um! (Contribuição de Eduardo Magalhães - Fã de Carteirinha)

69. Na legenda para o português, o nome de Odysseus, personagem de Sean Bean, é traduzido como Ulisses. (Contribuição de Camila Carreira - Fã de Carteirinha)

70. Por Zeus, onde estão os outros quase 50 filhos de Príamo? No filme só aparecem Páris e Heitor. E o que houve com Heleno, Deífobo,Troilo, Cassandra, Polixena e os outros? (Contribuição de ld.mezio - Fã de Carteirinha)

71. O maior erro do filme é a ausência dos Deuses, sem dúvida.  (Contribuição de Sérgio Mitre - Fã de Carteirinha)

ERROS REMOVIDOS

ERRO 51 RETIRADO. No filme os gregos construiram o ''Cavalo de Tróia'' em uma noite, isto é impossível, eles levariam pelo menos uma dia pois não tinham material. (Contribuição de Marine Resende - Fã de Carteirinha) --> Na realidade o cavalo não foi construído em apenas um dia, ele foi construído em 12 dias, e isto fica demonstrado no filme, e o material usado para a construção pelo que se percebe foi madeira dos barcos. (Falhinha e Cecília Simões - Fã de Carteirinha)

OBSERVAÇÕES

A) Muitas pessoas nos mandaram esta foto perguntando se é verdade ou não. Em uma das cenas no começo do filme em que a câmera filma o personagem Aquiles, interpretado por Brad Pitt, podemos ver um avião ao fundo. E isto no ano de 1193 A.C. O que você acha? É verdade ou montagem? Será mais um avião de Bin Laden, o que destruiu o Cavalo de Tróia, ou o Lula indo para a China? Vamos dar uma dica: clique na imagem abaixo para vê-la ampliada em uma nova janela, e observe o detalhe do avião ampliado. Siga as quatro setas amarelas e veja se descobre algo diferente. Se não conseguir ver nada diferente, modifique a luminosidade do seu monitor. Na realidade esta foto é uma montagem.


Clique para ampliar em uma nova janela.

B) O filme Tróia de 2004, como o filme Helena de Tróia da década de 50, e a Guerra de Tróia, além da minisérie Helena de Tróia agora editada como filme, são todos baseados na Ilíada de Homero. Isto significa que estes filmes não são obrigados a seguir a obra, cada um muda versões para adaptar o filme. Existem inúmeras obras e documentos sobre a lenda da Guerra de Tróia, sendo a Ilíada de Homero a principal (Existem dúvidas que ele existiu). Muitos também descrevem suas versões, na própria Ilíada o Cavalo de Tróia não é citado, sendo que a obra começa com Íra de Aquiles e termina com o funeral de Heitor. Então dizer que são erros que Pátroclo não era primo e sim amigo de Aquiles, que Páris era corajoso e que seu verdadeiro nome era Alexandre, que Helena o chamou de covarde, que Briseida não matou Agamenon, que Menelau não foi morto por Heitor, que os Deuses conviviam com os humanos e que se intrometiam nos acontecimentos etc. etc etc.... Isso tudo vejo que não são erros, pois o filme é utilizou a obra para pesquisa e teve sua versão. Também se o filme seguisse a obra, teríamos que ficar o dia inteiro no cinema. E se os Deuses participassem do filme não seria legal, pois chega a hora que se torna um saco agüentar os Deuses aporrinhando e se metendo na Guerra como é na Ilíada e em outras obras. (Contribuição de Julio Cesar Weiler - Fã de Carteirinha)

C) O grande erro de Tróia é não ser fiel à Ilíada de Homero. Deixando um pouco de lado a mitologia é, no meu ver, até correto, pois humaniza os acontecimentos e dá "realidade" ao filme. Mas inúmeros acontecimentos são totalmente distorcidos. A própria guerra parece que não passou de uma rixa de alguns dias... mas na verdade durou aproximadamente 10 anos... Sendo que Aquiles vai combater apenas no último ano da guerra e acaba morto, por uma flecha envenenada atirada por Paris, tendo sua morte vingada por seu filho que mata Paris. Aquiles jamais entrou em Tróia. A virgem, Briseida, continuou virgem... e foi sacrificada. Outra coisa em Tróia é americanização, o desembarque dos gregos lembra o desembarque do Dia - D, quem assistiu "O mais longo dos dias" poderá perceber, e os duelos, são idênticos ao de faroeste... faltando apenas os revolveres... (Contribuição de Rogério Magalhães - Fã de Carteirinha)

D) Estudo Mitologia há mais de 20 anos e posso dizer que, até hoje, não assisti um filme sequer que seja fiel, ou pelo menos quase fiel aos mitos da Grécia Antiga, alguns exemplos como "Fúria de Titãs", "Hércules 86", "A ira de Aquiles", "A guerra de Tróia", "Ulisses", "A Odisséia", "Tróia", "Helena de Tróia", entre outros, especialmente aquelas séries de Hércules e Xena. Para começar, Xena jamais existiu. Mas o assunto é "Tróia". Não me detive às "furadas" do filme, mas sim na sua absurda falta de conhecimento das obras de Homero, Hesíodo e Vergílio, historiadores (poetas) que mais se referiram aos acontecimentos dessa guerra. Discordo de algumas observações de alguns internautas que passaram informações sobre a Guerra de Tróia. Por exemplo, que Aquiles somente lutou no décimo ano da guerra. Errado. Ele foi levado da Grécia muito cedo (era um dos mais jovens, juntamente com seu "amigo de criação" Pátroclos) para lutar ao lado dos Mirmidões, exército de seu pai Peleus, o rei de Ftia. Foi comandante ao lado do velho Fênix. Destacou-se com Ájax na conquista de reinos vizinhos de Tróia, até o décimo ano de guerra, que é a partir daí que a obra de Homero, a Ilíada, começa. Começa com sua ira contra o rei maior, Agamémnon, que resolveu se apossar de Briseis, a quem Aquiles amava. E a sua ausência na guerra durou até a morte de Pátroclos. Resolveu vingar o amigo e foi morto, depois de um bom tempo, por uma flecha do príncipe Páris, guiada pelas mãos do deus Apolo, o único, a não ser Tétis, que conhecia o ponto vulnerável de Aquiles. E, de fato, não teve o prazer de entrar em Tróia, como tanto queria, mas foi substituído por seu filho Pirros (Neoptólemos), que foi buscado às pressas em Ftia. A Guerra de Tróia foi um acontecimento histórico, que se passou no século XII a.C., e as ruínas estão mais "vivas" do que nunca, graças ao arqueólogo alemão Heinrich Schliemann, que só descobriu a localização exata das suas ruínas justamente por ter estudado a obra de Homero. Diz a Ilíada que Aquiles perseguiu Heitor sete vezes ao redor da colina antes de matá-lo, num mesmo dia. As cidades antigas, especialmente as gregas, eram construídas sobre colinas, e Heinrich teve que contar com a ajuda de atletas para correrem ao redor das colinas da região e descobrir que Hissarlik era a colina a que se referia Homero. E descobriu-se, então, que houveram em torno de nove Tróias, uma construída sobre a outra, no mesmo lugar, destruída e reconstruída diversas vezes. Era uma cidade colossal, mais ou menos a São Paulo dos dias de hoje. Voltando ao filme "Tróia", o que mais me chamou a atenção foram as mortes de guerreiros que não morreram em Tróia, e outros que deveriam ter aparecido ou morrido durante a guerra. Àjax não foi assassinado, mas suicidou-se. Agamémnon e Menelaus voltaram inteiros de Tróia; Agamémnon foi assassinado por sua esposa Clitemnestra e Menelaus morreu na velhice junto de Helena. Por que não apareceu Diómedes, um dos principais guerreiros de Tróia? Páris foi morto por Filoctetes (que não apareceu no filme), e foi substituído por seu irmão Deífobos no controle de Tróia. Qual foi o motivo da visita de Páris em Esparta? Só um passeio? Uma aliança? O filme não mostrou claramente a razão, mas foi para buscar Hesíone, a irmã do rei Príamos, que havia sido raptada pelo herói Hércules há muitos anos antes. A exemplo do filme "Helena de Tróia", de 2003, o filme "Tróia" deveria mencionar as preliminares da guerra, como por exemplo, a disputa do pomo de ouro oferecido à mais bela das deusas, cujo juiz teria sido o príncipe Páris (Alexandre). Afrodite prometeu-lhe a mulher mais bela da Hélade (Grécia) se ela fosse escolhida, e Páris a escolheu. Depois, Páris deu-se a conhecer em Tróia como o filho tido como morto assim que havia nascido, e, esquecidos das previsões de Ésacos, que ele poria fogo em Tróia, os seus parentes o receberam como príncipe, filho, irmão e cidadão troiano. Ulisses, não tendo sido um pretendente à mão de Helena, em Esparta, pois interessara-se em Penélope, sobrinha do rei Tíndaros, para não fazer parte da guerra, passou a agir como um demente, mas foi desmascarado por Palámedes, que acabou se tornando seu pior inimigo. Voltando aos erros, Aquiles, no início do filme, teria vencido um tal Boágrios — que eu desconheço, tornando os tessálios vassalos do Rei Agamémnon. Na verdade, Aquiles era ainda muito jovem e vivia, nessa época, longe das guerras em Ftia. Menelaus, no filme, foi morto em seguida, no duelo contra Páris. Na verdade, um troiano chamado Pândaros desrespeitou a trégua, e recomeçou a batalha; Páris, depois de pedir clemência, foi salvo às pressas, e Menelaus continuou vivo, até depois da guerra. Inclusive, Telêmacos, anos depois da guerra terminar, foi visitá-lo em Esparta para saber do destino de seu pai Ulisses. Aquiles, depois da morte de Pátroclos, teve tempo ainda de destacar-se na guerra, matando guerreiros famosos como Heitor (o primogênito do rei Príamos), Cicnos (rei dos frígios), Pentesiléia (rainha das Amazonas) e Mémnon (rei dos etíopes). Aquiles teve ainda um contato com Príamos, que foi suplicar-lhe o corpo de seu filho Heitor, no que foi prontamente atendido. Mais tarde, Aquiles, ameaçando penetrar nos muros de Tróia, foi ameaçado pelo deus Apolo, que dirigiu a flecha de Páris ao seu calcanhar direito. Páris parecia um tanto covarde, guerreando à distância, mas sabe-se que era muito valente, já que passava a ser um dos baluartes de Tróia. Porém, era poupado constantemente, pois o seu destino era permanecer vivo até que os gregos entrassem em Tróia. Foi pela sua derrota na disputa pelas armas de Aquiles que o grande Ájax, o segundo mais forte dos gregos, suicidou-se com a própria espada, atacado de loucura. Os gregos, para alcançar a vitória, tiveram que procurar um substituto à altura de Aquiles. Foram buscar, na Grécia, o seu filho Pirros (Neoptólemos, como passou a ser chamado), e também Filoctetes, abandonado na ilha de Lemnos há quase dez anos, que foi o causador da morte de Páris, através das flechas envenenadas de Hércules. Um personagem muito importante em Tróia foi Enéias, que mais se destacou nos últimos anos da guerra. Junto de Deífobos, passou a tomar as rédeas de Tróia. De fato, o cavalo de madeira foi construído durante doze dias, com o madeirame dos bosques do monte Ida. A partir de então, Ulisses passou a ser o mentor da vitória dos gregos, que simularam abandonar Tróia, enquanto um punhado de guerreiros gregos se abrigaram no monstruoso cavalo de madeira. Sínon, um dos filhos do antigo e célebre rei Sísifos, fingiu ter sido perseguido pelos gregos e, depois de um monte de choradeiras mentirosas, convenceu os troianos a conduzirem o cavalo para dentro dos muros da cidade. À noite, após as festividades exageradas dos troianos, Sínon deu o sinal, os guerreiros saíram do cavalo, os portões foram abertos, e os troianos, surpreendidos, bêbados, foram passados a fio de espada. Conta Vergílio, poeta e historiador romano, que, enquanto os gregos dominavam a cidade, Enéias, carregando seu pai Anquises nas costas e tomando pela mão seu filho Ascânios, abandonou Tróia, seguido de um bom número de guerreiros dárdanos e lícios, também servos, mulheres, velhos e crianças. Depois que a poeira baixou, mandou construir navios, e juntos abandonaram a Ásia, e depois de alguns anos, chegaram à Itália, onde, séculos depois, um descendente seu, Rômulo, construiu a cidade de Roma. No regresso de Tróia, muitos navios gregos naufragaram pela ira dos deuses, devido ao desacato brutal de Ájax Oíleo, que violentou a princesa e sacerdotisa Cassandra, filha de Príamos. Um dos causadores do naufrágio do navio de Ulisses e de sua perdição foi o velho rei Náuplios, para vingar a morte de seu filho Palámedes, em Tróia, graças às maquinações de Ulisses. Usando um farol nas praias gregas, desorientou os marinheiros e jogou-os contra os recifes. Em outras palavras, foi a ira de Posseidon, o deus dos mares, que passou a perseguir Ulisses por mais dez longos anos, distanciando-o de sua Pátria. Após o regresso dos gregos, tendo sido assassinado o rei Agamémnon, Pirros, o filho de Aquiles, se tornou o maior rei da Grécia, tendo sido ele o responsável por julgar e punir Ulisses pelo assassinato dos pretendentes de sua esposa Penélope. Menelaus morreu na velhice, e Helena, perseguida por conspiradores, foi morta por Polixo, rainha de Rodes, que resolveu vingar a morte do marido, Tleopólemos, um dos inúmeros filhos de Hércules. Tróia, hoje, é um monte de ruínas, situada perto de um insignificante vilarejo, sobre a colina de Hissarlik, na Turquia. Tróia, após a destruição pelos gregos, foi reconstruída pelos filhos de Heitor e Enéias, e desapareceu definitivamente durante a dominação romana. Na verdade, são muitas as contradições desses filmes, ainda que não mencionem deuses e monstros, mas afastam-se do que é original, usando e abusando da licença poética, que, no meu ponto de vista, é louvável, mas até certo ponto. Tenho que lembrar-lhes que a Ilíada foi considerada a Bíblia dos antigos gregos, baseando-se nos seus ensinamentos, o seu modo de vida e a presença dos deuses no seu dia-a-dia. Não quero dizer com isso que acredito nesses deuses, mas temos que respeitar o costume de outras civilizações que, aliás, de um certo modo, sendo uma parte cristã, outra muçulmana, ainda hoje são politeístas. Acho importante produzir um filme com mais fidelidade, claro que suprimindo longos diálogos, cenas monótonas e acontecimentos desnecessários. Porém, se eu fosse fazer um filme sobre a Guerra de Tróia, deixaria de rodeios, mas não poderia deixar de constar itens importantes e necessários para o entendimento desse fato, tanto baseado em Hesíodo e outros poetas (as preliminares até o nono ano da guerra), Homero (a ira de Aquiles até os funerais de Heitor) e Vergílio (os últimos relatos, incluindo a construção do cavalo de madeira, o incêndio de Tróia e a fuga de Enéias), e ainda Homero (novamente), com o retorno de Ulisses. Inventar demais, matando gente que não morreu, ou salvando quem deveria morrer, é inviável, fictício demais. Só sei que, depois que saí do cinema, só ouvia comentários desfavoráveis sobre o roteiro do filme. (Contribuição de Valcir Donato - Passo Fundo / RS - Fã de Carteirinha)

::Enviar informações deste filme::
Clique aqui para enviar erros e comentários apenas deste filme.

IMAGENS E CURIOSIDADES